16 de abr de 2013

Número de mortos em ataque terrorista em Boston sobe para três


Mais de cem feridos estão sendo atendidos nos hospitais. Alguns, em estado grave. Um dos mortos é um menino de oito anos

Segunda explosão na maratona de Boston
Segunda explosão na maratona de Boston - John Tlumacki/The Boston Globe/Getty Images
O número de mortos nas explosões desta segunda-feira perto da linha de chegada da Maratona de Boston subiu para três, informou a polícia local. Um dos mortos é um garoto de 8 anos, segundo uma fonte policial. Mais de cem pessoas ficaram feridas, e pelo menos 17 estão em estado grave.
Em um pronunciamento, o presidente Barack Obama evitou classificar as explosões em Boston como ataque terrorista, mas prometeu punir os responsáveis. Ao contrário do presidente, autoridades federais já classificam as explosões como terrorismo, apesar de ainda não estar claro se a origem é doméstica ou estrangeira.

Por precaução, o funcionamento do metrô foi interrompido e a agência de aviação civil dos EUA fechou o espaço aéreo sobre a região. Objetos deixados nas ruas foram tratados como suspeitos.

O representante da polícia de Boston Ed Davis disse que ainda não há suspeitos sob custódia. Contudo, o jornal The Boston Globe informou que uma pessoa estava sendo interrogada em um hospital local, no início da noite. A pessoa interrogada seria um dos feridos na explosão. E a segurança nas áreas próximas aos hospitais de Boston foi reforçada por equipes da Swat (a força policial de elite americana). A polícia afirmou que o procedimento é padrão neste tipo de investigação.
Um incidente com um “artefato incendiário” na biblioteca John F. Kennedy foi inicialmente ligado às explosões, mas pouco depois a polícia informou que poderia não ter relação com os ataques ocorridos na linha final da maratona. O FBI, a polícia federal americana, assumiu a liderança das investigações
As explosões ocorreram por volta das 14h50, pelo horário local (15h50 de Brasília), mais de 4 horas depois do início da prova e quando mais da metade dos 27.000 participantes já havia cruzado a linha de chegada.
As suspeitas até agora são de que os ataques tenham sido realizados com bombas colocadas em pequenos sacos ou caixas, de acordo com informações da empresa americana privada de inteligência estratégica Stratfor.
Há relatos de que até quatro explosivos teriam sido desarmados antes da explosão - a polícia de Boston confirmou apenas um artefato encontrado. Segundo a análise, o tamanho pequeno do dispositivo pode ser avaliado pela ausência de danos estruturais às construções próximos ao centro da explosão - poucas janelas foram quebradas. A fumaça que que se alastrou e se manteve no ar por alguns segundos pode indicar uma mistura de clorato de açúcar.
Pelo número de feridos, é provável que os dispositivos continham pregos ou outro tipo de material perfurante.
Sem qualquer sofisticação, esse tipo de dispositivo é rudimentar e pode ser construído por qualquer pessoa. Pequenos dispositivos têm sido utilizados por terroristas islâmicos em ataques como o de 7 de julho de 2005, que ocorreram em Londres. De toda forma, ainda é cedo para atribuir um motivo ou para identificar um suspeito.
A maratona, disputada desde 1897, é uma das mais antigas do mundo e está na 117ª edição. Ela ocorre excepcionalmente numa segunda-feira para comemorar o Dia do Patriota.
Londres - Depois das explosões em Boston, a polícia britânica informou que vai rever o esquema de segurança para a maratona de Londres, que ocorre no domingo.

Atentados nos Estados Unidos

1 de 7

Nova York, 1975

29 de dezembro de 1975 – Um atentado com bomba no saguão principal do aeroporto La Guardia, em Nova York, matou onze pessoas e deixou outras 75 feridas. Os explosivos foram colocados próximos a uma das esteiras de bagagem da companhia Trans World Airlines. A polícia chegou a trabalhar com suspeitos ligados a diversos grupos extremistas, mas nunca encontrou os reais responsáveis pelo atendado, que segue sem solução até hoje.
mapa do local das explosões na maratona de Boston

Nenhum comentário: