29 de dez de 2017

Atentado contra centro cultural xiita em Cabul deixa 41 mortos

Atentado contra centro cultural xiita em Cabul deixa 41 mortos
Homem chora por parentes em um hospital de Cabul após as explosões no centro cultural xiita - AFP
Ao menos 41 pessoas morreram e 84 ficaram feridas nesta quinta-feira em um atentado contra um centro cultural xiita de Cabul.
O grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou o atentado em um comunicado difundido por sua agência de propaganda Amaq.
O ataque foi cometido três dias depois de um atentado suicida perto da sede da agência de inteligência afegã na capital que deixou seis mortos.
O local do atentado “recebe apoio do Irã e é um dos principais centros xiitas de Cabul”, afirmou o grupo Estado Islâmico.
Os talibãs negaram anteriormente envolvimento no atentado desta quinta-feira, que também atingiu a Agência Voz Afegã, um meio de comunicação próximo ao local do ataque.
“O alvo do ataque era o centro cultural Tabayan. Uma cerimônia acontecia para recordar o 38º aniversário da invasão soviética do Afeganistão no momento da explosão”, afirmou à AFP o porta-voz adjunto do ministério do Interior, Nasrat Rahimi.
A explosão foi seguida por outras duas, menos potentes, que não deixaram vítimas.
“Há 41 mortos e 84 feridos, incluindo mulheres e crianças”, afirmou o porta-voz do ministério da Saúde, Waheed Majrod falando à imprensa.
O ministro delegado da Saúde, Ghulam Mohamad Paikan, de entrevista ao canal Tolo, afirmou que as mortes ocorreram em consequência das queimaduras provocadas pelo atentado.
“Estávamos no corredor, na segunda fileira, quando a explosão aconteceu atrás. Eu não vi o homem-bomba. Depois da explosão, havia fogo e fumaça dentro do prédio e todos pediam ajuda”, afirmou Mohamad Hasan Rezayee, um estudante que ficou ferido no rosto e nas mãos.
“Foi o caos. Todos gritavam e choravam. As pessoas se tornaram vítimas do pânico. Todos pediam ajuda”, completou.
Rezayee afirmou que entre as vítimas estão mulheres e crianças.
As fotografias publicadas na página do Facebook da agência Voz Afegã mostram a redação transformada em uma pilha de escombros e alguns corpos no chão.
No hospital Istiqlal, dezenas de vítimas, quase todas hazaras, a única etnia xiita do Afeganistão e reconhecida por seus traços asiáticos, demonstravam desespero, segundo constatou a AFP. Outros criticavam um governo, incapaz de protegê-los.
“Os terroristas voltaram a cometer crimes contra a humanidade atacando mesquitas, lugares santos e centros culturais. Seus crimes são imperdoáveis”, estimou o presidente afegão Ashraf Ghani em comunicado.
Uma comissão investigará “posibles negligências de policiais” que “permitiram que os terroristas atacassem o centro”, declarou o porta-voz do ministério do Interior, Najib Danish, em entrevista coletiva.
– ‘Ataque de ódio’ –
As forças americanas no Afeganistão condenaram o “ataque de ódio” por meio do porta-voz da operação Resolute Support, o tenente-coronel Kone Faulkner, no Twitter. A embaixada americana em Cabul, em um comunicado, condenou um atentado suicida “horrível e indiscriminado”.
A Casa Branca declarou que “os inimigos do Afeganistão não triunfarão em suas tentativas de destruir o país e dividir o povo afegão”.
Um porta-voz da União Europeia lamentou “um ataque contra a liberdade de expressão e a democracia” com “jornalistas entre as vítimas”.
Este foi o mais recente de uma longa lista de atentados em Cabul, uma das cidades mais perigosas do planeta. No dia 31 de maio, um caminhão-bomba matou 150 pessoas e deixou 400 feridos na capital do Afeganistão.
Hoje em Cabul, assistimos a um novo crime odioso em um ano já marcado por inonimáveis atrocidades”, expressou Toby Lanzer, o responsável pela missão da ONU no Afeganistão. O conflito deixou 1.700 mortos civis nos seis primeiros meses do ano, um recorde segundo a ONU.
Os extremistas do EI, que já reivindicaram neste mês outros dois atentados na capital, multiplicam seus ataques no Afeganistão, especialmente contra a minoria xiita em Cabul.
O grupo extremista Estado Islâmico (EI), que reivindicou o atentado de segunda-feira perto da sede do serviço de inteligência, executou recentemente vários ataques no Afeganistão, sobretudo contra a minoria xiita em Cabul. Os talibãs também atacam regularmente as forças de segurança do país.

28 de dez de 2017

Suspeitos furam blitz do Exército e atropelam dois soldados na Vila Militar

Eles acabaram interceptados em um segundo bloqueio e foram baleados por militares paraquedistas

Carro foi atingido por diversos tiros e um dos homens em fuga acabou morto Reprodução Vídeo / WhatsApp O DIA (98762-8248)
Rio - Dois suspeitos em um veículo furaram barreiras do Exército dentro da Vila Militar, na Zona Oeste, e atropelaram dois soldados, na noite desta quarta-feira. Eles acabaram interceptados em um segundo bloqueio e foram baleados por paraquedistas. Um deles morreu no local.
Segundo informações, o carro com os dois suspeitos furou o bloqueio de militares do Exército na altura do Banco Itaú. As outras bases foram informadas dos suspeitos em fuga e dois soldados mais a frente tentaram impedir a passagem do veículo, mas acabaram atropelados. Já no final da Vila Militar, perto de Magalhães Bastos, uma segunda blitz tentou impedir novamente a passagem, mas eles desobedeceram e os militares da Brigada da Infantaria Paraquedista atiraram e balearam a dupla. 
A fuga da dupla teria começado ainda na Avenida Brasil, na altura de Ricardo de Albuquerque, quando o carro furou uma blitz da PM e eles teriam atirado. Uma testemunha disse à reportagem que passou de ônibus pelo local e viu a movimentação após o veículo ser interceptado pelos militares. "Estava no 393 (Bangu-Candelária) e vi dois soldados feridos no chão, um carro branco, perto do viaduto, estava com várias perfurações de tiros. Dentro dele tinha um homem que parecia já estar morto e outro estava fora do carro, também baleado", disse o técnico em uporte em informática Rafael Teixeira.
Os soldados atropelados, do 11º Batalhão de Polícia do Exército, foram socorridos no Hospital Geral do Rio de Janeiro, dentro da Vila Militar. Não há informações sobre o estado de saúde deles. A Polícia Militar foi acionada para o local da ocorrência. Procurada, ainda não deu mais detalhes sobre o caso.

27 de dez de 2017

Ex-detentos pedem clemência a todos os opositores presos na Venezuela

Ex-detentos pedem clemência a todos os opositores presos na Venezuela
O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Havana, em 14 de dezembro de 2017 - AFP
A ativista Andrea González, libertada na Venezuela junto com 43 opositores ao governo de Nicolás Maduro, afirmou nesta terça-feira (26) que espera a soltura de dezenas de prisioneiros por razões políticas.
“A nossa liberdade é apenas um passo, porque deixamos na prisão amigos que foram como irmãos. Ajudamo-nos uns aos outros e deixá-los para trás é muito difícil”, disse González, que foi libertada no sábado após ser preso em 17 de agosto de 2015.
Entre os soluços, a mulher de 31 anos pediu “um pouco de clemência e humanidade” para que todos os adversários do presidente Maduro que estão na prisão possam recuperar a liberdade.
González, que recebeu uma menção especial no prêmio Sakharov concedido este ano pelo Parlamento Europeu à oposição venezuelana, foi libertada com outros 43 opositores a pedido da Assembleia Nacional Constituinte que rege a Venezuela com poder absoluto.
A chamada Comissão da Verdade desse órgão recomendou que a justiça e o governo libertassem cerca de 80 opositores.
De acordo com a ONG Forum Penal, após a libertação dos primeiros 44 ainda restam 216 “prisioneiros políticos”, dos quais o mais emblemático é Leopoldo López, que em prisão domiciliar cumprindo uma sentença de quase 14 anos, acusado de incitar a violência em protestos que deixaram 43 mortos em 2014.
González foi presa sob acusação de conspirar para assassinar uma filha do poderoso líder chavista Diosdado Cabello, o que ela categoricamente nega.
Dois outros opositores libertados, Betty Grossi e Juan Miguel de Sousa, foram nesta terça com González ao Palácio da Justiça em Caracas para verificar seu status legal.
Grossi também exigiu a libertação de todos os adversários presos desde 2003, enquanto Sousa denunciou que a “negligência” das autoridades o impediu de receber tratamento para um câncer de próstata que “não pode mais ser operado”. Ambos foram presos em agosto de 2015.

