30 de mar de 2010

Farc divulgam local onde estão restos de refém morto em cativeiro

As Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) já divulgaram as coordenadas do local exato onde estão os restos do capitão Julián Guevara, capturado em 1998 e morto em cativeiro em 2006, informou a emissora Telesur. A guerrilha anunciou a intenção de entregar os restos de Guevara há quase um ano. Na mesma época em que tinha prometido soltar o sargento Pablo Emilio Moncayo e o soldado Josué Daniel Calvo, libertados nesta terça-feira e no último domingo (28), respectivamente.

Na última sexta-feira (26), contudo, as Farc disseram que a entrega dos restos de Guevara não seria possível, pois 'o Exército ocupava a área' em questão, que até então não havia sido especificada.

Calvo foi incluído na operação porque seu estado de saúde estava debilitado. Ele foi resgatado pela missão humanitária integrada por membros do grupo Colombianos pela Paz, da senadora Piedad Córdoba; do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV); representantes da Igreja Católica local e uma tripulação da Força Aérea Brasileira (FAB). A mesma delegação atuou no operativo desta terça-feira.

29 de mar de 2010

No caso Nardoni, bandidos foram para cadeia


A possibilidade de anular o julgamento do casal Nardoni com base em lei que já não existe é bem o retrato de um país em que, na Justiça, leis são feitas para protelar, enrolar, retardar e não para fazer Justiça. Leis boazinhas, que refletem a cultura nacional da impunidade e estimulam o crime.

O caso Nardoni é um caso típico de crime com todos os ingredientes para levar à pena máxima. A primeira impressão, de que finalmente o bandido vai para a cadeia (foi isso que decidiu o júri) já está tremilhando ante a possibilidade de decepção com aquilo que, no futebol, se chama de tapetão. É uma instituição nacional essa história de ganhar na chicana. Imaginem uma lei que desestimula uma lei acima de 20 anos porque o júri pode ser anulado.

A lei não existe mais e ainda se pensa que ela pode ser aplicada porque vigorava na época em que Isabella foi morta.

Também chamou atenção a comoção das pessoas do lado de fora do fórum, em São Paulo. É um marco. É um caso em que os bandidos foram para a cadeia. Alexandre teve pena maior porque é o pai. Não teve sequer o arrependimento que levaria à confissão. Os jurados se aplicaram para não cometer injustiça. Exerceram a cidadania.

Mas e os outros bandidos: os de colarinho branco, da corrupção, que também matam? Matam na saúde pública, onde falta UTI para crianças? E o que foi para paraíso fiscal, para meias, para bolsas, para cuecas, para mensalões de várias siglas? O que sobre no caixa 2 e falta na educação, matando o futuro? Ou falta na segurança, ferindo o presente? Falta no asfalto, para a Justiça de primeira instância? Contra esses ainda não há a mesma indignação que se viu na frente do fórum de Santana.

http://colunas.bomdiabrasil.globo.com/alexandregarcia/

28 de mar de 2010

Black Eyed Peas - Meet Me Halfway 1080p HD !!! (Victoria's Secret Fashion Show) LIVE


Para relaxar - assistam em várias resoluções - 360p, 480p, 720p e 1080p

Aquarium FULL HD 1080p Bluray


Para relaxar um pouco de tantas notícas ruins.
O vídeo possui várias resoluções - 360p, 480p, 720p e 1080p

26 de mar de 2010

Museu da Corrupção - Atualizado

O Jornal paulistano Diário do Comércio inaugurou no inicio do ano passado o Museu da Corrupção Online, espaço importante num momento de expansão no uso da internet e, principalmente, para pesquisa em tempos de ano eleitoral. Mas o Muco, como é conhecido pela extensão do seu endereço na internet, tem um desafio: tornar-se um espaço o mais imparcial possível, afinal, ser neutro diante de todos os escândalos políticos, desse ou daquele partido, e não sucumbir diante das pressões do poder é tarefa árdua.

O Museu foi criado a partir de um desenho básico inspirado no Museu do Louvre, em Paris, pelo arquiteto mineiro Rodrigo de Araújo Moreira e da ajuda de alunos de arquitetura. O auditório e a fachada ganharam jogo de sombras e transparências para dar destaque aos dois lados da corrupção. O conteúdo foi preenchido pelo trabalho de pesquisa da jornalista Kássia Caldeira.

No site, depois da introdução em flash, a visita é iniciada pelo saguão principal onde é possível visualizar os "atrativos" do Museu. Daí pra frente é só entrar nas salas dos horrores. Em cada uma delas uma figurinha carimbada do cenário nacional e amostras dos "deslizes profissionais" de que foram acusados - alguns provados.

