30 de jun de 2009

Buenos Aires declara emergência sanitária por gripe suína

O prefeito de Buenos Aires declarou emergência sanitária nesta terça-feira (30) para tentar deter a disseminação do vírus de gripe H1N1. O número de mortes na Argentina causadas pela doença subiu hoje para 30.O prefeito da capital argentina, Mauricio Macri, pediu aos moradores da cidade que permaneçam em casa pelo maior tempo possível. Macri também comunicou a decisão de antecipar e estender as férias escolares de inverno. As províncias de Santa Cruz e Neuquén também decidiram suspender as aulas até o começo de agosto.O número de vítimas fatais da gripe no país aumentou depois que duas pessoas morreram na província de Santa Fé e outras duas em Buenos Aires.A Secretaria de Saúde de Santa Fé confirmou a morte de um homem e de uma mulher grávida, infectados pelo vírus H1N1. Na Faculdade de Odontologia da Universidade de Buenos Aires, uma professora que também estava grávida e um aluno tiveram suas mortes confirmadas pela diretora, María Beatriz Guglielmoti.Dados oficiais mostram que há 1.587 casos de gripe suína na Argentina. No entanto, entidades sanitárias acreditam que o número de doentes seja "substancialmente maior". A médica Alejandra Valledor, do Hospital Italiano de Buenos Aires, disse que o centro de saúde registrou a morte de três pessoas que não estavam nas estatísticas oficiais do Ministério da Saúde.O ministério não divulga um novo relatório sobre a gripe suína no país desde a última sexta-feira (26).

Direto da Líbia - Lula condena golpe em Honduras e pede respeito à democracia

O Presidente Lula está em Trípoli, na Líbia do eterno KADAFI, para participar da cúpula da União Africana (UA)

O encontro será em Sirte, na Líbia, governada há 40 anos — pelo iluminista Muamar Khadafi. Entre outras graças em sua biografia, Khadafi mandou explodir um avião da Pan Am em 1988. Morreram 270 pessoas. Por incrível que pareça, ele assumiu a responsabilidade, aceitando indenizar as famílias. Foi um atentado de uma série.

O encontro ainda terá um participante polêmico e inesperado de Mahmoud Ahmadinejad, que fará sua segunda viagem internacional desde o contestado pleito em que foi reeleito presidente do Irã, confirmou presença na cúpula.

OBS - Qualquer semelhança com o nosso famoso cantor Falcão, é mera coincidência.



Vírus da gripe suína pode ter vazado de laboratório

Um estudo publicado pelo "The New England Journal of Medicine" e pelo jornal inglês "The Independent" aponta que a pandemia de gripe suína pode ter resultado de um "acidente" de pesquisa em algum laboratório no final dos anos 1970.
Pesquisadores acreditam que o vírus, extinto entre os humanos, foi reintroduzido acidentalmente por cientistas e causou a pandemia em 1977, iniciada na Rússia e na China.
Shanta Zimmer e Donald Burke, da Universidade de Pittsburgh (EUA), disseram que a gripe suína desapareceu entre os humanos depois que houve uma pandemia de outra linhagem do vírus em 1957. Depois, o H1N1 não foi detectado até janeiro de 1976, quando ocorreu um novo surto.
O alarme desse surto levou cientistas de todo o mundo a voltar a estudar o vírus, com amostras congeladas e armazenadas desde os anos 1950.
"Eu imagino que a maioria dos laboratórios possuía a linhagem dos anos 1950. Mas não podemos dizer qual deles deixou que ele acidentalmente escapasse", disse Zimmer.
Depois da pandemia de 1977, a gripe suína reapareceu anualmente, mas só agora acabou se tornando nova pandemia.
Casos no Brasil
O Ministério da Saúde corrigiu ontem o número de casos. Segundo a pasta, o vírus atingiu 625 pessoas, e não 627, como divulgado anteontem. Ontem, não houve nenhum novo caso.
No domingo, o ministério acrescentou o Reino Unido à lista de países que devem ser evitados por crianças, idosos ou pessoas com saúde debilitada.
No Rio Grande do Sul, a Prefeitura de Itaqui (na fronteira com a Argentina) decretou emergência após o surgimento de três casos suspeitos em uma família. A cidade, com 36 mil habitantes, é a segunda do Estado a decretar emergência --a primeira foi São Gabriel. As aulas em Itaqui estão suspensas.
A decisão foi criticada pelo ministro José Gomes Temporão (Saúde). "Isso cria pânico", disse à Rádio Gaúcha.
Na Dinamarca, o governo confirmou ontem o registro do primeiro caso de gripe suína resistente ao antiviral Tamiflu (princípio ativo oseltamivir). O paciente foi tratado com outro antiviral (do princípio ativo zanamivir) e se recuperou.
O Tamiflu é considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) um tratamento eficaz contra a forma atual da gripe.
Segundo o infectologista Celso Granato, com o uso disseminado do remédio, era esperado que surgisse algum caso de resistência. "Com muita gente tomando o medicamento, ele [vírus] se torna mais resistente."

Falleció en el Maciel primera víctima de gripe A en Uruguai

El Ministerio de Salud Pública informó que falleció la primera persona por gripe A en Montevideo. La mujer de 60 años estaba internada en el hospital Maciel y sufría de otras enfermedades crónicas. Una mujer de 60 años fue la primera víctima fatal de la gripe A, según informó el ayer Ministerio de Salud Pública. Además hay dos personas más en cuidados intensivos en estado delicado una en Maldonado y otra en Paysandú.La fallecida sexagenaria, que permanecía internada en el hospital Maciel, sufría de cardiopatía, diabetes e insuficiencia renal, dijeron a Ultimas Noticias fuentes de la Administración de los Servicios de Salud del Estado (Asse). En un comunicado emitido por Salud Pública se explica que este tipo de desenlace mortal es frecuente en los inviernos. Se observa todos los años y “no depende de la presencia específica del virus pandémico”. A lo que se agrega que la muerte de la mujer se debió a un compromiso multiorgánico por el cual se registró un agravamiento, tal como sucede con cualquier otro proceso infeccioso, sea cual sea su etiología. Hasta el momento, en Uruguay permanecen hospitalizados 12 personas diagnosticadas con el virus H1N1 en Montevideo y el interior del país. Los brotes y casos individuales vienen siendo vigilados por el Departamento de Epidemiología del Ministerio de Salud. Por otra parte, en el comunicado emitido por Salud Pública se reconoce un incremento de las consultas a nivel ambulatorio por cuadros respiratorios de variado origen. En ese sentido, se recomienda además utilizar los servicios ambulatorios en lugar de ir a las puertas de hospitales y sanatorios. Mientras tanto, Paysandú sigue siendo el único departamento del interior del país que registra un brote con más de 15 afectados. Todos los afectados evolucionan de forma benigna en sus respectivos domicilios, salvo la mujer embarazada que está internada en cuidados intensivos de la mutualista Comepa. Según informó la presidenta de ese centro asistencial a Ultimas Noticias, Loida Ponce, la mujer experimenta un cuadro respiratorio grave ya que tiene en curso una neumopatía bilateral. Las autoridades de la Salud sanduceras montaron una carpa militar frente al hospital local y ayer, durante la jornada electoral para las elecciones internas, los delegados de mesa trabajaron con tapabocas.SIN CONTROLESA pesar de la muerte registrada y los casos graves presentados, el Ministerio de Salud Pública reiteró que no se realizarán controles en las fronteras con motivo de las vacaciones de julio, así como tampoco se aconseja restringir los viajes. La única recomendación realizada por las autoridades sanitarias a la población es que se evite concurrir a grandes aglomeraciones de público en espacios mal ventilados, dado que esto favorece la transmisión de cualquier infección respiratoria.La medida tiende a evitar las enfermedades respiratorias que son más fáciles de contraer en personas que se encuentran en espacios menos ventilados; en esa condición también es más fácil el contagio. En el país ya fueron estudiados más de 1.500 casos sospechosos de gripe H1N1, de los cuales ya se confirmaron cerca de 200.

29 de jun de 2009

Província argentina suspende aulas após novas mortes por gripe suína

O governo da Província de Santa Fé, uma das mais populosas da Argentina, suspendeu nesta segunda-feira as aulas em todas as escolas por um período de quinze dias devido ao aumento do número de casos da gripe A (H1N1) --a gripe suína--, que, segundo os dados oficiais, matou 28 pessoas e infectou 1.587 em todo o país. Segundo o jornal "El Clarín", medida semelhante será anunciada nesta tarde para a Província de Buenos Aires.Como no próximo dia 13 de julho têm início as férias de inverno nas escolas e universidades de Santa Fé, os alunos devem ficar sem aulas até o fim do próximo mês.
A medida foi determinada depois do anúncio, no domingo, de que as duas mais recentes mortes em decorrência do vírus da gripe suína na Argentina foram registradas em Santa Fé, Província com cerca de 2,7 milhões de habitantes, a quarta maior da Argentina.
A maior parte dos mortos e infectados são moradores da capital argentina ou de seus subúrbios, que juntos reúnem cerca de 12 milhões de pessoas. Por isso, especialistas e organizações sanitárias pedem que seja declarada uma "emergência nacional" para combater a pandemia.
O jornal "El Clarín" informou, em sua página da internet, que o secretário de Saúde da Província de Buenos Aires, vai assinar nesta tarde para declarar emergência de saúde no maior distrito do país. Ainda se desconhece qual o alcance de aplicação da medida.Muitos dos eleitores que participaram das eleições parlamentares deste domingo foram votar com máscaras, para evitar a doença
Organizações não governamentais de saúde alegam que o número de pessoas infectadas no país "é substancialmente mais elevado" do que informado oficialmente e que os hospitais estão "à beira do colapso".
OMS
O mais recente balanço da OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgado nesta segunda-feira, informa que 70.893 casos de gripe suína --como é chamada a gripe A (H1N1)-- foram registrados em 116 países e territórios. Em 311 casos, os pacientes morreram.
No último dia 12, a organização anunciou que a gripe suína atingiu o nível de pandemia (epidemia generalizada). O termo tem relação apenas com a ampla distribuição geográfica do vírus, e não com a sua periculosidade.
Os Estados Unidos continuam tendo o maior número de casos --27.717--, e passou a ter também o maior número de mortes causadas pela doença --127.
Considerado o epicentro da doença, o México já registrou 8.279 casos de gripe suína, e 116 mortes. No Canadá, foram confirmados 7.775 casos e 21 mortes.
O Chile é o país da América do Sul mais atingido pela doença. Até agora, foram registrados 5.186 casos e sete mortes. No entanto, a Argentina possui o maior número de mortes --28, e 1.587 casos.
Na última terça-feira (23), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, recomendou que sejam adiadas as viagens para esses dois países por causa do risco de contaminação pela gripe suína.
Neste domingo, ele confirmou a morte de uma pessoa em Passo Fundo (RS) devido à doença. É o primeiro caso de morte de uma vítima da doença no Brasil.
Além disso, o ministro afirmou 34 novos casos de gripe suína foram registrados, elevando o total no país para 625.