26 de dez de 2017

Lei traz novas regras para compra de produtos pela internet

Pela norma, o preço dos produtos postos à venda nos sites têm de ser colocados à vista, de maneira ostensiva, junto à imagem dos artigos ou descrição dos serviços

Rio - Já está em vigor a Lei 13.543, que traz novas exigências para a disponibilização de informações sobre produtos em sites de comércio eletrônico. Pela norma, sancionada na semana passada pelo presidente Michel Temer, o preço dos produtos postos à venda nos sites têm de ser colocados à vista, de maneira ostensiva, junto à imagem dos artigos ou descrição dos serviços. Segundo a lei, as fontes devem ser legíveis e não inferiores ao tamanho 12.
As novas regras sobre o comércio eletrônico foram incluídas na Lei 10.962, de 2004 Agência Brasil
A norma inclui essas exigências relativas às vendas online na Lei 10.962, de 2004, que disciplina as formas de afixação de preço de comerciantes e prestadores de serviços. Entre as obrigações gerais de empresas estão a cobrança de valor menor, se houver anúncio de dois preços diferentes, e a necessidade de informar de maneira clara ao consumidor eventuais descontos.
A Lei é um detalhamento do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078, de 1990), que também versa sobre requisitos a serem seguidos pelos vendedores, como a disponibilização de informações corretas e claras quanto aos produtos, incluindo preço e características.
Benefícios
O Ministério da Justiça argumenta que a lei será um importante instrumento para facilitar a busca de informações pelos consumidores nesse tipo de comércio. “Hoje em dia temos dificuldades de conseguir essas informações porque há produtos em sites ou plataformas sem preço. Isso já era vedado pelo Código de Defesa do Consumidor, e essa lei veio para deixar tais obrigações mais claras, garantindo o direito à informação de quem compra”, afirmou a diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do ministério, Ana Carolina Caram.
Para a supervisora do Procon de São Paulo, Patrícia Alvares Dias, a Lei é positiva. “Os consumidores estão tendo dificuldade, porque, em sites de comércio eletrônico, em geral, há as características do produto, mas dados sobre o preço não são apresentados com tanto destaque.”
Expansão
Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), 25,5 milhões de pessoas fizeram compras pela internet no primeiro semestre deste ano. Apesar do número representativo, a entidade ressalta que as transações são concentradas nos dois principais centros urbanos do país: São Paulo foi responsável por 35,5% das vendas e o Rio de Janeiro, por 27,6%.
De acordo com a consultoria Ebit, o comércio eletrônico no Brasil no primeiro semestre do ano cresceu 7,5% em comparação com o mesmo período no ano anterior, com faturamento total de R$ 21 bilhões.
Reclamações
O consumidor que encontrar uma situação em que o preço do produto não está apresentado de maneira clara e em destaque, ou que a fonte seja menor do que o tamanho 12, deve acionar órgãos de proteção e defesa como os Procons, o Ministério Público e a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça. Os sites que estiverem violando artigos da lei podem ser multadosm, ou até suspensos.

24 de dez de 2017

Confira 11 filmes de Natal disponíveis na Netflix

A seleção traz opções para diferentes gostos e vão desde românticos a comédia de terror, passando também pela animação
Para quem quer se divertir sem sair de casa neste feriadão e ficar no clima de fim de ano, a Netflix possui um vasto catálogo de filmes com a temática do Natal. A seleção traz opções para diferentes gostos e vão desde românticos a comédia de terror, passando também pela animação. O Diário do Nordeste reuniu alguns para você. Confira a nossa lista:

Cartão de Natal

Para mostrar ao pai que consegue dar conta das coisas e que já pode assumir os negócios da família, a socialite Ellen vai visitar uma pequena cidade, para entregar o cartão de Natal ao seu tio Zeke. No lugar, ela vai ter muitas surpresas, aprendendo sobre altruísmo e trabalho duro.

A felicidade não se compra

felicidade filme
Talvez o maior clássico de natal já filmado, o filme é um conto dirigido por Frank Capra. Morador de Bedford Falls, George Bailey (interpretado por James Stewart) tem uma vida de frustrações e pensa em se suicidar, fazendo com que Deus envie um anjo para mostrar ao protagonista o quanto ele é importante para todos.

Olaf em uma Nova Aventura Congelante de Frozen

frozen
Para quem está com saudades de Frozen, pode assistir ao curta, que foi lançado recentemente. Ele mostra a preocupação de Olaf e Sven em procurar uma tradição de Natal perfeita para Elsa e Anna. O filme tem apenas 22 min.

Gremlins

gremlins
Um homem presenteia o seu filho com um Mogwai, comprado em uma loja de Chinatown. O lojista, que inicialmente não queria vendê-lo, informa que algumas condições devem ser cumpridas, para criar o Mogwai: não o expor a luz, nem a água e não alimentá-lo após meia-noite. O menino não cumpre as exigências e vários gremlins surgem para acabar com a cidade na noite de Natal. 

Os Fantasmas Contra-atacam

fantasmas
Estrelado por Bill Murray (Os Caça-Fantasmas), o filme é uma adaptação do clássico livro "Um Conto de Natal", de Charles Dickens. No filme, temos o ambicioso Frank Cross, um executivo de TV bem-sucedido que só pensa na audiência. Na véspera de Natal, ele demite um funcionário e, para se salvar, recebe a visita de três fantasmas (o do Natal Passado, do Presente e do Futuro), que mostram as ações de Frank e dão uma oportunidade de ele reavaliar suas atitudes.

O Príncipe do Natal

principe natal
Amber é uma jornalistas e é enviada para cobrir a história de um prícipe prestes a se tornar rei. Ela se disfarça de tutora para fazer essa reportagem, mas acaba se envolvendo em uma intriga real.

Um Natal muito, muito louco

natal louco
Um casal decide economizar deixando de fazer a festa natalina, com a finalidade de usar o dinheiro em uma excursão ao Caribe. Porém, a vizinhança não gosta dos planos deles, já que o casal não coloca o tradicional boneco de neve iluminado, fazendo com que a rua possa perder o  concurso de decoração natalina. Após várias desavenças, a família é obrigada a mudar de planos e tem que organizar o Natal em 24 horas. 

O Natal dos Coopers

natal coopers
A tradicional festa de Natal do Cooper acontece mais uma vez para reunir toda a família, na casa dos patriarcas  Sam (John Goodman) e Charlotte (Diane Keaton). Porém, desta vez, o casal está prestes a se separar.

Um Natal Brilhante

natal brilhante
Adorando o Natal, Steve Finch todo ano segue várias tradições, o que desagerada a esposa e o filho. A alegria dele acaba esbarrando com o seu vizinho Buddy Hall, surgindo uma rivalidade entre eles.

Meninas Malvadas

meninas-malvadas
A temática natalina não abrange todo o filme, mas há uma cena famosa, que tornou-se clássica entre os filmes teenagers norte-americanos: a apresentação da música "Jingle Bell Rock". O filme tem no elenco  Rachel McAdams e Lindsay Lohan.

Fireplace for Your Home

fireplace

Esse não é exatamente um filme. Mas, para ajudar a entrar no clima natalino, sua TV pode ficar exibido este especial que não é nada mais do que uma lareira acesa, com o estalar de gravetos e tudo. Uma opção para quem quer criar uma cena de Natal típica dos filmes norte-americanos durante a ceia.

23 de dez de 2017

Os espetáculos de Garotinho

Fanfarrão contumaz, o ex-governador promove mais uma de suas pantomimas. Em 2006, fez uma farsesca greve de fome. Agora, alegou estar em jejum e, no grito, ganhou do STF o que queria: a liberdade

Os espetáculos de Garotinho
ENCENAÇÃO Garotinho esperneou no ano passado para não ir preso.x
No dicionário Aurélio Buarque de Holanda, a palavra garotinho, uma derivação masculina singular de garoto, significa gaiato, atrevido, endiabrado, travesso, malcriado. Talvez seja uma inescapável predestinação para quem carrega essa alcunha no nome: Anthony Garotinho (PR), o ex-governador do Rio de Janeiro (1999/2002), batizado como Anthony William Matheus de Oliveira. Algumas gaiatices do passado, como uma greve de fome com contornos teatrais feita há mais de 10 anos, fizeram com que, hoje, seus atos espetaculosos sejam vistos como piada. Foi o caso do “jejum por tempo indeterminado” anunciado nos últimos dias pelo ex-governador, que todos sabem se tratar de mais uma fanfarronice. Menos o ministro do STF, Gilmar Mendes. Na quarta-feira 20, o magistrado concedeu-lhe um habeas corpus.
Garotinho estava preso há um mês em Bangu 8, no Complexo Presidiário de Gericinó, na zona oeste do Rio, acusado de montar um esquema de compra de votos no município de Campos dos Goytacazes (RJ), com a mulher, Rosinha Matheus (PR), prefeita da cidade. As investigações concluem ter havido desvio de R$ 3 milhões no programa de assistência social Cheque Cidadão para campanha dele ao governo, em 2014.
Em 2006, realizou a primeira “greve de fome”, mesclada por contornos de farsa, que agora se repete (Crédito:Ana Carolina )
A primeira lambança
Mas, no grito e no dramalhão mexicano, Garotinho parece conseguir o que quer. Não invalida o fato de que suas principais peraltices ocupem páginas lamentáveis da política nacional. Em junho do ano passado, ele protagonizou um impressionante espetáculo de berros e pernadas quando policiais federais e bombeiros tentavam cumprir a ordem da Justiça Eleitoral, transferindo o ex-governador do Hospital Municipal Souza Aguiar para o Complexo de Bangu. “Vocês estão de sacanagem. Querem me matar, porra!”, gritava, enquanto chutava quem chegasse perto da maca, transformada em palanque no episódio. Com isso, Garotinho conseguiu dois resultados: virou chacota na internet, que ferveu em memes, mas acabou não indo para a cadeia e, sim, para casa com tornozeleira eletrônica.
Quando o ex-governador anunciou no último dia 16 que faria um “jejum”, foi imediata a conexão com a lambança que foi a outra greve de fome feita por ele, em 2006. Então pré-candidato do PMDB à presidência da República, ele diz ter ficado onze dias sem comer na sede do partido, em uma espécie de reality show no qual jornalistas e cinegrafistas acompanhavam o “suplício” 24 horas por dia. Ele protestava contra a perseguição da imprensa, que fazia reportagens vinculando a arrecadação irregular para sua campanha a contratos do governo estadual, comandado por sua mulher, a então governadora Rosinha. Foram muitas as cenas de teatro do absurdo, como a contagem de gramas perdidas através de boletins médicos diários e a imagem de Garotinho deitado em uma cama, cercado pela mulher e seis filhos, que choravam e rezavam. Nessa época, Garotinho dizia que só tomava água mineral, mas correligionários entravam e saíam com sacolas, suspeitando-se que levavam comida para ele. Ao encerrar a “greve de fome”, após ganhar direito de resposta na Justiça contra órgãos de imprensa, o ex-governador disse que tinha perdido mais que sete quilos – perdera, também, peso político.
Há um episódio ocorrido este ano que ainda não teve desfecho: na primeira noite em que passou na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, na zona norte, Garotinho gerou uma espetacular denúncia: disse ter sido vítima de agressões físicas praticadas por alguém que teria entrado em sua cela, de madrugada, munido de um porrete. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) comprovou a existência de machucados no joelho e em um dos seus pés causados por um “instrumento contundente”. A Polícia disse, no entanto, que o laudo não afirma que os ferimentos foram provocados por terceiros e, por ter levantado a suspeita, ele foi transferido imediatamente para um presídio de segurança máxima, Bangu 8.
Antes do habeas corpus, a família Garotinho tentava manter a defesa do patriarca na pauta do dia. Um dos filhos, Anthony Matheus, também anunciou uma greve de fome. Ele reforçava o pedido do pai para ser ouvido pelo Conselho Nacional de Justiça. A filha Clarissa, deputada federal pelo PR, gravou vídeos contra a “injustiça” e a “perseguição” sofrida pelo pai. Ela também reverberava a carta dele, onde diz estar “no limite do sofrimento”. “Minha atitude é um grito de desespero”, dizia ele. A mulher, Rosinha, também afirmava, em entrevistas, que o marido corria risco de vida. Como se nota, o show não pode parar.
A farsa em dois atos
Sempre que se vê acuado por denúncias de corrupção, Garotinho recorre a expedientes grotescos. Foi assim em 2006, como se repete agora. Acaba virando comédia
ÚLTIMO ATO
A greve de fome atual do ex-governador Anthony Garotinho é chamada de “jejum por tempo indeterminado”. Começou no sábado 16, no Presídio de Bangu 8, onde está detido preventivamente. Ele reivindica ser ouvido pelo Conselho Nacional de Justiça com o objetivo de pedir que “juízes e promotores de Campos de Goytacazes” sejam investigados. Também quer fazer denúncias contra o ex-governador Sérgio Cabral
PRIMEIRO ATO
Em 2006, seu gesto tinha nome de “greve de fome” mesmo. Durou 11 dias. Garotinho se enfurnou na sede de seu partido, PMDB na época. Foi acompanhada de perto pela mídia, com cenas de teatro farsesco. Protestava contra a imprensa, que publicava denúncias de caixa 2 de sua campanha a governador, em 2004. Disse ter perdido sete quilos. Correligionários entravam e saíam com sacolas. Suspeita-se que nunca tenha deixado de comer. Saiu desmoralizado.

22 de dez de 2017

'Não vou ser mais radical', afirma Lula

Ex-presidente defendeu alianças estaduais do PT com partidos que votaram a favor do impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff

Brasília - Na primeira entrevista coletiva à chamada grande imprensa depois de vários anos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira que não quer mais ser visto como um "radical". O petista, que pode ser impedido pela Justiça de concorrer à Presidência em 2018, defendeu alianças estaduais do PT com partidos que votaram a favor do impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, disse que pretende dialogar com empresários "que ainda pensam no Brasil" e prometeu pacificar o País caso seja eleito pela terceira vez.
"Eu não vou ser mais radical. Estão dizendo que estou mais radical. Não tenho cara de radical nem o radicalismo fica bem em mim. Estou é mais sabido", disse Lula, que recebeu 12 jornalistas para um café da manhã na sede do Instituto Lula. Segundo ele próprio, fazia "muito tempo" desde o último encontro Para "matar a saudade", Lula respondeu aos repórteres durante duas horas e meia.
'Não vou ser mais radical', diz Lula José Cruz/Agência Brasil
Uma semana depois de o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) marcar para o dia 24 de janeiro o julgamento que pode deixá-lo inelegível, o ex-presidente tentou demonstrar bom humor "Eu não posso estar mal humorado porque sou corintiano e estou em primeiro lugar em todas as pesquisas."
Em ao menos oito vezes ao longo da conversa Lula reiterou que é inocente e desafiou a Lava Jato a apresentar provas de que é dono do triplex no Guarujá. Ele disse ainda que não tem medo de ser preso, mas vai usar todos os recursos judiciais para garantir o direito de ser candidato. "Não quero passar para a história como um inocente condenado", afirmou o petista. "A única chance que tenho é pedir provas. Não é possível que alguém seja dono de uma coisa que não é dono", completou.
Condenado a 9 anos e 6 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula voltou a criticar a Lava Jato e disse não ter medo de ser preso. "Eu não penso. Não penso porque acho que preso só pode ir quem cometeu um crime."
‘Empresários’
Crítico à onda de ódio que, segundo ele, tomou conta do debate político, Lula prometeu pacificar o País. "Estou convencido de que é possível ganhar as eleições e juntar um grupo de pessoas sérias neste País. Está cada vez mais difícil, mas é possível juntar empresários que ainda pensam neste País", afirmou.
O ex-presidente também demonstrou pragmatismo ao falar das alianças que pretende fazer para garantir a governabilidade, caso volte ao Planalto. "Se você não tem (maioria) sozinho nem com seus aliados você tem que compor com quem está lá. E pode fazer acordos programáticos, não tem que fazer acordo toma lá dá cá", disse Lula, citando como exemplo positivo a aliança com o PMDB do presidente Michel Temer.
Enquanto boa parte da base petista defende a aliança do partido apenas com legendas do campo da esquerda, Lula disse que a realidade local pode impor ao PT coligações pontuais com partidos que apoiaram o impeachment. "Acho que não deve se aliar com partido que apoiou o impeachment, mas essa coisa é muito teórica porque temos que saber a realidade de cada Estado. Como é que o (Fernando) Pimentel vai abrir mão lá em Minas do PMDB que defende ele o tempo inteiro. Então temos que ir caso por caso."
‘Traição’
O figurino "paz e amor", no entanto, ficou por aí. Questionado se perdoa os ex-aliados que ajudaram a derrubar Dilma, Lula demonstrou estar magoado, especialmente com o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, presidente do PSD, partido que ocupou dois ministérios no governo do PT.
"Eu sinceramente não posso aceitar que a Dilma tenha dado a força que deu para o Kassab e ele traí-la da forma mais vergonhosa como traiu. Não é nem o fato de trair. É o fato de não entregar uma carta para a Dilma. É o fato da mentira", disse Lula.
Porém, segundo o ex-presidente, a mágoa se restringe a alguns integrantes da "alta direção" desses partidos. "Com estes caras não há porque fazer alianças. Mas o partido pode mudar a direção", afirmou.
Além de grandes jornais brasileiros e estrangeiros, o encontro reuniu jornalistas de blogs e sites de esquerda. No final, Lula voltou a defender a regulação da mídia por meio de uma proposta elaborada pelo Executivo e aprovada pelo Congresso.