28 de jun de 2009

Um Golpe no Socialismo

Chego à presidência da República não debaixo da ignomínia de um golpe de Estado mas, sim por um processo de transição absolutamente legal, tal como está contemplado em nossas leis", afirmou Roberto Micheletti, presidente do Congresso, imediatamente após ser empossado como novo presidente de Honduras pelo Parlamento, como manda a constituição hondurenha. "O que fizemos aqui foi um ato democrático porque nosso exército somente cumpriu o que ordenou a Corte da Justiça e os juízes", acrescentou ele, quando foi fortemente aplaudido por seus colegas deputados. "Para o mundo inteiro, nós vamos exigir respeito de qualquer nação que tente pisotear nossa soberania", declarou ainda Micheletti, em meio a novos aplausos de seus colegas.

Para choro e ranger de dentes das ratazanas, não é um golpe militar. Não há nenhuma junta militar. Os militares voltaram para os quartéis. E, se não aparecerem terroristas, guerrilheiros e agentes comunistas infiltrados, lá ficarão, avalizando a volta da democracia, que será plenamente restabelecida em eleições gerais a serem realizadas em janeiro próximo. O único golpe foi no socialismo. Nocaute técnico, sem nariz sangrando.

Fonte - http://coturnonoturno.blogspot.com/2009/06/um-golpe-no-socialismo.html

Chávez advierte a Honduras con la guerra y afirma que la FANB ha sido puesta en alerta

Governo brasileiro condena golpe militar em Honduras

da Folha Online

O governo brasileiro, por meio do Ministério das Relações Exteriores, condenou a ação militar que obrigou o presidente de Honduras, Manuel Zelaya, a sair do país em direção à Costa Rica, na manhã deste domingo (28). A situação hondurenha ainda é incerta.

Em entrevistas concedidas no começo da tarde de hoje, Zelaya negou que tenha pedido asilo político, e disse que foi vítima de um "sequestro brutal" arquitetado por parte do corpo militar do país.

Presidente Lula está acompanhando a situação de Honduras, informa comunicado; governo condena o golpe militar no país. "O governo brasileiro condena de forma veemente a ação militar que resultou na retirada do Presidente de Honduras, José Manuel Zelaya, do Palácio Presidencial em Tegucigalpa no dia de hoje e sua condução para fora do país", informa a nota, encaminhada à imprensa no começo da tarde de hoje.

"Ações militares desse tipo configuram atentado à democracia e não condizem com o desenvolvimento político da região", diz o comunicado. "Eventuais questões de ordem constitucional devem ser resolvidas de forma pacífica, pelo diálogo e no marco da institucionalidade democrática".

O documento diz ainda que o "governo brasileiro solidariza-se com o povo hondurenho e conclama a que o Presidente Zelaya seja imediata e incondicionalmente reposto em suas funções".

Ainda de acordo com a declaração, o presidente Lula acompanha a situação por meio de contatos com outros Chefes de Estado e por intermédio de informações repassadas pelo ministro Celso Amorim.

Deputados nomeiam presidente do Congresso para presidência de Honduras

da Folha Online
com Efe e France Presse

Atualizado às 17h44.

Os poderes Legislativo e Judiciário de Honduras se apressaram em preencher o vazio de poder com a ação militar que expulsou o presidente Manuel Zelaya do país. Enquanto o Supremo Tribunal Eleitoral confirmou as eleições gerais para novembro, com o apoio das Forças Armadas, o Congresso hondurenho já nomeou o presidente do Congresso, Roberto Micheletti, por unanimidade, como novo presidente do país.

Entenda a crise que levou ao afastamento do presidente de Honduras

Edgard Garrido/Reuters
Deputados nomearam Roberto Micheletti, líder do Congresso, como novo presidente do país
Deputados nomearam Roberto Micheletti, líder do Congresso, como novo presidente do país

"Se a origem das ações do dia de hoje estava baseada em uma ordem judicial emitida por um juiz competente, sua execução está dentro dos preceitos legais", afirma comunicado de representantes do Judiciário local, lido em cadeia nacional. As ações "devem se desenvolver contra tudo o que ilegalmente se interponha para devolver o império da lei ao Estado de Honduras", prossegue o texto.

Já no Legislativo, o secretário do Congresso de Honduras, Jose Alberto Saavedra, declarou que Zelaya havia apresentado uma carta de renúncia neste domingo, alegando "problemas de saúde", o que foi desmentido pouco depois pelo próprio Zelaya, em uma entrevista à rede de televisão CNN, em espanhol.

"Nunca renunciei. Sou presidente eleito", afirmou o presidente hondurenho. "[A renúncia] totalmente falsa. Trata-se de uma conspiração política embasada militarmente."

A nomeação de Micheletti segue o preceito constitucional hondurenho de que na ausência total do presidente e de seu vice (neste caso, Elvin Santos, que renunciou em 2008), assume o presidente do Parlamento.

Por unanimidade, os deputados hondurenhos decidiram destituir Zelaya devido a "sua explícita condução irregular" e "por suas reiteradas violações à Constituição e às leis bem como a inobservância das resoluções e sentenças dos órgãos institucionais", de acordo com a declaração lida no Congresso.

Micheletti deve ocupar o cargo "pelo tempo que falta para terminar o período constitucional, que termina no dia 27 de janeiro de 2010". As eleições gerais estão previstas para 29 de novembro deste ano.

Adolescente internada em São Gabriel (RS) com gripe suína continua em estado grave

O estado de saúde da estudante de 14 anos de São Gabriel (RS) diagnosticada com gripe suína --a chamada gripe A (H1N1)-- ainda é considerado grave. De acordo com o HUSM (Hospital Universitário de Santa Maria), no entanto, ela apresenta uma "progressiva e significativa" melhora no seu quadro.
A estudante que está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e respira com a ajuda de equipamentos, mas houve uma redução gradual na necessidade do uso aparelhos. Não há previsão de alta.
A adolescente está no hospital desde o dia 21, e contraiu a doença após uma viagem a Buenos Aires, na Argentina. Segundo o Ministério da Saúde, dos 627 casos da doença no país, 40 são no Rio Grande do Sul.
Morte
O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, confirmou na tarde deste domingo a morte de uma pessoa em Passo Fundo (RS) devido à gripe suína. É o primeiro caso de morte vítima da doença no Brasil. Outros dois exames estão sendo aguardados, um deles de um norte-americano.
O ministro não citou o nome do paciente. Entretanto o Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, informou que se trata do caminhoneiro Vanderlei Vial, 29, que esteve na Argentina a trabalho e retornou no dia 20 ao Brasil.

27 de jun de 2009

RS pode ter registrado 1ª vítima fatal da gripe suína no País

O americano Michael Glenn Brannan, 58 anos, morreu na tarde de sexta-feira no Hospital Unimed Vale do Caí, em Montenegro, distante 60 quilômetros de Porto Alegre, gerando suspeitas de que o óbito fora causado pela gripe suína, ou influenza A H1N1. O caso está em investigação e, conforme a Secretaria Estadual da Saúde e a direção do hospital, a confirmação da causa da morte será informada na segunda-feira, quando estarão prontos os resultados dos exames, inclusive da aspiração naso-faringeo, que poderá confirmar a incidência da Gripe A. A morte pode ser a primeira causada pelo vírus no Brasil. Brannan, que apresentou indícios da doença, era engenheiro mecânico e estava no Rio Grande do Sul em viagem de trabalho. Ele chegou ao Estado em 21 de junho, domingo, porém, na quarta-feira passada foi internado no Hospital Unimed Vale do Caí queixando-se de dores e febre. O paciente entrou em coma no dia seguinte e, posteriormente, faleceu. Gerson Antônio Reis da Silva, presidente do Hospital Unimed Vale do Caí, ressaltou que o homem permaneceu isolado no período da internação.
A Secretaria Estadual da Saúde postou nota no seu site oficial para comunicar o caso na manhã de hoje. Até o momento, o Rio Grande do Sul registra 59 casos da doença. Outros 95 diagnósticos continuam apenas como suspeitos e 37 já foram descartados. São Gabriel, localizada no Centro do Estado, contabiliza 28 contaminados. A cidade já sofre reflexos decorrentes da Gripe A, como pessoas caminhando de máscaras pelas ruas, aulas e eventos suspensos, comércios e hotéis vazios. Porto Alegre, conforme o último levantamento, possui 18 infectados.