21 de dez de 2017

Fifa reduz suspensão de Guerrero para seis meses e atacante pode jogar a Copa

Decisão foi tomada pelo Tribunal de Apelação da entidade

Suíça - Paolo Guerrero poderá jogar a Copa do Mundo de 2018. A pena por doping imposta pela Fifa ao peruano foi reduzida nesta quarta-feira de um ano para seis meses. A decisão foi tomada pelo Tribunal de Apelação da entidade após recurso da defesa do atacante.
Guerrero poderá jogar o Mundial de 2018 pelo Peru AFP
Pelo Flamengo, o atacante só poderá atuar a partir de maio de 2018, já que ele está suspenso desde o dia 3 de novembro. No entanto, a defesa não desistiu de tentar provar a inocência de Guerrero e tentará uma absolvição do peruano na Corte Arbitral do Esporte (CAS). O julgamento deve acontecer em janeiro e se Guerrero for inocentado, o peruano já poderá jogar pelo Flamengo no Campeonato Carioca.
Guerrero foi ouvido depois de seu exame de doping ter dado resultado positivo. Por quatro horas, a acusação apresentou as supostas provas, enquanto os advogados brasileiros do jogador deram sua versão. Ao deixar a audiência, o jogador declarou que era "inocente". "Vim até aqui, na Suíça, para mostrar isso. Graças a Deus, consegui todas as provas que são fundamentais. Agora, é só aguardar a resposta da Fifa", disse na época.
O jogador respondia à investigação por ter testado positivo para uso de benzoilecgonina, um metabólito da cocaína, em exame realizado depois do empate em 0 a 0 entre Argentina e Peru, em Buenos Aires, pela penúltima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2018, no dia 5 de outubro. Por isso, foi suspenso preventivamente pela Fifa.
Por conta da punição, Guerrero ficou impedido de defender a seleção peruana nas duas partidas da repescagem da Copa do Mundo de 2018, diante da Nova Zelândia. Mesmo assim, o país garantiu vaga no Mundial, que agora poderá ser o primeiro do atacante.
A Fifa aceitou os argumentos atenuantes do advogado Pedro Fida e reduziu a punição. A suspensão inclui jogos nacionais e internacionais, por clubes e seleções.
Com informações do Estadão Conteúdo

20 de dez de 2017

Presidente do PT diz que foi agredida verbalmente dentro de avião

Senadora paranaense contou que uma 'mulher descontrolada' a ofendeu antes do desembarque em Brasília

Brasília - A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), relatou nesta terça-feira ter sido agredida verbalmente enquanto desembarcava de um avião no Aeroporto Internacional de Brasília Presidente Juscelino Kubitschek. "Fui agredida aos berros dentro de um avião por uma mulher descontrolada antes de desembarcar em BSB. Como não acho esse tipo de comportamento liberdade de expressão, solicitei a presença da polícia e o desembarque foi suspenso até sua chegada", escreveu, na conta oficial no Twitter.
Gleisi Hoffmann, senadora pelo Paraná e presidente do PT Reprodução/TV Senado
Acompanhadas pela polícia, Gleisi e a suposta agressora foram encaminhadas ao posto da Polícia Federal (PF) no aeroporto para registro da ocorrência, disse a senadora. "Aguardo agora que a filmagem da cena se torne pública para que eu possa tomar as providências cíveis e penais cabíveis. A partir de agora, agirei assim em qualquer situação semelhante."
Ainda na rede social, Gleisi ressaltou que a liberdade de expressão e manifestação, previstas na Constituição, não podem ser confundidas com um passe livre para agressões. "Liberdade de expressão e manifestação não são sinônimo de agressão. Aviso aos navegantes: nenhuma agressão me constrange, apenas me fará tomar medidas judiciais para conter e penalizar agressores", escreveu.

19 de dez de 2017

PF prende suspeitos de integrar esquema criminoso no Galeão

Agentes cumprem 36 mandados de prisão e um de condução coercitiva em operação. Além de tráfico internacional de drogas, a quadrilha também atua no contrabando e no desvio de bebidas de aeronave

Rio - A Polícia Federal prendeu, na manhã desta terça-feira, 24 suspeitos de integrar um esquema criminoso no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão. Além de tráfico internacional de drogas, a quadrilha também atua no contrabando e no desvio de bebidas de aeronave. Na operação, denominada de 'Rush', os agentes cumprem 36 mandados de prisão e um de condução coercitiva contra funcionários e terceirizados da Infraero e da Receita Federal.
Polícia Federal realiza operação no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão Reprodução TV Globo
As investigações começaram após a PF descobrir que uma mala foi despachada do Rio em um voo para Amsterdam, em fevereiro, mas em nome de um casal que foi para Salvador. A bagagem retornou ao Galeão e os agentes encontraram 37kg de cocaína.
De acordo com a PF, os funcionários do aeroporto escolhiam um passageiro de forma aleatória, imprimiam um tíquete com o nome dele e colocavam em uma mala com drogas. Depois, eles mandavam a bagagem para um voo internacional, que normalmente tinha como destino a Europa. Segundo as investigações, as bolsas não eram vistoriadas.
A PF mostrou ainda que os funcionários de empresas aéreas e da Receita Federal também facilitavam a saída de malas com roupas e eletrônicos. O núcleo de desvio de bebidas nas aeronaves era o local onde os funcionários de “cattering” (que fornecem suprimentos para empresas aéreas), com apoio de vigilantes, furtavam bebidas de aeronaves e vendiam para uma rede de receptadores.

18 de dez de 2017

EUA revela programa secreto de investigação de óvnis

Departamento de Defesa americano confirmou a existência de programa para investigar objetos voadores, mas afirmam que projeto foi encerrado. Jornal local refuta e diz que investigações seguem em adamento

Washington - O Pentágono admitiu, neste domingo, ter financiado um programa secreto bilionário para investigar aparições de objetos voadores não identificados (óvnis). O programa foi encerrado em 2012, de acordo com o Departamento de Defesa, mas o jornal The New York Times relatou que ele ainda está em execução. Segundo o periódico, os funcionários continuam a estudar incidentes apontados pelos membros do serviço militar dos Estados Unidos, em paralelo às suas atividades regulares no Pentágono.
Pentágono admitiu existência de programa para investigar óvnis Reuters
O chamado Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação operou de 2007 a 2012 e recebeu 12 milhões de dólares por ano de financiamento, escondido no gigantesco orçamento do Pentágono, disse o Times, citando participantes e registros do programa. 
O programa forneceu documentos que descrevem as aparições de aparatos voadores não identificados que pareciam se mover rapidamente, sem sinais visíveis de propulsão, ou sem meios aparentes de se erguer, afirmou o Times.
Funcionários do programa também examinaram vídeos dos encontros de aeronaves militares americanas com objetos desconhecidos. Em um deles, divulgado em agosto, mostra um objeto oval branco do tamanho de um avião sendo seguido por dois jatos da Marinha de um porta-aviões da costa da Califórnia em 2004, acrescentou a reportagem.
Em nota, o Departamento de Defesa reiterou que o programa foi encerrado: "O Programa de Identificação Avançada de Ameaças de Aviação foi concluído em 2012. Determinou-se que havia outra questões mais prioritárias que mereciam financiamento e foi com a melhor das intenções que o Departamento fez essa mudança", afirmou. 
"O Departamento de Defesa leva muito a sério todas as ameaças e ameças em potencial ao nosso povo, nossos ativos e nossa missão, e toma ações quando qualquer informação verossímil aparece", concluiu a nota.

17 de dez de 2017

O partido único de Maduro

Ao consolidar o controle do país após as eleições municipais, o presidente da Venezuela dificulta uma reação a sua ditadura bolivariana

DITADOR Nicolás Maduro vota com o retrato de Simón Bolívar ao fundo: poucas chances da oposição em 2018 (Crédito:CARLOS BECERRA)
Alheio à crise que devasta a Venezuela, o presidente Nicolás Maduro, em sua última manobra política, conseguiu legitimar mais uma fraude que faz do seu governo uma ditadura. Nas eleições municipais realizadas no domingo 10, o presidente e o Partido Socialista Unido da Venezuela aproveitaram-se de um boicote organizado de maneira pouco efetiva pela oposição para conquistar 308 das 335 prefeituras do país. Com o poder consolidado, ele anunciou que todos aqueles que participaram do boicote não poderão disputar as próximas eleições presidenciais, previstas para o segundo semestre de 2018. Enquanto seus opositores lutam para se unir, Maduro aproveita a falta de organização para planejar sua reeleição.
“O governo venezuelano sabe que perderá nas urnas se oferecer
tudo o que a oposição pede. Por isso, é difícil ficar otimista”

David Smilde, professor de Sociologia da Universidade de Tulane
Erro de estratégia
“Um boicote, se bem realizado, pode deslegitimar um governo”, afirma David Smilde, pesquisador de América Latina e professor de Sociologia da Universidade de Tulane, nos Estados Unidos. “É uma estratégia arriscada, porque significa que você abre mão de cargos eleitorais que normalmente ganharia para um governo que supostamente já está abusando do poder. Nesse caso, foi o pior cenário possível”, diz. O boicote foi apenas parcial. Os principais partidos da oposição resolveram aderir, incluindo o Vontade Popular, de Leopoldo López, e o Primeira Justiça, de Henrique Caprilez, que perdeu por pouco as eleições presidenciais de 2013. Mas candidatos de menor expressão participaram do pleito. Para piorar, apenas 47,32% dos eleitores foram às urnas. O resultado foi mais uma vitória expressiva do partido de Maduro. A oposição já havia perdido poder nas eleições regionais, em outubro. Assim como no pleito do dia 10, a maior parte da população simplesmente deixou de votar. Sem uma liderança unificada, é possível que o resultado de domingo não fosse muito diferente, mesmo se nenhum partido tivesse aderido ao boicote. Mas o problema é maior agora, já que as prefeituras na Venezuela têm papel importante. Elas podem aumentar seus fundos por meio de taxas e têm suas próprias forças policiais, responsáveis por controlar os protestos. Em cidades dominadas pelo governo, portanto, será bem mais difícil organizar manifestações contrárias a Maduro.
BOICOTE Além da ausência de candidatos dos principais partidos de oposição, a própria população não foi às urnas (Crédito:CARLOS BECERRA)
Penúria econômica
A manobra do presidente venezuelano foi criticada pelos Estados Unidos. “A tentativa de Maduro de banir partidos opositores das eleições presidenciais é outra medida extrema para fechar o espaço democrático na Venezuela e consolidar o poder de sua ditadura autoritária.” escreveu Heather Nauert, porta-voz do Departamento de Estado americano, em seu Twitter.
A situação da Venezuela inspira pouca confiança tanto para a população quanto para os partidos opositores. A inflação continua subindo e o Fundo Monetário Internacional estima que ela possa chegar a 2.068,5% em 2018. Comida e remédios estão acabando, a criminalidade aumentou e a produção de petróleo, responsável por 95% das exportações do país, cai todos os dias. Os Estados Unidos impuseram sanções ao país, proibindo negociações sobre títulos emitidos pelo governo venezuelano ou pela estatal petrolífera PDVESA e sobre novas dívidas. Na política interna, as eleições presidenciais, previstas para o segundo semestre, podem ser remarcadas para o primeiro semestre. Dessa maneira, Maduro seria ainda mais beneficiado pela falta de união da oposição.
“Maduro tem a vantagem política, mas seu ponto fraco é a economia”, diz David Smilde. Mesmo mostrando que não se importa em empobrecer a população para se sustentar financeiramente, o governo encontra dificuldades para achar financiadores após as sanções americanas. Rodadas de negociação realizadas na República Dominicana entre aliados de Maduro e a oposição oferecem uma pequena esperança para ambos os lados. Se os opositores forem atendidos em alguns pleitos importantes, pode ser que o governo americano alivie as restrições.
De acordo com Javier Corrales, professor de ciência política da Amherst College (EUA), regras mais claras em 2018 e a realização de uma primária para escolher um candidato único devem ser os principais pontos da estratégia dos partidos de oposição. É preciso ainda que haja tempo para mobilizar os eleitores e garantir testemunhas nas cabines de votação. “É difícil enfrentar o autoritarismo em eleições municipais. É mais fácil competir nas eleições presidenciais”, diz Corrales. Mesmo assim, dificilmente o presidente oferecerá condições propícias. “O governo sabe que perderá se permitir tudo isso”, diz David Smilde. “É difícil ficar otimista”, afirma.

16 de dez de 2017

Presidente do Peru diz que não vai renunciar após revelações sobre Odebrecht

Parlamentares da oposição tornaram públicos documentos que comprovam os pagamentos da empreiteira brasileira para a firma de consultoria pertencente a Kuczynski
Pedro Pablo Kuczynski é acusado de receber cerca de US$ 800 mil da Odebrecht através de sua empresa de consultoria ( Foto: AFP )
Estadão Conteúdo
O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, promete resistir aos apelos para que renuncie, após a revelação de que a Odebrecht fez repasses para sua firma de consultoria entre os anos de 2004 e 2007 - período em que serviu como ministro das Finanças e primeiro-ministro do país. "Compatriotas, não vou me amedrontar. Sou um homem honesto", afirmou.
Em um pronunciamento televisionado no fim da noite da última quarta-feira (13), o líder peruano afirmou que não tinha envolvimento com a Westfield Capital no período em que a consultoria recebeu cerca de US$ 800 mil da empreiteira brasileira.
Kuczynski estava rodeado por seus ministros durante o pronunciamento. Ele afirmou ainda que a corrupção no país é sistêmica, mas que vai defender sua honra.
No mês passado, Kuczynski negou veementemente ter qualquer ligação profissional ou política com a Odebrecht. Parlamentares da oposição, no entanto, tornaram públicos na quarta-feira, os documentos que comprovam os pagamentos da Odebrecht para a Westfield.
Kuczynski foi eleito em 2016, em parte por defender o combate à corrupção no país.

15 de dez de 2017

Conheça destinos internacionais que estarão em alta em 2018

Por causa da Copa do Mundo, a Rússia será um dos destinos mais cobiçados no ano que vem. Além dela, locais paradisíacos e pouco explorados estão na lista dos viajantes

Arrumar as malas, comprar as passagens e viajar. Este é o plano de muitos brasileiros que não abrem mão de explorar um lugar fora do País quando estão de férias. E que tal sair um pouco do convencional e ir para lugares desconhecidos? Por causa de mudanças de visto, moeda e eventos, alguns lugares se tornaram mais procurados e serão tendências em 2018. Abaixo, listamos oito destinos internacionais. Confira!
Krabi (Tailândia)
Com algumas das praias mais paradisíacas na Tailândia distribuídas em mais de 150 ilhas, a província de Krabi proporciona água azul, areia branca e muito sossego para o turista. Além das belezas naturais, a vantagem de viajar para esta província são os preços. É possível comer bem por R$ 20 e se hospedar em hotel cinco estrelas pagando o preço de um de quatro estrelas. A diária pode sair por R$ 190 para duas pessoas, com café da manhã. O lugar é indicado para jovens e casais em lua de mel.

Muscat (Omã)
 O Oriente Médio vem despertando a curiosidade dos brasileiros. Muscat é um destino que deve entrar na lista dos viajantes que se interessam em explorar a história e cultura da região. Marcado pela cultura árabe e islâmica, ele é rodeado de desertos, montanhas e oásis. Ainda não há voos diretos. Por isso a viagem pode ter conexão em cidades da Europa ou da África. A melhor opção é na Etiópia, pela Ethiopian Airlines. As passagens podem custar R$ 2.685. Como ainda é pouco explorado, a hospedagem não é tão barata como a Tailândia, por exemplo. As diárias podem sair em torno de R$ 260  para duas pessoas. O ideal é levar dólar ou euro e chegando lá trocar pela moeda local.

Turks & Caicos (Caribe)
Com um mar de várias tonalidades em azul, areias brancas e coqueiros, a ilha caribenha proporciona paisagens paradisíacas. O arquipélago tem locais para mergulho, esportes aquáticos e ecoturismo. O jeito mais fácil é pegar um voo do Brasil até Miami (EUA) e de lá ir de navio ou avião até Providenciales, uma das cidades mais importantes das Ilhas. Embora seja considerado um destino de luxo, as passagens aéreas não saem tão caras, é possível encontrar voos a partir de R$2.600 e se hospedar em hotéis três estrelas para duas pessoas com diárias a partir de R$ 580, sem café da manhã.


Seychelles (África)
Conhecida por sua preservação ambiental, a ilha investe em hotéis “ecofriendly”e que oferecem ao turista atividades que vão desde passeios aquáticos até visitas em plantações de baunilha. De acordo com a Submarino Viagens, no último ano, o número de brasileiros procurando viagens para ilha triplicou. Mas, ainda sim, por causa da distância, é um destino pouco explorado. Em média são 14 horas de viagem, que pode ser feita pelas companhia aéreas Qatar e Emirates, com escalas em Doha e Dubai ou via África do Sul, com a South African Airways. As passagens podem custar a partir de R$ 3.560. A boa notícia é que não existe uma época do ano específica para visitar a ilha. É possível desfrutar de sol e águas cristalinas o ano inteiro.


Moscou (Rússia) 
Em 2018 será ano de Copa do Mundo e o interesse dos brasileiros pelos pacotes de viagens rumo à Rússia não para de crescer, de acordo com a agência de Turismo CVC. A seis meses do maior evento esportivo do mundo, a cidade já se prepara para receber turistas de todos os cantos do planeta. Algumas agências de turismo oferecem pacotes que incluem hospedagem, ingressos de jogos, traslados, guias e seguros viagem. Embora haja muita procura pelo destino no ano que vem, os preços ainda estão em conta. Um pacote com passagem aérea mais hospedagem por cinco noites pode sair por R$ 3.400, por pessoa. Além da capital Moscou, é possível explorar outras cidades como São Petesburgo e Kazan, além de países próximos como a Ucrânia e Geórgia.

Canadá
O país se tornou um dos mais procurados quando o assunto é intercâmbio. Além do barateamento do dólar canadense frente ao dólar americano, as facilidades na obtenção de visto também aumentaram a procura pelo destino. Desde maio deste ano, o governo canadense deixou de exigir o visto para brasileiros. Agora, é possível emitir uma autorização online para entrar no país, ou se o turista já possui visto americano não é necessário a emissão de visto canadense. A mudança vale para turismo, negócios e estudo. Além de Toronto e Vancouver, que são os destinos turísticos mais conhecidos, Montreal, de colonização francesa, vem se destacando como uma tendência de viagem no país. Se a intenção for apenas viajar, é possível encontrar pacotes com passagens aéreas e hospedagem a partir de R$3630.

Maldivas
Considerada por muitos turistas um sonho de viagem a ser realizado, Maldivas é um destino que proporciona calma e é indicado principalmente para casais em lua-de-mel. Por lá, é possível praticar surfe e windsurfe e passear por prais tranquilas. As melhores opções de acesso para a capital Malé são as companhias aéreas Qatar, Emirates e Turkish, com conexão em Doha, Dubai e Istambul. A Emirates possui o voo com menor tempo de duração. Outra alternativa é viajar com a companhia aérea British via Londres. Mas, prepare o bolso, as passagens aéreas têm tarifas a partir de R$ 5.500 por pessoa. A hospedagem é um pouco salgada e pode chegar a US$ 500 por dia. O ideal é escolher um hotel all inclusive, já que bebidas costumam ser muito caras e o acesso para outros lugares da ilha é limitado.