O acordo secreto do Brasil com o Irã

No dia 2 de abril, em Londres, enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva apertava a mão de Barack Obama, prometia US$ 10 bilhões ao FMI e ouvia que ele "é o cara", sob os holofotes da mídia internacional, a diplomacia brasileira negociava em Brasília uma forma de ajudar o governo de Mahmoud Ahmadinejad a burlar as sanções americanas contra o regime iraniano. As linhas mestras de um acordo entre Brasil e Irã, que seria assinado durante a visita de Ahmadinejad em maio que acabou adiada, foram delineadas uma semana antes num encontro a portas fechadas no Itamaraty, no dia 25 de março. ISTOÉ obteve a ata da reunião em que o chanceler Celso Amorim e seu colega iraniano Manoucherch Mottaki, acompanhados de assessores, protagonizaram uma cena capaz de abalar as relações entre o Brasil e os Estados Unidos. À revelia das sanções dos EUA e das advertências do Conselho de Segurança da ONU, contrário às transações com instituições financeiras iranianas, Amorim e Mottaki firmaram os termos de uma ampla cooperação entre os sistemas bancários brasileiro e iraniano. O que deixou o ex-chanceler Luiz Felipe Lampreia de cabelos em pé: "Não se pode ignorar uma recomendação do Conselho de Segurança da ONU. Essa negociação com o Irã é como uma pescaria em águas turvas."
O Itamaraty, no entanto, não está nem aí. E em sua ênfase atual nas boas relações com o mundo árabe abriu negociações com o Export Development Bank of Iran (EDBI), que entrou para a "black list" (lista negra) do Departamento do Tesouro americano no final de 2008, ao lado de suas subsidiárias, a corretora EDBI Stock Brokerage Company, a empresa de câmbio EDBI Exchange Company, sediadas em Teerã, e o Banco Internacional de Desarollo, com sede em Caracas, na Venezuela. Além de congelar os ativos dessas empresas em território dos EUA, as sanções proíbem cidadãos americanos de negociar com elas. Não se aplicam, portanto, aos brasileiros. Mas, na opinião de diplomatas e especialistas ouvidos por ISTOÉ, ao furar a barreira o Brasil põe em xeque a política externa dos Estados Unidos.Amorim tem defendido abertamente a equidistância e o pragmatismo nas relações internacionais. Mas o fato de o Itamaraty ter mantido silêncio sobre as negociações com o Irã não corresponde ao histórico da diplomacia brasileira, que normalmente trombeteia qualquer acordo ou negócio com outros países."Esse gesto vai levantar agora muitas suspeitas. Por que o Brasil está fazendo isso?", questiona o analista iraniano Meir Javedanfar, autor de um livro sobre o governo Ahmadinejad e especialista no programa nuclear de seu país. Javedanfar prevê mais tensões na relação do governo Lula com Israel, que protestou contra a visita de Ahmadinejad, e também atritos com o Departamento de Estado americano. Para o exchanceler Lampreia, a diplomacia brasileira se arrisca desnecessariamente. "Agora, que se tornou público, o acordo certamente vai incomodar", diz ele. E vai mesmo, especialmente quando autoridades econômicas e diplomáticas americanas conhecerem o conteúdo das medidas negociadas entre o Itamaraty e o EBDI. O acordo prevê mecanismos financeiros para facilitar a exportação e a importação de bens e serviços, incluindo operações de reexportação para terceiros países (o que permite ao Irã escapar do embargo por uma triangulação comercial), a criação de joint ventures, a abertura de bancos iranianos no Brasil e a assinatura de um acordo entre os bancos centrais para troca de informações sobre o sistema financeiro.
No documento bilateral, as autoridades também falam da "necessidade de buscar meios para superar os prin cipais obstáculos" que impedem os negócios entre os dois países. Na prática, significa ajudar Teerã a obter crédito e garantias bancárias para investimento, que escassearam nos ban cos europeus e americanos com a imposição das sanções. Aos olhos dos serviços de inteligência, por exemplo, as iniciativas de cooperação não passam de artimanhas para ajudar o Irã a contornar as sanções e avançar no seu programa nuclear.
Se essa avaliação beira a paranoia, sendo sucessivamente refutada por Teerã, o fato é que negociar com um banco de desenvolvimento que está na "lista negra" americana não é a melhor forma de pavimentar o caminho para as especiarias do Oriente. "Trata-se de um gesto equivocado do presidente Lula. Há várias formas de se estabelecer parcerias que intensifiquem o comércio bilateral", diz Javedanfar. Um exemplo é o que tem feito a China, que vendeu ao Irã US$ 10 bilhões, entre 2007 e 2008. Foi seguida de perto pela Alemanha (US$ 7 bilhões) e os Emirados Árabes Unidos (US$ 6,6 bilhões). No mesmo período, o Brasil conseguiu US$ 2,2 bilhões. O volume de comércio desses países prova que há maneiras menos explosivas de se estimular as exportações.
"O problema não é econômico, mas político", alerta o brasileiro Salvador GhelfiRaza, professor do Centro de Estudos Hemisféricos de Defesa, um braço acadêmico do Pentágono.
"Ter o direito de fazer um acordo não quer dizer que seja legítimo fazê-lo. Está claro que o governo Lula fez uma opção ideológica", afirma Raza. Ele ressalta que o Export Development Bank of Iran tem financiado diversos projetos em Cuba, El Salvador,
Equador, Bolívia e até montou uma sociedade com a Venezuela: o chamado Banco Internacional de Desarollo, com sede em Caracas. Recentemente, os presidentes Mahmoud Ahmadinejad e Hugo Chávez anunciaram investimento de US$ 200 milhões para projetos econômicos, industriais e de extração mineral conjuntos. Mas a meta do capital conjunto é de US$ 1,2 bilhão.
"Negociar com Ahmadinejad é o mesmo que negociar com Adolf Hitler.
Ele prega o fim do Estado de Israel e o extermínio dos judeus", diz o analista israelense Raphael Israeli, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém. Para ele, a via de comércio aberta pelo governo Lula tem um custo alto, "o de vidas humanas". Israeli se refere às ações de repressão contra os manifestantes que foram às ruas de Teerã para questionar o resultado da eleição que reconduziu Ahmadinejad ao poder, e que terminaram na morte de duas dezenas de pessoas. Mais ponderado, Raza diz que o Brasil trai a sua história ao apoiar um regime opressor que é contra a democracia. "Não acho o Irã um bicho-papão, mas acho que a estrutura Ele prega o fim do Estado de Israel e o extermínio dos judeus", diz o analista israelense Raphael Israeli, professor da Universidade Hebraica de Jerusalém. Para ele, a via de comércio aberta pelo governo Lula tem um custo alto, "o de vidas humanas". Israeli se refere às ações de repressão contra os manifestantes que foram às ruas de Teerã para questionar o resultado da eleição que reconduziu Ahmadinejad ao poder, e que terminaram na morte de duas dezenas de pessoas. Mais ponderado, Raza diz que o Brasil trai a sua história ao apoiar um regime opressor que é contra a democracia. "Não acho o Irã um bicho-papão, mas acho que a estrutura
O chefe da Divisão de Programas de Promoção à Exportação do Itamaraty, Rodrigo de Azevedo, que assinou o acordo com o EBDI, rebate as críticas e diz que o Brasil não vai abrir mão do direito soberano de negociar com quem quer que seja. O governo, segundo ele, não está preocupado se o acordo com o Irã vai afetar as relações com os Estados Unidos. "Nosso ponto de vista é comercial, não político. Além disso, há uma demanda dos empresários brasileiros para negociar com o Irã", garante Azevedo. A única concessão que o Brasil admite fazer, segundo ele, é manter-se afinado com as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas em relação à energia nuclear. O resto é comércio. Reportagem-Claudio Dantas Sequeira.