África do Sul
No ano que vem, o país comemora o centenário do nascimento de Nelson Mandela com eventos esportivos, culturais e artísticos. Além das celebrações que atrairão diversos turistas, a África do Sul tem chamado atenção por oferecer lugares paradisíacos, bons vinhos e cultura. Na Cidade do Cabo, por exemplo, há opções de visitar praias, montanhas e viniculturas, além de comer bem por apenas R$ 30. A moeda local é desvalorizada (um real equivale a 4,30 rands sul africanos) o que torna 2018 ainda mais convidativo para explorar esse destino. Para os amantes dos safáris, a dica é ir no inverno, época do ano em que os animais ficam mais expostos nas savanas. Mas se o intuito for clima quente e praias (as águas são geladas também no verão), o ideal é viajar entre os meses de outubro e janeiro. Além da Cidade do Cabo, Joanesburgo também pode ser uma opção para o turista. As diárias dos hotéis podem sair de US$ de 30 a 40.

*Preços fornecidos pela agência de turismo CVC, Submarino viagens, pesquisados em novembro de 2017 

14 de dez de 2017

Cinco pessoas são presas durante operação do Exército no Complexo da Maré

Militares também encontraram um estacionamento de carros e motocicletas roubados e uma oficina de clonagem de veículo.

Rio - Cinco pessoas foram presas nesta quarta-feira durante uma operação do Exército na Nova Holanda, comunidade que pertence ao Complexo do Maré, na Zona Norte do Rio. Segundo o comando do Estado-Maior, os detidos respondem pelos crimes de  roubo, furto, tráfico e associação ao tráfico. Outras ocorrências relacionadas à Justiça Comum também foram registradas.
Militares encontraram um estacionamento de carros e motocicletas roubados e uma oficina de clonagem de veículos Divulgação
Ao todo, as Forças Armadas recuperaram 33 motocicletas e 12 carros roubados, sendo alguns de luxo. Além disso, foram apreendidos: 291 trouxinhas de maconha, 99 de skank, 52 de haxixe, 203 pinos e 150 tubos de cocaína, 50 comprimidos de ecstasy, 22 pedras de crack, 50 frascos com pedras crack, 115 frascos de lança perfume, 612 frascos de éter, 24 munições, 20 estojos, um aparelho de DVD automotivo, uma TV 65 polegadas UHDTV 4K, um condicionador de ar, uma bomba de fabricação caseira, material para endolação de entorpecentes, material para confecção de explosivos, uma pistola Glock 9mm com carregador, um rádio transmissor, uma granada de mão artesanal e aproximadamente R$ 800 em espécie. 
Ainda no interior da comunidade, os militares descobriram um estacionamento de carros e motocicletas roubados e uma oficina de clonagem de veículos. Durante o dia, foram abordadas mais de 3 mil pessoas e cerca de 1500 veículos nas vias da comunidade.
Foram empregados na operação 800 militares do Exército Brasileiro, com apoio de meios blindados e aéreos. Desta vez, as Forças Armadas ficaram responsáveis tanto pelo cerco e estabilização da área quanto pelo cumprimento do mandado da Justiça Militar. A ação foi encerrada por volta das 18h.

13 de dez de 2017

Exército faz operação no Complexo da Maré

Pelo menos 800 militares participam da ação nesta quarta-feira. Objetivo é cumprir mandados judiciais de um inquérito policial militar

Rio - O Exército realiza, nesta quarta-feira, uma operação na comunidade Nova Holanda, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Pelo menos 800 militares participam da ação desde o início desta manhã. O objetivo é cumprir mandados judiciais de um inquérito policial militar instaurado na Justiça Militar. No entanto, os mandados que são cumpridos não foram divulgados por estarem em segredo de Justiça.
Exército faz operação no Complexo da Maré Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Os militares chegaram à favela por volta das 5h30 desta quarta. Segundo relatos, fogos foram disparados no momento em que o Exército chegou na Nova Holanda. Até a publicação desta reportagem, não havia balanço da operação.

12 de dez de 2017

Petrobras quer que Gleisi Hoffmann devolva R$ 1 milhão à empresa


Gleisi Hoffmann
A senadora paranaense e o marido dela e ex-ministro Paulo Bernardo negam qualquer irregularidade nas contas de campanha de 2010 ( Foto: José Leomar )
Brasília. A Petrobras quer que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) seja condenada a devolver, com seu marido, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo, o valor de R$ 1 milhão aos cofres da empresa. O empresário Ernesto Klueger também é alvo da cobrança.
O pedido foi encaminhado ao ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), na ação penal em que a senadora foi denunciada por corrupção e lavagem de dinheiro.
Nas alegações finais sobre o caso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que os três réus, além de condenados, fossem obrigados a pagar R$ 4 milhões em indenização aos cofres públicos, quatro vezes mais do que o R$ 1 milhão que teriam sido desviados da Petrobras para irrigar a campanha de Gleisi ao Senado em 2010.
Segundo a denúncia apresentada pela PGR, Paulo Bernardo teria solicitado a quantia ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que teria providenciado o pagamento por meio do doleiro Alberto Yousseff.
Na condição de auxiliar de acusação, a Petrobras pediu que, a partir dessa indenização, seja ressarcida em, ao menos, R$ 1 milhão, valor "inequivocamente, desviado dos cofres da requerente, através de estratagemas acuradamente analisados e reconhecidos pela acusação em suas considerações finais".
No requerimento, a Petrobras volta a afirmar ter sido a maior vítima dos esquemas de corrupção revelado pela Operação Lava-Jato desde 2014. Até o fechamento desta edição, não foi obtido contato com os acusados. A senadora Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Paulo Bernardo sempre negaram qualquer irregularidade.
"A requerida jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas", afirmou a defesa de Gleisi Hoffmann.
Conduções coercitivas
Em outra frente de contestação às recentes operações da Polícia Federal, o PT reiterou diante do STF o pedido de liminar para suspender o uso de condução coercitiva para realização de interrogatórios. A reiteração do pedido destaca a condução coercitiva de Jaime Arturo Ramirez e Sandra Goulart Almeida, respectivamente reitor e da vice-reitora da Universidade Federal de Minas Gerais, realizada na semana passada. Eles eram investigados em um inquérito policial.
"A execução da medida restritiva de liberdade causou forte reação na sociedade e na academia, já impactadas pelo suicídio do Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, o professor Luiz Carlos Cancellier, ocorrido em 2 de outubro desse ano".

11 de dez de 2017

'Gatilho' da idade mínima fará trabalhador se aposentar aos 70 anos

Cada vez que expectativa de vida subir após 65 anos, segurado levará mais tempo para ter benefício