Senado Federal-Mordomias







Pelo fim da obrigação

Quanto mais o serviço militar voluntário ganha força na Câmara, mais o governo reage.Nas famílias brasileiras de classe média, quando os filhos completam 18 anos, os pais vivem o drama do alistamento militar obrigatório. Quase todos temem o prejuízo para o estudo ou o trabalho com a interrupção de um ano para prestar o serviço nos quartéis. Nos lares das classes mais baixas, o tormento é o risco de perder o emprego de soldado para os concorrentes - já que a oportunidade é vista como uma das poucas chances de fugir da exclusão do mercado de trabalho. Entre o pesadelo e o sonho, uma certeza: a obrigatoriedade significa para o cidadão um cerceamento à liberdade de escolha, seja para aqueles sem vocação, seja para os jovens que almejam a carreira militar. Vários países - sobretudo no mundo desenvolvido - aboliram a obrigatoriedade (em tempos de paz) e outros encontraram saídas menos impositivas. Mas o Brasil está atrasado. Bastou a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovar a proposta de emenda constitucional que institui o serviço militar facultativo para homens e mulheres de 17 a 45 anos para provocar uma forte reação do governo.A derrubada do serviço militar na CCJ é significativa e um sinal de que, no plenário, a tese de que se o alistamento for voluntário só atrairia pobres e analfabetos, como argumentam as Forças Armadas e se agarra o Ministério da Defesa, não é forte o suficiente para convencer a sociedade de que a melhor opção é continuar arrancando a vocação à força, todo ano, de 1,6 milhão de rapazes. "Os jovens de hoje buscam uma carreira cada vez mais cedo. Muitas vezes eles querem servir à pátria, não como soldados, mas como engenheiros e médicos", afirma o deputado Efraim Filho (DEM-PB), relator da emenda.
Além da qualidade do contingente, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica temem uma redução abrupta dos efetivos brasileiros. "Hoje, um país forte é aquele que possui um Exército profissional", rebate Efraim.
Jobim e o ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, ao traçar a Estratégia Nacional de Defesa, marcham em direção oposta à proposta de Efraim e determinaram "o reforço" do serviço militar obrigatório.
O gabinete de Jobim está trabalhando nas regras que definirão o novo perfil socioeconômico dos militares, dentro do espírito que Mangabeira chama de "nivelador republicano". O objetivo é evitar que os filhos de políticos ou grandes empresários escapem de se alistar, como sempre ocorreu. O que Jobim e Mangabeira ignoram é que para a elite a retomada de uma carreira ou dos estudos é muito mais fácil. Ao contrário da classe média e daqueles jovens mais pobres que - sem conseguir a vaga de recruta - são empurrados para outras atividades. Até para o crime.
Mas a emenda de autoria do deputado Silvinho Peccioli (DEM-SP)não é uma iniciativa isolada. Há pelo menos oito propostas com conteúdo semelhante tramitando no Congresso. Além disso, aguardam decisão do Supremo Tribunal Federal 41 ações contra o atual modelo de recrutamento, a baixa remuneração dos recrutas e os parcos benefícios. Os processos entrariam na pauta no início deste mês, mas acabaram sendo adiados por pressão da caserna. Mesmo quem já serviu defende a liberdade de escolha. "Servi, mas me arrependi. Eu estava no 3º ano do ensino médio quando me alistei e foi muito cansativo. Perdia várias aulas, e meu desempenho caiu", afirma o designer gráfico Márcio Adriano Souza Silva. Embora diga que aprendeu muita coisa no Exército, Silva, 27 anos, não recomenda a experiência ao irmão mais novo. "Meu irmão tem um bom emprego. Não vale a pena largar o trabalho", diz.
O mecânico Vanderson Portela, 33 anos, sempre quis servir, mas também concorda que o ideal é o alistamento voluntário. "Quando me alistei, não tinha nem o ensino fundamental completo", diz, refletindo as estatísticas que mostram que apenas 24% dos alistados completaram esse nível educacional.
"Dentro do quartel consegui estudar, aprender uma profissão e viajar para outros países", conta Portela, que acabou ficando nove anos no Exército e chegou a integrar o contingente brasileiro na missão de paz das Nações Unidas em Angola, entre 1995 e 1997. "Mas quem não queria servir acabava dando trabalho e tirando a vaga de quem estava a fim. Acho que seria uma boa se fosse facultativo", comenta.
O administrador Alan Alves Lopes pensa diferente. Vindo de uma família de classe média baixa, ele diz que encontrou no Exército a possibilidade de ter uma profissão e oferecer uma vida melhor para a família.
"Para mim, foi uma boa oportunidade. Me formei e comecei a trabalhar com administração pública, com licitações dentro do Exército", afirma Lopes, que até hoje presta serviço para a caserna. Rafael Wescley, 18 anos, porém, é frontalmente contrário ao serviço obrigatório: "Eu já estou estagiando e ainda estudo à noite. Se tiver que servir, só vou perder."
O estudo "Serviço Militar Obrigatório Versus Serviço Militar Voluntário: O Grande Dilema", dos consultores legislativos Fernando Carlos Wanderley e Sérgio Fernandes Senna, simpático às Forças Armadas, mostra que os países que instituíram o serviço militar voluntário tiveram que elevar salários para atrair os recrutas. Sem dúvida, é um argumento a favor dos militares.
Mas não responde a uma questão básica: pode o País, em tempos de paz, diante dos desafios econômicos do século XXI, dispor de um ano de vida de seus cidadãos de 18 anos e dizer o que é melhor para eles? Reportagem- Claudio Dantas Sequeira

CQC - Danilo Gentile - Atos Secretos do Senado

26 de jun de 2009

Buscas por vítimas do voo 447 da Air France são encerradas

Veja a nota oficial sobre o encerramento das buscas:

O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informam que, ao final do dia de hoje, 26 de junho, foi oficialmente dada por encerrada a maior e mais complexa Operação de Busca e Resgate já realizada pelas forças armadas brasileiras em área marítima, tanto no aspecto duração quanto na magnitude de meios empregados. Nesses 26 dias de buscas aos passageiros e tripulantes do voo Air France 447, que desapareceu quando voava na rota Rio de Janeiro (RJ) – Paris (França), na noite de 31 de maio de 2009, foram resgatados 51 corpos e mais de 600 partes e componentes estruturais da aeronave, além de bagagens diversas. A razão técnica que determinou o término das buscas é a impraticabilidade de se avistarem sobreviventes ou corpos, objetivo primordial da Operação, já decorridos 26 dias do acidente. Do dia 12 de junho ao dia 26, período de 15 dias, apenas dois corpos foram resgatados, sendo o último no dia 17. Nos últimos nove dias, nenhum corpo ou despojo foi avistado. Os 51 corpos resgatados foram entregues à Policia Federal e à Secretaria de Defesa Social de Pernambuco para os trabalhos de identificação. Os destroços da aeronave e as bagagens recolhidas foram entregues ao Bureau D´Enquêtes et D´Analises Pour la Securité de I´Aviation Civile (BEA). A investigação sobre os fatores que contribuíram para o acidente também é de responsabilidade do BEA e conta com o apoio do setor correspondente no Brasil, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA). Em 26 dias de operação continuada sob responsabilidade do Brasil, em atendimento a compromissos internacionais de busca e salvamento, a Força Aérea Brasileira utilizou 12 aeronaves e contou com o apoio de aviões da França, dos EUA e da Espanha. A Marinha do Brasil atuou com 11 navios em revezamento na área de buscas, totalizando cerca de 35 mil milhas navegadas, aproximadamente oito vezes a extensão da costa brasileira. Foram voadas cerca de 1500 horas, tendo sido realizadas buscas visuais numa área correspondente a 350 mil quilômetros quadrados, mais de três vezes a dimensão do estado de Pernambuco. O avião R-99, por sua vez, realizou busca eletrônica numa área correspondente a dois milhões de quilômetros quadrados, oito vezes a dimensão do estado de São Paulo. Foram diretamente envolvidos na Operação 1.344 militares da Marinha do Brasil e 268 da FAB, perfazendo mais de 1.600 profissionais nas tarefas de busca, resgate e suporte a essas atividades. Permanecem na área de buscas os meios navais dedicados a captar emissões das caixas de dados e voz da aeronave acidentada, coordenados pela França. Toda a Operação de busca esteve sob a responsabilidade direta do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), por meio do SALVAERO Recife em coordenação com o SALVAMAR Nordeste, e atendeu ao previsto no anexo 12 da Convenção de Chicago, efetivado em 1950, que estabelece o compromisso dos países signatários com as operações de busca e salvamento nas suas áreas de jurisdição. Conscientes de suas atribuições, os tripulantes e demais integrantes do Comando da Marinha e do Comando da Aeronáutica fazem do seu labor nessa jornada a maneira justa de ofertar reverência à dor que marca famílias brasileiras e a comunidade internacional. CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA AERONÁUTICA

Exército irá apenas a áreas já vasculhadas no Araguaia

Comando diz que não há documentos que apontem novos lugares para buscas
Para Tarso, major Curió, que afirma que 41 guerrilheiros foram mortos após rendidos, deve ser procurado para ajudar a localizar os corpos.A expedição comandada pelo Exército que buscará em julho os corpos de guerrilheiros do Araguaia percorrerá apenas pontos conhecidos e escavará lugares já vasculhados em expedições anteriores.
A decisão foi tomada pelo comando do Exército. Como alega não ter documentos que mostrem os locais onde os corpos foram enterrados ou abandonados, o Exército não poderia agora, segundo esse entendimento, apontar novos pontos além dos já indicados por historiadores e relatórios de buscas anteriores, realizadas por civis.
É judicial a ordem para o governo federal abrir os arquivos da campanha do Araguaia e devolver às famílias os corpos dos guerrilheiros desaparecidos.
Em 2003, a juíza Solange Salgado, da Justiça Federal em Brasília, estipulou, em sentença de primeira instância, 120 dias para que sua determinação fosse cumprida. Passados seis anos, ainda não houve obediência à determinação judicial.
Por meio da AGU (Advocacia Geral da União), o governo recorreu duas vezes, ao TRF (Tribunal Regional Federal) e ao STJ (Superior Tribunal de Justiça). Perdeu nos dois recursos.
Sem ter mais como recorrer, o Ministério da Defesa, em maio, determinou ao Exército a criação de um grupo de trabalho para as buscas.
Historiadores calculam que cerca de 60 guerrilheiros do então clandestino PC do B foram mortos, na primeira metade dos anos 70, na região do Araguaia -sudeste do Pará, sul do Maranhão e norte de Tocantins, à época Goiás. A guerrilha rural foi reprimida por tropas militares. Os corpos dos desaparecidos jamais apareceram, exceto o de Maria Lúcia Petit -morta em 1972-, desenterrada em Xambioá (TO).
Quatro regiões foram mapeadas para as próximas buscas: Xambioá (norte de Tocantins, a cerca de 500 km de Palmas), São Geraldo do Araguaia (sudeste do Pará, a cerca de 600 km de Belém), a serra das Andorinhas (no Pará, entre São Geraldo e São Domingos do Araguaia) e a fazenda Bacaba, na rodovia Transamazônica, no trecho entre Marabá (PA) e a divisa do Pará com Tocantins. Outras ainda poderão ser acrescentadas ao roteiro.
Haverá 14 áreas de escavação. Algumas são bem conhecido dos estudiosos, como o cemitério de Xambioá, a antiga base militar da cidade, a reserva indígena Sororó (PA) e a própria Bacaba, onde funcionava na década de 70 uma espécie de acampamento dos combatentes militares do Araguaia.
O Exército decidiu ainda que não se envolverá com as buscas diretas. A Brigada de Infantaria de Selva de Marabá dará o apoio logístico à expedição, com suportes de comunicação, transportes, alimentação, saúde e segurança. O trabalho de busca e a escavação ficarão a cargo de antropólogos forenses, geólogos, médicos legistas e peritos criminais.
Os profissionais deverão ser cedidos pela Universidade de Brasília, pela Polícia Civil do Distrito Federal, pela Polícia Federal e pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, instituição de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, com sede em Belém. A ideia é ter de 10 a 12 especialistas.
Haverá ainda observadores convidados pela Defesa. Entre eles, parentes de guerrilheiros.
Ontem, o ministro Tarso Genro (Justiça) afirmou que o militar Sebastião Curió Rodrigues de Moura, conhecido como major Curió, pode ajudar na localização dos corpos.
Tarso disse que o depoimento do militar, segundo quem 41 guerrilheiros foram mortos após rendidos, "confirmam os depoimentos que têm sido dados pelos camponeses [da região, obrigados a ajudar os militares]". "Vamos procurar o Curió para colhermos, se ele quiser, um depoimento."