Rio - Com o aumento da expectativa de vida dos brasileiros calculada pelo IBGE, o segurado do INSS corre o risco de somente se aposentar aos 70 anos. É o que prevê emenda à Reforma da Previdência que cria uma espécie de "gatilho" para idade mínima. Ou seja, toda vez que a expectativa de vida sobe após 65 anos, a aposentadoria ficará mais distante. O mecanismo determina acréscimo de um ano na idade mínima a cada quatro anos de revisão da tabela. Mas atenção: trabalhadores que já tenham atingido o tempo para aposentar (30 anos para mulheres e 35 para homens) conseguem escapar da reforma por já terem direito adquirido, alertam especialistas.
Vale lembrar que a PEC 287 em tramitação no Congresso prevê 62 anos para mulheres e 65 anos para homens pedirem o benefício do INSS. "O 'gatilho' também atinge categorias especiais como professores, policiais e trabalhadores rurais", alerta Cristiane Saredo, do escritório Vieira e Vieira Assessoria Jurídica e Previdenciária.
'O ‘gatilho’ atinge categorias que conquistaram idades mínimas menores, comoprofessores e policiais', diz a advogada Cristiane Saredo Sandro Vox / Agência O Dia
Entre 2015 e 2060, o IBGE projeta que a expectativa de vida do brasileiro a partir dos 65 anos passará de 18,4 para 21,2 anos. Isso significa que a idade mínima aumentará um ano automaticamente. "O gatilho garante que a evolução da idade mínima conforme a expectativa de vida das pessoas", explica o secretário de Previdência, Marcelo Caetano.
"A cada quatro anos, mais ou menos, após a divulgação da tábua de mortalidade do IBGE, a idade subirá de 62 anos (mulheres) ou 65 anos (homens), para 63 anos e 66, respectivamente, e assim por diante até 70 anos", explica a vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, Adriane Bramante.
"Por exemplo, a mulher que está com 40 anos, ao atingir a idade mínima proposta hoje (62 anos), só poderá se aposentar com com aproximadamente 67 anos", exemplifica.
Valor do benefício
E a "pegadinha" não é só no tempo de trabalho. A Reforma da Previdência também afeta diretamente o valor do benefício concedido ao segurado. O tempo mínimo de contribuição para os trabalhadores da iniciativa privada continua a ser de 15 anos. Mas, quem se aposentar após cumprir a exigência terá direito a apenas 60% do benefício integral, atualmente esse percentual está em 85%.
"Uma aposentadoria por idade hoje para uma mulher com 60 anos, 15 de contribuição e renda média de R$ 3 mil, seria R$ 2.550, ou seja 85% da média de contribuições. Mas, caso seja aprovada a Reforma da Previdência, o benefício seria R$ 1.800, ou seja 60% da média de contribuição", calcula Adriane.
Trunfo do governo para não 'perder dinheiro' ao reduzir pacote
O 'gatilho' da idade mínima é o principal trunfo do governo para manter os efeitos da proposta por um tempo maior e gerar economia de, aproximadamente, R$ 480 bilhões em dez anos, cerca de 60% do previsto no texto original. Um ponto que chama atenção, segundo Eduardo Fagnani, professor do Instituto de Economia da Unicamp, é que ao mesmo tempo que o governo Temer quer "economizar" na Previdência, trabalha para aprovar no Congresso a Medida Provisória 795/2017, que reduz impostos para petroleiras até 2040 e geraria a renúncia fiscal de R$ 40 bilhões por ano ou R$ 1 trilhão em 25 anos, segundo estudo da Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados.
"Isso representa mais de 20 anos da suposta economia que seria obtida com a reforma", diz.
O professor alerta para o risco de as receitas previdenciárias despencarem nos próximos anos por conta da Reforma Trabalhista, que precariza o salário e, consequentemente, as contribuições para o INSS. E também pelas dificuldades impostas ao trabalhador para se aposentar."As dificuldades são tantas que devem migrar para a previdência privada", diz Fagnani.
Avaliação similar tem o senador Paulo Paim (PT-RS). "Quando o trabalhador perceber que tem condições de se aposentar pelo INSS, vai contribuir com o mínimo e, no longo prazo, vai para a previdência privada, que é gerida pelos bancos", aponta Paim.
Um ponto destacado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) é o fato da isonomia (igualdade) nõ ser respeitada. "O governo anunciou a redução do tempo mínimo de contribuição de 25 anos para 15 anos, mantendo a regra atual. Mas só para o Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Os servidores seguem com a exigência de 25 anos", adverte Luiz Alberto dos Santos, consultor legislativo do Senado.
Mecanismo tem que ser implantado por uma lei ordinária
O 'gatilho' da idade mínima somente entrará em vigor quando o Congresso Nacional aprovar uma lei ordinária regulamentando como será calculada a expectativa de vida da população.
"Anualmente o IBGE divulga a tabua de mortalidade expondo a expectativa de sobrevida dos brasileiros (de ambos os sexos) para cada uma das idades 'cheias', até os 80 anos", informa Luiz Felipe Veríssimo do Instituto de Estudos Previdenciários (Ieprev). E complementa: "Ou seja, hoje possuímos uma expectativa de sobrevida para os brasileiros com 65 anos de idade referente ao ano de 2016, divulgada no último dia 1º. Logo, sempre que verificar-se que essa expectativa de sobrevida aos 65 anos aumente em um ano inteiro, a idade mínima para aposentadoria também terá um aumento em um ano".
Ele explica que a redação atual da PEC prevê que a idade mínima será fixada em 62 anos de idade para as mulheres e 65 aos homens, quando se verificar este aumento da expectativa de sobrevida essas idades mínimas também serão majoradas um ano a cada quatro. Nesse caso, a PEC prevê que uma lei posterior (essa que aguarda votação na Câmara) definirá como essa majoração seria realizada.
A PEC acrescenta o § 15 ao Artigo 201 da Constituição Federal que assim está redigido: "A lei estabelecerá a forma como as idades previstas nos incisos I e II do § 7º e no § 8º serão majoradas em um ano quando houver aumento em número inteiro na expectativa de sobrevida da população brasileira aos sessenta e cinco anos, para ambos os sexos, em comparação com a média apurada no ano de publicação desta Emenda."
"É uma questão técnica, não há como determinar isso (a elevação da idade mínima, de acordo com a tábua do IBGE) por meio da Constituição", diz o secretário de Previdência Marcelo Caetano.

9 de dez de 2017

Cristina encurralada

Justiça argentina pede a prisão preventiva e o fim do foro privilegiado da ex-presidente, suspeita de acobertar responsáveis pelo maior ataque contra judeus desde a 2a Guerra

Crédito: Divulgação
TRATO A hoje senadora teria feito acordo com o Irã em troca de benefícios comerciais (Crédito: Divulgação)
Acusada de enriquecimento ilícito, tráfico de influência e lavagem de dinheiro, a ex-presidente e hoje senadora argentina Cristina Kirchner foi alvo de mais um processo na quinta-feira 7. Dessa vez, por traição à pátria pelo suposto acobertamento de iranianos envolvidos no atentado à sede da Associação Mutual Israelita Argentina, em 1994. O ataque deixou 85 mortos e 150 feridos após a explosão de um carro-bomba em frente à sede da instituição, em Buenos Aires. Foi o maior ataque contra judeus desde a Segunda Guerra. O juiz Claudio Bonadio pediu a retirada do foro privilegiado e a prisão preventiva de Cristina para que ela não obstrua as investigações. O Senado tem 180 dias para decidir se permite a prisão.
A suspeita de envolvimento da senadora no acobertamento dos responsáveis é antiga. Logo a partir das primeiras investigações, ex-ministros e diplomatas iranianos apareceram por trás do atentado. Em 2006, a justiça argentina emitiu uma ordem de captura contra seis deles. Um ano depois, o grupo integrava a lista de procurados pela Interpol.
Força dos Kirchner
Nesse período, Cristina e membros de seu governo teriam trabalhado para que os iranianos fossem protegidos em troca da assinatura de um tratado comercial entre Argentina e Irã, depois considerado inconstitucional. Em 2013, foi anunciada a formação de uma comissão integrada por juristas internacionais para esclarecer a autoria do atentado. A iniciativa foi rejeitada pelas associações judaicas. O procurador Alberto Nisman, assassinado em 2015 às vésperas de apresentar um relatório em que acusava a ex-presidente de acobertar o crime, afirmou que a comissão seria “uma manobra criminosa para aproximar Irã e Argentina, restabelecendo relações comerciais para aliviar a crise energética argentina mediante a troca de petróleo por cereais.” Na sentença que proferiu na semana passada, o juiz Claudio Bonadio declarou ter ficado “comprovada a responsabilidade penal dos funcionários que participaram da negociação com o Irã, instigando atos de guerra contra cidadãos argentinos inocentes.”
Cristina e seus aliados têm maioria no Senado. A dúvida é se a ordem de prisão quebrará a força do kirchnerismo. “Um eventual fracasso da senadora aumentará o poder do presidente Maurício Macri.”, diz Thiago de Aragão, analista político da consultoria Arko Advice. “Será um ponto de virada política.”
“Um eventual fracasso da senadora aumentará o poder do presidente Macri” Thiago de Aragão, analista político da Arko Advice

8 de dez de 2017

Qualcomm lança novo chip Snapdragon 845

Keith Kressin, da Qualcomm, apresenta o Snapdragon 845 (Crédito:André Cardozo)
MAUI, HAVAÍ (*) – A Qualcomm apresentou na manhã desta quarta-feira (6/12) seu novo processador de ponta, o Snapdragon 845, que substituirá o Snapdragon 835 como processador mais poderoso da empresa para smartphones e outros dispositivos móveis. Os primeiros smartphones com o chip 845 devem ser apresentados no começo do ano que vem.
Com o novo módulo gráfico Adreno 630, o chip 845 promete um desempenho 30% melhor do que seu antecessor em aplicações gráficas, como games. O Snapdragon 845 traz ainda uma série de avanços nas áreas de segurança, realidade aumentada, processamento de fotos e vídeos e áudio. O consumo de bateria, segundo a Qualcomm, é de 30% menos do que o chip 835. O novo Snapdragon 845 tem oito núcleos, quatro dos quais com velocidade de 2,8 GHz. Segundo a Qualcomm, o desempenho destes núcleos é entre 25% 30% superior ao do chip 835.
Conexões sem fio
O novo chip promete também ajudar a vida de quem tem fones de ouvido Bluetooth do tipo earbud, aqueles bem pequenos que se encaixam nas orelhas. Um dos problemas destes fones é que a bateria acaba em questão de horas. Segundo a Qualcomm, o chip 845 deve ajudar nesse problema, pois, por meio de seu módulo Bluetooth aprimorado, pode enviar o áudio para os dois fones ao mesmo tempo (atualmente, o áudio é enviado para apenas um dos fones, que depois reenvia o áudio para o outro).
Snapdragon 845 tem Bluetooth aprimorado que muda a forma de transmissão de áudio para fones de ouvido do tipo earbud (Crédito:André Cardozo)
O Snapdragon 845 também traz uma série de aprimoramentos para melhorar o desempenho de smartphones em redes Wi-Fi e de conexões 4G. Segundo a empresa, graças ao novo módulo de modem X20, o 845 pode ser até 20% mais rápido do que seu antecessor em redes do padrão Gigabit LTE (uma tecnologia superior à 4G ainda não disponível no Brasil).
Na área de fotografia, o chip 845 usa 10 bits para armazenar informações de cor, contra 8 bits usados pelo 835. Assim, em tese os smartphones equipados com esse chip poderão mostrar uma variedade maior de cores. O chip é capaz ainda de capturar vídeos com resolução 4k e padrão HDR e gerar arquivos do padrão Ultra HD Premium.
* O jornalista viajou a Maui a convite da Qualcomm

7 de dez de 2017

Reprovação recorde não trará ‘Congresso novo’

Fatores que vão além da revolta com a classe política podem ter peso maior nas urnas em 2018
São Paulo/Rio/Brasília. O alto índice de reprovação de deputados e senadores, constatado por pesquisa Datafolha divulgada ontem, não significa garantia de renovação profunda do parlamento na próxima eleição.
Fatores que vão além da revolta com a classe política podem ter peso maior nas urnas em 2018, na avaliação de especialistas. O novo modelo de financiamento das campanhas, aprovado neste ano, é um deles.
Para o cientista político do Departamento de Gestão Pública da Fundação Getúlio Vargas, Eduardo Grin, a criação do fundo eleitoral com recursos públicos para 2018 irá favorecer os caciques partidários e quem já tem mandato.
“Os números da pesquisa poderiam nos levar a concluir que a renovação dos parlamentares em 2018 tende a ser a maior da nossa história. Mas uma análise mais cuidadosa aponta para o caminho oposto. É fácil supor que os mais poderosos nas legendas, em geral, aqueles que detêm cargo público, terão privilégio na repartição do fundo eleitoral”, projeta.
A pesquisa, realizada em 29 e 30 de novembro, constatou que o índice dos que consideram ruim ou péssimo o trabalho dos parlamentares é de 60%, o pior desde que a série começou.
A maior reprovação, até então, havia sido registrada em 1993, com 56%. A aprovação neste ano caiu para 5%.
Nos últimos 25 anos, período em que a avaliação foi feita, apenas no final do primeiro ano de governo Lula, o Datafolha constatou que a satisfação do eleitorado com o Congresso superava a avaliação negativa.
Abstenção
Outro fator que especialistas consideram como obstáculo para uma renovação mais vigorosa do Congresso é uma esperada alta taxa de abstenção de eleitores na próxima eleição, em razão da desilusão com a política. “Se 30% ou 40% dos eleitores não votarem, serão favorecidos os políticos que têm curral, com mandato e aparelhagem”, avalia o cientista político Carlos Melo, professor do Insper.
O Brasil, contudo, é um dos países com maiores taxas de renovação do Congresso. Em 2014, o índice de renovação foi de 43,7% O problema é que essa renovação nem sempre tem se traduzido em melhora da qualidade do parlamento.
Desilusão de Tiririca
No mesmo dia em que foi publicada pesquisa apontando reprovação recorde do Congresso, o deputado Tiririca (PR-SP) subiu à tribuna da Câmara para anunciar que faria seu primeiro e último discurso.
Reeleito com mais de um milhão de votos em 2014,Tiririca disse que vai deixar a política, e que o que acontece no Congresso é “vergonhoso”.
“Subo pela primeira vez e a última (à tribuna). Estou saindo triste para caramba, estou muito chateado mesmo com o Parlamento”, afirmou Tiririca, acrescentando: “Não fiz muita coisa, mas pelo menos fiz o que fui pago para fazer. O que vi nestes sete anos, saio com vergonha. Mas gostaria que vocês olhassem mais para o povo”.
O deputado disse que os parlamentares têm “mordomia” e ganham bem. “Nem todos os 513 trabalham. É vergonhoso: ando de cabeça erguida porque tenho coragem, mas muitos de vocês andam disfarçados. Já vi deputados envergonhados. A gente é bem pago, R$ 23 mil limpos, tem apartamento, mordomia. Não fiz nada, mas o pouco que eu fiz, fiz de cabeça erguida. É vergonhoso”, disse ele.

6 de dez de 2017

Trump reconhecerá Jerusalém como capital de Israel e decisão causa preocupação

Papa Francisco manifestou sua preocupação e pediu para que o status de Jerusalém seja respeitado. A voz do papa faz eco a de outros líderes estrangeiros

EUA - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconhecerá, nesta quarta-feira, Jerusalém como a capital de Israel, ignorando décadas de uma diplomacia cautelosa de Washington sobre este tema sensível para o Oriente Médio e as advertências de líderes regionais, informou um funcionário americano. A decisão do presidente será anunciada às 16h (horário de Braísilia). 
Jerusalém AFP
O presidente também determinará que se prepare a transferência da embaixada dos Estados Unidos de Tel-Aviv para Jerusalém, mas este movimento poderá exigir "vários anos", informou o funcionário, que pediu para não ser identificado, completando que não estabelecerá agora um calendário para a mudança da sede diplomática. 
Para a ONU, o futuro status de Jerusalém deve ser objeto de negociações. O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, afirmou em diversas oportunidades que "devemos ser muio prudentes com o que fazemos". 
Jerusalém AFP
O Reino Unido também manifestou sua preocupação em relação a intensão do presidente americano. O ministro britâncio das Relações Exteriores, Boris Johnson, declarou que não há a intenção de transferir a embaixada  e que "Jerusalém deveria, evidentemente, ser parte de uma solução definitiva dos conflitos entre israelenses e palestinos.
A decisão de Donald Trump também foi condenada pela Síria que foi classificada como "perigosa" pelo Ministério das Relações Exteriores
Para a China a mudança pode causar uma piora nas tensões da região. "Todas as partes envolvidas devem levar em conta a paz e a estabilidade regional, serem prudentes em suas ações, evitar minar as bases de uma resolução da questão palestina", disse o porta-voz chiês Geng Shuang. 
O papa Francisco pediu que o status quo de Jerusalém seja respeitado e que a "sabedoria e a prudência" possam prevalecer para evitar nos conflitos entre israelenses e palestinos.
Francisco afirmou que está "profundamente preocupado" com os desenvolvimentos recentes e declarou que Jerusalém é um lugar único e sagrado para cristãos, muçulmanos e judeus e que tem uma "vocação especial para a paz"
Papa Francisco AFP
Ele apelou que todos precisam respeitar o status quo da cidade, de acordo com as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU). "Peço ao Senhor que a sua identidade seja preservada e fortalecida em benefício da Terra Santa, do Oriente Médio e do mundo inteiro e que a sabedoria e a prudência prevaleçam para que novos elementos de tensão sejam retirados de um sistema global já convulsionado por tantos conflitos cruéis", disse.
Com informações da AFP e do Estadão Conteúdo

5 de dez de 2017

EUA e Coreia do Sul iniciam série de exercícios militares

Simulação começa cinco dias depois do teste norte-coreano de um potente míssil balístico intercontinental
As manobras batizadas de 'Vigilant Ace' envolvem mais de 230 aviões, incluindo caças F-22 Raptor, e dezenas de milhares de soldados ( Foto: Agência France Presse )
Washington/Seul. Estados Unidos e Coreia do Sul iniciaram ontem um grande exercício aéreo conjunto, uma operação que Pyongyang chamou de "provocação total", poucos dias depois do lançamento de um potente míssil norte-coreano.
O exercício de cinco dias, batizado de Vigilant Ace, envolve mais de 230 aviões, incluindo caças F-22 Raptor, e mobiliza dezenas de milhares de soldados. Durante o fim de semana, o jornal estatal norte-coreano Rodong denunciou as manobras.
"É uma provocação aberta, em todos os níveis, contra a Coreia do Norte, que poderia resultar em uma guerra nuclear a qualquer momento", afirmou a publicação em um editorial.
"Os belicistas americanos e sua marionete sul-coreana fariam bem em recordar que seu exercício militar dirigido contra a Coreia do Norte será tão estúpido como um ato que precipita sua autodestruição". O ministério norte-coreano das Relações Exteriores acusou no sábado (2) o governo de Donald Trump de "querer a guerra nuclear a qualquer preço" com esta simulação.
O exercício anual começou cinco dias depois do teste norte-coreano de um míssil balístico intercontinental (ICBM), supostamente capaz de atingir o território dos Estados Unidos. Em um momento de grande tensão, no domingo (3) o influente senador republicano Lindsey Graham citou o fantasma de uma guerra preventiva.
A Coreia do Norte lançou na quarta-feira passada (29/11) um novo tipo de míssil Hwasong 15, com capacidade de transportar uma "ogiva pesada extragrande" e que pode atingir todo o território continental dos Estados Unidos. Segundo o líder norte-coreano, Kim Jong-Un, com o teste o país alcançou o objetivo de tornar-se um Estado nuclear de pleno direito.
ONU
O secretário-geral adjunto da ONU para Assuntos Políticos, o americano Jeffrey Feltman, realizará entre amanhã e sexta-feira uma visita oficial à Coreia do Norte, anunciou ontem o porta-voz das Nações Unidas, Stéphane Dujarric.
Trata-se da primeira visita de Feltman a esse país desde que assumiu sua função em 2012, detalhou a ONU.
A visita ocorre após um convite dos norte-coreanos ao secretário-geral da ONU, António Guterres, durante a Assembleia Geral da organização em setembro, acrescentou Stéphane Dujarric.