La OMS informó que ya suman casi 60.000 los casos de gripe A

El organismo indicó que entre ellos hay 263 personas muertas y afecta a 113 países; la Argentina se mantiene tercera en cantidad de fallecimientos.GINEBRA.- Los casos de gripe AH1N1 ascienden ya a casi 60.000 en 113 países, y entre ellos 263 personas han muerto, según el balance publicado hoy por la Organización Mundial de la Salud.
Ello significa que desde el anterior balance, difundido hace dos días, se han registrado 3.949 nuevos casos de la gripe A elevándose a 59.814, y ha habido 25 nuevos fallecimientos.
EE.UU. sigue encabezando la lista por número de casos confirmados (21.449, con 87 muertos), pero se ha mantenido estable las últimas horas.
Sin embargo, el mayor aumento en los dos últimos días se ha dado en Chile y en la Argentina. Chile ha tenido 871 casos nuevos en los últimos dos días, lo que eleva el total a 5186, de los cuáles 8 personas han muerto.
En la Argentina, los casos fatales a hoy suman 23, mientras que hay 1488 enfermos.
En el Reino Unido, el país europeo más afectado, también ha habido un fuerte salto en dos días, con 692 nuevos casos, lo que lleva el total a 3597 infectados, aunque sólo un fallecimiento.
En México hay 8279 casos, de ellos 432 suplementarios, y 116 fallecidos, mientras en Canadá se han confirmado 6732 casos, 275 de ellos desde el miércoles pasado y 19 muertos.

Câmara aprova moção de apoio às Forças Armadas

A iniciativa, que partiu do DEM, reconhece o trabalho dos militares na busca de corpos e destroços do acidente da Air France no final do mês passado.

O Plenário aprovou por unanimidade, nesta terça-feira, uma moção de apoio do DEM às Forças Armadas, em reconhecimento aos trabalhos desenvolvidos na busca de vítimas e dos destroços do acidente com o avião da Air France ocorrido no dia 31 de maio.

Ao se manifestar favoravelmente à moção, o deputado José Genoíno (PT-SP) defendeu a melhoria da remuneração dos militares e pediu que projetos estratégicos das Forças Armadas não sejam contingenciados. A revisão do pagamento dos militares também foi defendida pelo deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ).

O Airbus da Air France que partiu do Rio de Janeiro na noite do dia 31 de maio, em direção a Paris, caiu sobre o Oceano Atlântico quase quatro horas depois de decolar. A bordo, estavam 228 pessoas, e nenhuma sobreviveu. As Forças Armadas brasileiras vêm tendo destaque nos trabalhos de busca dos corpos e dos destroços. Da operação, participam também militares da França.

Rotina
Para o deputado Lira Maia (DEM-PA), a moção "sublinha um trabalho que todos acompanham, mas que é um trabalho cotidiano das Forças Armadas".

O líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), classificou de corajosa a iniciativa das Forças Armadas de começar as buscas prontamente para minimizar o sofrimento dos parentes das vítimas, que não tinham informação alguma sobre o acidente. "As ações dos militares brasileiros são um ato de coragem, com voos em altitudes menores que 300 metros", ressaltou.

Reportagem - Eduardo Piovesan
Edição - João Pitella Junior

25 de jun de 2009

Com mais 53 casos, Ministério da Saúde confirma 452 infectados por gripe suína

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira que foram confirmados mais 53 casos de gripe suína --a chamada gripe A (H1N1)-- e eleva para 452 o número de casos de pessoas contaminadas pelo vírus no Brasil.De acordo com o governo federal os novos casos foram confirmados nos Estados de São Paulo (31), Rio Grande do Sul (11), Minas Gerais (7), Rio de Janeiro (2), Ceará (1), Distrito Federal (1) e Goiás (1).Os casos informados ao Ministério da Saúde foram confirmados pelos três laboratórios de referência para o diagnóstico da gripe --Fundação Oswaldo Cruz, no Rio, Instituto Evandro Chagas, no Pará, e Instituto Adolf Lutz, em São Paulo, além das secretarias de saúde.Do total de casos confirmados, dois pacientes do Rio Grande do Sul continuam estão internados. A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul monitora a evolução do quadro clínico dos pacientes. Os dois casos foram infectados no exterior, segundo o ministério.Outros 310 casos suspeitos são monitorados no país. As amostras com secreções respiratórias dos pacientes estão em análise laboratorial. Outros 677 casos foram descartados, até o momento.

Morre Michael Jackson, aos 50 anos, nos EUA

O cantor Michael Jackson morreu nesta quinta-feira (25). Segundo o Instituto Médico Legal de Los Angeles, nos Estados Unidos, que confirmou a morte, Jackson sofreu uma parada cardíaca em sua casa durante a tarde de hoje.
A informação foi publicada em primeira mão pelo site de celebridades TMZ. Segundo o jornal "Los Angeles Times", Jackson chegou ao hospital UCLA Medical Center, em Los Angeles, por volta das 16h, no horário de Brasília, e morreu às 17h07. Brian Oxman, um dos advogados da família Jackson, disse à "CNN" que foi informado por Randy Jackson, irmão do cantor, que Michael sofreu o colapso em casa.
De acordo com informações agência de notícias Efe, o serviço de emergência de Los Angeles recebeu um telefone da casa do cantor, em Holmby Hills.Segundo o "Los Angeles Times", a família de Jackson está toda no local. Em frente ao hospital, centenas de pessoas -entre fãs e curiosos- fazem plantão, em busca de informações.
O acesso ao setor de emergência do hospital foi bloqueado durante a tarde pela polícia, e os jornalistas que foram ao local estavam sendo mantidos a distância.
Paramédicos afirmam que Jackson não respirava no momento do resgate, quando teria sofrido um ataque cardíaco.

Argentina detecta vírus da gripe suína em porcos

O vírus da gripe suína, denominado oficialmente A (H1N1), foi detectado pela primeira vez em porcos de uma criação na Argentina, informou nesta quinta-feira o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa).
A nova doença ficou conhecida como gripe suína por acreditar-se que era um vírus originado nos porcos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) decidiu, contudo, mudar o nome da doença após confirmar que não é possível ser contaminado com consumo de carne cozida de porco e que não há um foco reconhecido da doença no animal.
Os porcos estavam "em um estabelecimento de produção suína da província de Buenos Aires" e "a partir desta situação se procedeu a interditar o estabelecimento para observar a evolução da doença e determinar as medidas a ser adotadas", acrescentou.
"A suspeita de presença da doença foi confirmada por análise de laboratório", acrescentou o Senasa antes de lembrar que a gripe "não se transmite pelo consumo de carne de porco, tal qual confirmam a OMS e a Organização Mundial para a Agricultura e a Alimentação (FAO)".
Análises de laboratório do Instituto Malbrán confirmaram a presença do vírus a partir de mostras isoladas dos porcos, enviadas por técnicos do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (Inta).
Marcelo Blumenfeld, integrante da Sociedade Argentina de Infectologia, explicou que a detecção da gripe em um porco só adquire relevância porque a cepa identificada no animal é a mesma que desencadeou a pandemia.
"É habitual que os porcos tenham gripe, tanto que não há necessidade de denunciá-la. Nem mesmo é alarmante que seja o vírus H1N1, já que se trata de um tipo comum do qual existem muitas variantes", afirmou.
Segundo a imprensa, os porcos foram contaminados por algum criador com gripe suína. Até agora, apenas um caso similar foi registrado, em uma fazenda do Canadá, no início de maio.
A gripe suína já deixou 21 mortos na Argentina, a grande maioria na capital do país e na província de Buenos Aires, de acordo com o boletim oficial divulgado nesta quarta-feira, segundo o qual há um total de 1.391 contagiados.

24 de jun de 2009

Com 65 novos casos, Brasil tem 399 com gripe suína

O Ministério da Saúde confirmou hoje mais 65 casos de gripe suína no Brasil. Com isso, o total de pacientes com o diagnóstico no País chega a 399. A maioria dos novos casos foi confirmada no Estado de São Paulo: 26. Os demais são de Minas Gerais (10), Rio Grande do Sul (9), Paraná (4), Santa Catarina (4), Rio de Janeiro (3), Sergipe (3), Alagoas (2), Paraíba (2), Bahia (1) e Pernambuco (1). Do total de casos confirmados, dois pacientes do Rio Grande do Sul estão internados. Eles foram infectados no exterior e são acompanhados pela Secretaria Estadual de Saúde. Os Estados que apresentam os maiores números de pacientes com a gripe são o de São Paulo (186), Minas Gerais (52), Rio de Janeiro (46), Santa Catarina (40) e Rio Grande do Sul (16). Outros 310 casos suspeitos estão sendo acompanhados pelo Ministério da Saúde.

Portal da Transparência do Senado


O Portal da Transparência do Senado Federal, sítio eletrônico à disposição da sociedade na Rede Mundial de Computadores – Internet, tem por finalidade veicular dados e informações detalhados sobre a gestão administrativa e a execução orçamentária e financeira do Senado Federal, compreendendo, entre outros, os gastos efetuados por seus órgãos, inclusive os supervisionados, bem como por suas unidades integrantes.

Informamos que este Portal está em constante aprimoramento.
http://www.senado.gov.br/sf/portaltransparencia/sobreoportal.asp

23 de jun de 2009

Son 17 los muertos por la influenza A en la Argentina

El Ministerio de Salud de la Nación informó esta noche que se produjeron siete nuevos decesos por gripe A por lo que en el país hay un total de 17 fallecimientos por el virus H1N1.
En un nuevo parte distribuido esta noche informó que del nuevo total existen cuatro personas domiciliadas en la Capital y trece en la provincia de Buenos Aires.
Asimismo, verificaron 81 nuevos contagios por la enfermedad por lo que el nuevo total de personas afectadas en el país es de 1294.
Por otra parte, indicaron que a la fecha hay 102 personas internadas con resultados positivos al virus H1N1 y que otras 201 hospitalizadas, aún permanecen en estudio por el Instituto Malbrán.
Casi el 46% del total de los afectados comprende las edades de entre 5 y 14 años.

Com 94 casos em um dia, contaminados por nova gripe chegam a 334 no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou mais 94 casos de infecção pelo vírus influenza A (H1N1) no Brasil, nesta terça-feira (23). Os novos casos estão nos estados de São Paulo (50), Minas Gerais (17), Rio de Janeiro (13), Santa Catarina (4), Bahia (2), Espírito Santo (2), Paraná (2), Alagoas (1), Goiás (1), Rio Grande do Sul (1) e Sergipe (1).Com os novos casos informados, o número de infectados pela doença no Brasil chega a 334. Ontem, o número de infectados era 240. Segundo o ministério, pessoas que tiveram contato próximo com esses pacientes estão sendo monitoradas.
O Ministério da Saúde recomenda que crianças menores de dois anos, idosos, gestantes, pessoas imunodeprimidas, diabéticos, cardioapatas, pneumopatas e renais crônicos adiem as viagens para os países onde circula o vírus da nova gripe ( Estados Unidos, México, Canadá, Chile, Argentina e Austrália). Para o ministério, esses pacientes apresentam maior risco de desenvolver formas graves da doença. Dos casos já informados pelo ministério, dois pacientes do Rio Grande do Sul, infectados no exterior, estão internados.O Ministério informou que acompanha o caso da moradora de 14 anos do município de São Gabriel internada na Unidade de terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Santa Maria. O estado da paciente é considerado grave. Segundo o Ministério, a menor contraiu o vírus no exterior. Atualmente há 218 casos suspeitos no País. As amostras das secreções respiratórias dessas pessoas estão em análise laboratorial. Outros 656 já foram descartados.

Aluna Larissa do Colégio Militar do Recife é campeã do Soletrando 2009

Recife (PE) - Numa final emocionante e muito disputada, após uma série de eliminatórias em que enfrentou estudantes de todo o Brasil, a Aluna Larissa Oliveira, do Colégio Militar do Recife (CMR), conquistou brilhantemente, neste sábado (20 de junho de 2009) o Concurso Nacional de Soletração promovido pelo programa televisivo Caldeirão do Huck, da TV Globo – o famoso Soletrando. Coroamento de uma intensa e bem planejada preparação, esta conquista é emblemática da excelência do Sistema Colégio Militar do Brasil (SCMB), que preza valores como dedicação aos estudos, responsabilidade, perseverança e disciplina.

A segurança e a desenvoltura da aluna do 9° Ano do CMR encantaram os telespectadores do Brasil, a imensa torcida do SCMB, o apresentador Luciano Huck e toda a sua equipe, de que fazem parte o professor Sérgio Nogueira e a cantora Sandy. Estudiosa e disciplinada, a simpática e inteligente jovem, nascida no Recife, enfrentou dois competentes alunos: Bruno, representante do Rio de Janeiro, e Pedro Henrique, do Ceará. Com todos os méritos, torna-se a primeira representante feminina e aluna da Região Nordeste a alcançar tal feito nos três anos do Programa. A aluna, também, em um gesto de extrema solidariedade realizou a doação de parte do seu prêmio aos seus companheiros de disputa, sendo esta atitude uma demonstração de uma formação exemplar.

Fonte - http://www.exercito.gov.br/05notic/paineis/2009/06jun/soletrando.html

Brasil controla a los pasajeros que llegan de Buenos Aires por la gripe A

¿Tuvo tos? ¿Tiene fiebre? ¿Síntomas de gripe? Esas son algunas de las preguntas que las autoridades migratorias brasileñas le hacen a los pasajeros que llegan desde Argentina por cualquier medio de transporte. Es que Brasil acaba de tomar una serie de medidas especiales para controlar a los pasajeros que procedan de Buenos Aires por la gripe A. La paranoia de los brasileños aumentó la última semana cuando verificaron que la mayoría de los nuevos contagios en este país, según informan todos los diarios y noticieros de televisión brasileños, se dieron en personas que habían viajado a la Argentina. Las nuevas medidas migratorias impuestas por Brasil incluyen completar un formulario especial; aislar a cualquier persona que tenga síntomas de gripe; y la entrega por parte de las aerolíneas de las listas completas de pasajeros con números de teléfono y personas de contacto. Aunque los refuerzos están puestos en los aeropuertos ya que el mayor contagio se puede producir durante un viaje en avión en el que sólo se renueva el 40 por ciento del aire, las medidas se aplican a todos aquellos que provengan de Argentina ya sea por tierra, mar o aire. Hoy, el intendente de la ciudad de Sao Gabriel de Rio Grande del Sur, de 60.000 habitantes, suspendió todas las actividades sociales, laborales y escolares tras detectar 18 casos de contaminación, todos en personas que habían visitado nuestro país. En Río de Janeiro, la empresa Vale (ex Vale do Rio Doce) suspendió las actividades de sus oficinas centrales luego que un empleado, que procedía de Buenos Aires, contrajo la gripe porcina. En San Pablo, tres colegios privados dieron por cerradas las clases al anticipar las vacaciones de invierno después que se declaró la influenza A en jóvenes que habían viajado a Argentina. En total en Brasil hay 240 casos (sobre un total de 200 millones de habitantes) y la mayoría se originó por contagios en Argentina. Durante un mes, el número de contagios en Brasil se mantuvo en no más de una decena. Pero la semana pasada registró una explosión. Ayer, por ejemplo, el Ministerio de Salud brasileño registró 25 nuevos casos en apenas un día. Todos ellos son contagios por contacto con personas que hicieron turismo en Buenos Aires durante los últimos feriados largos.

Prefeitura de São Gabriel - RS decreta situação de emergência

A suspeita de 17 pessoas contaminadas com a nova gripe em São Gabriel levou a prefeitura a decretar situação de emergência nesta segunda-feira. Na prática, isso significa que, a partir desta terça-feira, as aulas em todas as escolas e creches da cidade estão suspensas por tempo indeterminado.

Eventos com aglomeração de pessoas, como festas, shows e cultos religiosos, estão proibidos. Consultas agendadas em postos de saúde estão canceladas. Só serão atendidos casos de urgência e emergência. A medida tem como objetivo evitar uma possível proliferação do vírus.

O primeiro caso suspeito na cidade foi de uma adolescente de 14 anos, que está internada na UTI do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm). Os pais dela estão em isolamento domiciliar porque também estão com sintomas suspeitos da gripe A.

O pronto-socorro do Husm atendeu, na manhã desta segunda-feira, 10 pacientes da Região Central que, desde domingo, estão com suspeita da gripe A. Entre eles, está um casal que teve as suspeitas descartadas devido à comprovação de que está com intoxicação alimentar.

Outras sete pessoas tiveram amostras de secreções nasais recolhidas para que o material seja encaminhado para o Laboratório Central do Estado, que fica em Porto Alegre. Os resultados dos exames devem ser divulgados até quinta-feira, dia 25.

22 de jun de 2009

Confirman otros tres muertos y ya son diez los casos fatales de Gripe A

La Gripe A no detiene su marcha. Las autoridades confirmaron esta noche tres nuevas muertes a causa del virus, por lo que ya son diez los casos fatales en nuestro país. De acuerdo al parte diario suministrado por la cartera, dos de las víctimas residían en el Gran Buenos Aires y la restante, en Capital. De esta manera, el total de infectados en todo el país trepa a 1.213 pacientes. El Instituto Malbrán, en tanto, tiene para su análisis 967 muestras de casos considerados sospechosos. La Argentina es el país sudamericano con mayor cantidad de muertos en el continente por el virus, registrado también en otras 100 naciones y que causó, desde el 26 de abril pasado, 235 fallecidos y 53.248 infectados. Más temprano, autoridades sanitarias de Jujuy, San Luis y La Pampa confirmaron los primeros casos de la enfermedad. Hasta el momento, sin embargo, sólo se han reportado víctimas fatales en el Area Metropolitana. El caso confirmado en Jujuy corresponde a un hombre de 40 años, que días antes había viajado a la provincia de Buenos Aires. Por su parte, el director general de Salud de La Pampa, Raúl Alvarez, dijo a DyN que tres personas, todas adultos y habitantes de Santa Rosa, desarrollaron el virus.

Depois de rendidos, 41 foram mortos no Araguaia, diz Curió

O arquivo pessoal do militar Sebastião Curió Rodrigues de Moura, conhecido como major Curió, contém informações de que 41 integrantes da Guerrilha do Araguaia, comandada por membros do PC do B de 1972 a 1975, foram executados pelas forças militares do governo, no norte do Estado de Tocantins, segundo reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo" publicada ontem. Curió participou da repressão à guerrilha.
De acordo com a publicação, o acervo de Curió permite acrescentar 16 nomes à lista conhecida de 25 guerrilheiros do Araguaia mortos pela ditadura. O arquivo indica que os militantes foram executados quando já não ofereciam resistência, segundo a reportagem.
As informações surgem às vésperas do início de buscas de corpos de guerrilheiros pelo Ministério da Defesa no Araguaia. O trabalho será realizado para dar cumprimento a uma decisão da Justiça Federal. Pelo cronograma inicial do ministério, a primeira fase de buscas na região do Araguaia será realizada de 6 a 17 de julho.
Sobre a notícia a respeito do arquivo de Curió, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse ontem, por meio da assessoria de imprensa do ministério: "Toda colaboração com elementos para ajudar na elucidação dos fatos é extraordinária. Nós apoiamos e estimulamos divulgações como essas.Militares criticam decisão de reabrir investigações.O general Gilberto Barbosa de Figueiredo, presidente do Clube Militar, entidade que reúne militares da ativa e da reserva, criticou a reabertura das investigações sobre desaparecidos políticos pelo Ministério Público Militar.
Figueiredo disse que, mesmo sem conhecer os detalhes dos casos, é possível dizer que, "a priori, isso é coisa de gente que quer aparecer".
"É óbvio que, passados mais de trinta anos, não há condições para apurar coisa nenhuma. O coronel Ustra é a bola da vez, todo mundo quer tirar uma casquinha dele para aparecer na imprensa. Não vejo um motivo prático para mexer nisso agora", afirmou o general.
Jarbas Passarinho, ex-ministro em três mandatos do regime militar e coronel reformado, também fez críticas aos desarquivamentos. "Essa é uma ação unilateral, que não se justifica do ponto de vista do direito", disse.
Passarinho afirmou que a Lei de Anistia refere-se a "crimes conexos" e que eventuais sequestros cometidos por militares foram anistiados por essa legislação. "Houve uma solução de acordo, de natureza política, entre oposição e governo [à época da Lei de Anistia]. Não pode haver o crime continuado nem o crime imprescritível se eles foram anistiados. Para nós, foram anistiados os exageros de um lado e do outro lado", disse.
Paulo Esteves, advogado de Carlos Alberto Brilhante Ustra, afirmou que o militar não foi responsável por sequestros supostamente ocorridos no regime militar. Segundo Esteves, Ustra "já afirmou em outros procedimentos que nunca participou de atos que possam ter determinado morte ou desaparecimento de qualquer pessoa que estivesse submetida a órgãos que ele comandou". A reportagem não localizou a defesa do militar Aldir Santos Maciel.

Confira as principais perguntas e respostas sobre a gripe A


No Brasil, já são 215 casos confirmados Com os 35 novos casos confirmados esta semana, o total acumulado de pessoas infectadas com o vírus H1N1 no País chega a 215. Em todos os casos, estão sendo realizados busca ativa e monitoramento de todas as pessoas que estabeleceram contato próximo com esses pacientes. O Ministério da Saúde informou que acompanha, ainda, 221 casos suspeitos no Brasil. As amostras com secreções respiratórias dos pacientes estão em análise laboratorial. Além disso, 560 casos foram descartados até o momento. Devido ao volume de novos casos confirmados, as informações sobre o tipo de transmissão – se foi autóctone (ocorrida dentro do território nacional) ou se são casos importados – passarão a ser divulgada a partir desta segunda-feira. Até o boletim da última sexta-feira o País tinha registrado 23 casos autóctones, todos com vínculo epidemiológico com pacientes procedentes do exterior. Desse modo, o Ministério da Saúde considera que, até o momento, a transmissão no Brasil é limitada, sem evidências de sustentabilidade da transmissão do vírus da Influenza A (H1N1) de pessoa a pessoa. 95 países estão infectados A Organização Mundial da Saúde divulgou que 95 países têm casos confirmados e divulgados da doença. Desse total, 35 têm casos autóctones: Europa (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Estônia, França, Alemanha, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido); Américas (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Panamá, Peru e Uruguai); Ásia (Japão); África (Egito) e Oceania (Austrália).
Segundo a OMS, México, EUA, Canadá e Austrália são considerados os países com transmissão sustentada.
Confira as principais perguntas e respostas sobre a gripe A
1. O que é a influenza A (H1N1)? É uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus A (H1N1). Este novo subtipo do vírus da influenza, assim como a gripe comum, é transmitido de pessoa a pessoa principalmente por meio de tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.
2. Quais os sintomas que definem um caso suspeito de influenza A (H1N1)?
Febre alta de maneira repentina (maior que 38ºC) e tosse podendo estar acompanhadas de algum dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dificuldade respiratória; e ter apresentado esses sintomas até 10 dias após sair de países que reportaram casos pela influenza A (H1N1); ou ter tido contato próximo nos últimos 10 dias com pessoa classificada como caso suspeito de infecção humana pelo novo subtipo de influenza.
3. Em quanto tempo, a partir da transmissão, os sintomas aparecem?
Os sintomas podem iniciar no período de 3 a 7 dias após contato com esse novo subtipo do vírus e a transmissão ocorre, principalmente, em locais fechados.
4. Há uma vacina que possa proteger a população humana contra essa doença? Não. Não existe vacina contra esse novo subtipo de vírus da influenza. Há pesquisas em andamento, mas não há previsão para o desenvolvimento desta vacina.
5. A vacina contra gripe comum protege contra a influenza A (H1N1)?
Não há, até o momento, nenhuma evidência de que a vacina contra gripe comum proteja contra gripe do vírus A (H1N1).
6. Há tratamento para Influenza A (H1N1) no Brasil?
Sim. Há um medicamento antiviral (fosfato de oseltamivir) indicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e disponível na rede pública de saúde que será usado apenas por recomendação médica, a partir de um protocolo definido pelo Ministério da Saúde. O remédio só faz efeito se for tomado até 48 horas a partir do início dos sintomas. ALERTA: Ninguém deve tomar o medicamento sem indicação médica. A automedicação pode mascarar sintomas, retardar o diagnóstico e até causar resistência ao vírus.
7. O Brasil tem estoque de medicamento para tratamento de pacientes?
Sim. O Ministério da Saúde conta com estoque estratégico suficiente para tratamento de casos de influenza A (H1N1). Para uso imediato, há 6.250 tratamentos adultos e 6.250 pediátricos, que estão sendo enviados aos estados de acordo com a necessidade. Além disso, o governo brasileiro possui, acondicionada em tonéis, matéria-prima para 9 milhões de tratamentos. O medicamento bruto está pronto para ser transformado em cápsulas. O inicio do processamento será indicado pelo Ministério da Saúde, conforme a necessidade.
8. É seguro comer carne de porco e produtos derivados?
Sim. Embora o nome popular da doença remeta a suínos, não há evidências de que esse novo subtipo de vírus tenha acometido porcos. Portanto, não há risco no contato e consumo de produtos de origem suína.
9. O que é uma pandemia?
Uma pandemia ocorre quando surge um novo vírus contra o qual a população não está imunizada – não há vacina pronta, nem o corpo das pessoas conhece o vírus. Assim, muitos são atingidos, resultando em uma epidemia que se espalha em diversos países. Fatores como o incremento do fluxo de pessoas entre países, a urbanização e o crescimento populacional contribuem para acelerar esse processo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) divide seus países membros em seis regiões: África, Américas, Sudeste Asiático, Europa, Mediterrâneo Oriental e Pacífico Ocidental. Além disso, possui fases de alerta para pandemia, em uma escala de 1 a 6. O organismo internacional eleva o nível de alerta para a fase 6 quando há uma transmissão sustentada do vírus, de homem para homem, em pelo menos duas dessas regiões,fase em que nos encontramos no momento.
10. Como o Brasil está se preparando para uma pandemia de Influenza A (H1N1)? O Brasil está bem preparado para uma possível pandemia. Isso porque o governo brasileiro já havia começado a estruturar sua rede de vigilância para influenza há nove anos (em 2000). Por causa de uma então possível pandemia de gripe aviária, em 2003, o governo brasileiro constituiu um comitê técnico para a elaboração do plano de preparação brasileiro para o enfrentamento de uma pandemia de influenza. Esse plano está pronto há mais de dois anos e começou a ser colocado em prática no momento em que o Brasil foi notificado pela OMS dos casos de Influenza A (H1N1), em 25 de abril passado. O Brasil conta com 54 centros de referência, em todo o Brasil, preparados para tratar possíveis doentes. Estas unidades se enquadram em parâmetros exigidos pela OMS para o atendimento à essa doença, com área livre para isolamento de contato, equipamentos de proteção individuais para acompanhamento, exames e tratamento dos casos.
11. Houve alguma medida com relação aos voos internacionais?
Sim. Dentro da aeronave em vôo: as tripulações das aeronaves estão orientadas a informar os passageiros, ainda durante o vôo, sobre sinais e sintomas da influenza A (H1N1). Adicionalmente, a tripulação solicitará que passageiros com esses sintomas se identifiquem à tripulação. Esses passageiros identificados serão encaminhados para os postos da Anvisa ainda no aeroporto. Ao desembarcar, todos os viajantes procedentes de países afetados, recebem folder/panfleto com informações, em português, inglês e espanhol, sobre os sinais e sintomas, medidas de proteção, higiene e orientações para procurar assistência médica. Complementarmente, a Infraero veicula, nesses aeroportos, informe sonoro. Todos os passageiros vindos de outros países tem suas Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), retidas pela ANVISA. A DBA atua como fonte de informações para eventual busca de contatos se for detectado caso suspeito na mesma aeronave. O passageiro procedente de país afetado que sentir os sintomas em casa após 10 dias de retorno da viagem deve procurar assistência médica na unidade de saúde mais próxima e informar ao profissional de saúde o seu roteiro de viagem.

21 de jun de 2009

Entrou em contagem regressiva o prazo para a definição sobre os 36 novos caças supersônicos que o País irá comprar para reequipar a Força Aérea Brasil











Iate de guerra


Em tempos de austeridade, não pega bem contar vantagem. Foi, pois, sem comentários que o bilionário russo radicado em Londres Roman Abramovich, 41 anos, acompanhou a partida de seu novo iate, o Eclipse, do estaleiro em Hamburgo para a primeira viagem de teste. O nome é apropriado: maior iate do mundo, o Eclipse tem 557 pés, custou 500 milhões de dólares e é equipado com sistema antimísseis, dois helipontos e um pequeno submarino para fuga rápida. O prazo de entrega é 2010. Enquanto aguarda, Abramovich – que com a crise perdeu bilhões, mas não a pose – pegou outro iate (tem mais três) e partiu com a namorada, Daria Zhukova, 27, para umas semanas de lazer no Mediterrâneo, com escalas na Itália e França.

20 de jun de 2009

Mordomo da casa de Roseana Sarney é pago pelo Senado

O Congresso abriga mais um exemplo ilustrativo do uso de dinheiro público para bancar despesas privadas da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O mordomo da casa de sua filha, Roseana Sarney, ex-senadora e atual governadora do Maranhão, é um servidor pago pelo Senado. Amaury de Jesus Machado, de 51 anos, conhecido como "Secreta", é funcionário efetivo da instituição. Ganha, com gratificações, em torno de R$ 12 mil. Deveria trabalhar no Congresso, mas de 2003 para cá dá expediente a sete quilômetros dali, na residência que Roseana mantém no Lago Sul de Brasília. "Secreta" é uma espécie de faz-tudo, quase um agregado da família. Cuida dos serviços de copa e cozinha, distribui ordens aos funcionários e organiza as recepções que Roseana promove quando está na cidade. Na manhã de ontem, o Estado procurou o servidor na casa da governadora. O empregado que atendeu informou que ele estava há dez dias em São Paulo, acompanhando Roseana. Ela ficou até ontem na capital paulista, onde passou por cirurgia para retirada de aneurisma.A reportagem falou por telefone com outros funcionários da casa e com amigos da família, que confirmaram a lotação privada do servidor. Ontem, por telefone, a governadora descreveu as funções de Machado assim: "Ele é meu afilhado. Fui eu que o trouxe do Maranhão. Ele vai à casa quando preciso, uma duas ou três vezes por semana. É motorista noturno e é do Senado. E lá até ganha bem."Roseana renunciou ao cargo de senadora em abril, para assumir o governo do Maranhão no lugar de Jackson Lago (PDT), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda que estivesse no exercício do mandato, não poderia ter um servidor como empregado doméstico.Sarney enfrenta há duas semanas denúncias de contratação de parentes, muitos incluídos na folha de pagamento do Senado por meio de "atos secretos" que permitiam fazer nomeações sem que elas fossem publicadas nos boletins oficiais."Secreta" é tão ligado a Roseana que chegou a ter filiação partidária. Assinou a ficha do PFL quando a governadora ainda integrava os quadros do partido. Hoje, ela está no PMDB, mesma sigla do pai.Nos anos 90, ele esteve lotado no departamento de segurança e transportes do Senado. Antigos colegas dizem que sua função, ao menos oficialmente, era a de motorista, embora não se lembrem dele dirigindo os carros do Senado.O servidor tem um longo histórico de serviços prestados à família - trabalhou até no Palácio da Alvorada quando Sarney era presidente (1985-1990).A lotação mais recente data de fevereiro de 2003. Logo após tomar posse como senadora, em 2003, Roseana Sarney puxou Machado para seu gabinete. O ato foi assinado pelo então diretor-geral da Casa, Agaciel Maia, em 21 de fevereiro. Ocupante do cargo de técnico legislativo, ganhou função comissionada.Como Roseana deixou o Senado em abril deste ano, muitos dos nomeados para assessorá-la foram mantidos oficialmente como assessores do senador Mauro Fecury (PMDB-MA), que assumiu a cadeira da peemedebista.

Com o rei na barriga

Ao dizer que Sarney não pode ser tratado como um homem comum, Lula reverbera a mentalidade colonial que ainda resiste nas regiões mais atrasadas do país.Ao sancionar a desigualdade perante a lei com uma frase ("O Sarney tem história suficiente para que não seja tratado como se fosse uma pessoa comum"), o presidente Lula, além de ferir o princípio constitucional previsto no artigo 5º, fez o Brasil recuar quatro séculos: ressuscitou a ideia de que é legítima a existência de uma classe merecedora de privilégios, passou a mensagem de que aos políticos cabe apenas beneficiar-se do poder e reabilitou o velho sistema de compadrio segundo o qual mãos poderosas devem lavar-se umas às outras. "É inconcebível o mais alto magistrado da República negar o componente mais básico do modelo republicano, que é a igualdade entre os cidadãos", afirma a professora de filosofia Maria Sylvia de Carvalho Franco.
A divisão entre uma classe superior de cidadãos e outra inferior está no núcleo da formação da sociedade brasileira e, a despeito de todos os avanços, ainda representa um quisto obscurantista nas regiões mais atrasadas do país – como o Maranhão de Sarney, como a Brasília dos políticos. Antes mesmo de dom João VI aportar no país, trazendo em seus baús o modelo do estado absolutista, o sistema de capitanias hereditárias já previa a diferenciação entre os cidadãos "comuns", que não tinham riquezas, e os cidadãos "incomuns", aqueles que haviam recebido terras do rei – os chamados "homens bons". Ao dizer que Sarney não pode ser tratado como uma pessoa comum, Lula ecoou, portanto, uma mentalidade colonial. O tirocínio político do presidente não dá margem para que se pense que seu discurso infeliz foi desprovido de cálculo. "Lula deve muitos favores a Sarney", lembra o cientista político David Fleischer. O PMDB apoiou o governo em momentos cruciais, como no escândalo do mensalão e no episódio dos aloprados. Lula, por motivos simétricos, agora estende o braço na direção de um de seus caciques mais poderosos – ainda que para isso tenha de arrastar o Brasil para as trevas do passado.

Veja mapa de casos da gripe suína no Brasil


O Ministério da Saúde confirmou neste sábado mais 49 casos de gripe suína no país --como é chamada a gripe A (H1N1)-- elevando para 180 o número de casos confirmados no Brasil. Os casos novos foram confirmados em São Paulo (25); Rio (11); Distrito Federal (7), Paraná (2), Rio Grande do Sul (2), Bahia (1) e Minas (1).
Segundo o governo, todos os pacientes estão em tratamento e passam bem. Não foram informados detalhes sobre os casos.Outros 184 casos considerados suspeitos estão sendo analisados em 19 Estados brasileiros e no Distrito Federal. Além disso, 552 casos já foram descartados.

19 de jun de 2009

Último fuzil roubado do Exército é encontrado

O último fuzil roubado do quartel do 6º Batalhão de Infantaria Leve de Caçapava, a 115 quilômetros de São Paulo, e que ainda estava desaparecido foi encontrado na tarde de ontem. Policiais chegaram até o armamento depois de prender, na manhã de ontem, o oitavo envolvido no roubo dos sete fuzis calibre 762. À tarde, o Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) de São José dos Campos, anunciou a recuperação da arma.
Os fuzis automáticos leves, calibre 7,62 mm, são armas de uso exclusivo das Forças Armadas. O 6º Batalhão de Infantaria Leve foi invadido às 23h30 do dia 8 de março por cinco ladrões. Eles renderam os soldados e anunciaram o assalto. Aproximadamente 300 militares passaram um mês nas ruas de cidades do Vale do Paraíba. A maior concentração de soldados foi no bairro Campo dos Alemães, em São José dos Campos.
Gerson Cândido de Oliveira Júnior, o Juninho, foi preso na capital e levado para São José dos Campos, onde prestou depoimento. O tenente-coronel, José Mateus Ribeiro, disse que a cooperação entre as Polícias Civil, Militar e Federal com o Exército foi fundamental para o sucesso da prisão da maior parte dos envolvidos, restando apenas um suspeito foragido. Segundo a polícia, a quadrilha tem ligações com o Primeiro Comando da Capital (PCC).
Segundo Ribeiro, após a prisão de Juninho, uma ligação anônima informou a localização do último fuzil, que estava coberto com lençol dentro de uma valeta às margens da Rodovia Carvalho Pinto, na altura do km 90, entre São José dos Campos e Jacareí.
Armas encontradas
O primeiro dos sete fuzis foi recuperado em 10 de abril. Ele estava escondido na churrasqueira de uma casa em São José dos Campos. No dia 8 de maio, outros quatro fuzis, dois carregadores e 40 munições do exército foram recuperados pela Polícia Civil num sítio em Jambeiro, distante cerca de 20 km da cidade de onde as armas foram levadas. O armamento estava enterrado no curral, protegido por um tubo improvisado, feito com três galões de água cortados e encapados com papel alumínio.
O sexto fuzil foi achado num terreno baldio em Caraguatatuba, no litoral norte, em 13 de maio.