Há tanta coisa por debaixo do tapete que o Muco recebeu um "puxadinho" na lateral. Lá você pode conferir, por exemplo, a Linha do Tempo, um espaço de exibição e reflexão sobre os escândalos que marcaram a história do País. Começa em 1960. O pessoal da corte, ditadores, republicanos e outros patrões do País, por enquanto, ficaram de fora. Pelo visto não há museu virtual que comporte tamanho "deslize profissional".

O tour pelo Museu termina na lojinha da "instituição", onde o visitante encontrará lembranças como camisetas, algemas, aparelhos de escuta, malas pretas e até propinas virtuais.

**Obs não esqueçam de fazer uma visita na lojinha do museu - segue o link abaixo:
http://www.muco.com.br/home.htm

As casas do silêncio

Ainda que Lula diga de sua acusação à "má-fé da imprensa" que apenas "mostra o que [nela] está errado", como "um alertador" -contra algo que não quis ou não pode dizer-, o fato é que faz do seu direito de crítica uma evidência do erro de sua autoavaliação. Disso é exemplo perfeito a frase que lhe pareceu retratar a "má-fé": "Acabei de inaugurar 2.000 casas, não sai uma nota. Caiu um barraco, tem manchete. É uma predileção pela desgraça." Deveria, ao menos poderia, sentir-se envergonhado com a constatação de que suas 2.000 casas não valem, no jornalismo, um barraco soterrado.
O que são 2.000 casas? Os números oficiais do governo Lula reconhecem o deficit habitacional de 6 milhões de casas. Seriam 6 milhões de famílias -crianças, mães e pais, talvez avós- desprovidos do que possa ser chamado de casa, com exagero embora. O que são, diante desses milhões, 2.000 casinhas? Ainda mais para "ter manchete".
Mas o deficit habitacional no governo Lula não é de 6 milhões de casas. É maior, não se sabe quanto maior, não se sabe qual é. Desde que os núcleos de pobreza multiplicaram ao incontável as suas células, umas apoiadas nas outras, sobre as outras, debaixo das outras, e em cada um desses núcleos se instalaram núcleos de criminalidade armada, desde então a liberdade ou mesmo a possibilidade física de qualquer contagem se tornou inviável. E assim é pelo país todo.
O que são, diante disso, 2.000 casas? Ainda mais para merecer manchete. São um fato humilhante. Para honrar um governo e mostrar um presidente estadista, deveriam ser 2.000 por dia. Indústrias trabalhando para isso, milhões de empregos, crianças, mães, pais e talvez avós ganhando o chão sólido e o teto firme, o saneamento e a água corrente que até hoje não sabem se um dia alcançarão.
O olhar do jornalismo para um barraco arruinado não é predileção, não é atração. É repulsa, é pasmo, é emoção. Não do jornalismo: dos seres humanos. Dos que são leitores, espectadores, ouvintes -e, valei-os Senhor, jornalistas. É o valor da vida, não é o barraco. É o peso da tragédia, da avalanche e da enchente fatais, do desastre aéreo, do assassinato horrorizante.
A parte negativa que cabe ao jornalismo, neste capítulo, pode ser a da má medida, alguns vícios da facilidade e, até como especialidade de conhecido ramo, a exploração do sensacionalismo. Bom ou mau, o jornalismo supõe oferecer o que o público deseja ou, no mínimo, aceita. Nada de inocentar a imprensa.
Estamos fazendo no Brasil um jornalismo descuidado, cheio de fantasias ilusionistas, de enchimento de espaço a granel. Um jornalismo que precisa de muitas críticas. Inclusive das de Lula, mas que sejam críticas de fato, e não cobranças de louvação quando o mais generoso é o silêncio, porque o devido é a crítica.
JANIO DE FREITAS

24 de mar de 2010

CQC matéria Rafinha Bastos e Danilo Gentili proteste já parte 1


Para quem não acompanhou o CQC, semana passada o quadro Proteste Já que exibiria uma denúncia envolvendo uma secretaria de Barueri-SP e foi censurado.

A polêmica da matéria girava em torno de uma TV de LCD que o próprio programa CQC doou para uma escola pública da cidade. SÓ QUE, imaginando o que poderia acontecer com a TV, a moçada resolveu instalar um celular com GPS dentro da televisão com intuito de saber qual fim seria dado a mesma.

Bom, já dá para imaginar o que aconteceu, não? Faço questão de deixar registrado meus parabéns pela sagacidade da moçada do CQC. Sem sombra de dúvida, uma das melhores matérias que já produziram!

Veja nos links:
http://www.youtube.com/watch?v=oW_CmHUcc4M&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=4YN4qf90hP8&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=39_voK6q67g&feature=player_embedded

23 de mar de 2010

Deputados apresentam moção de apoio a Cuba

Documento exalta compromisso cubano com 'democracia e justiça social' e ataca 'campanha' contra a ilha

Denise Madueño - O Estadao de S.Paulo

BRASÍLIA
Um insólito "protesto" em favor da ditadura cubana ganha força na Câmara dos Deputados. O grupo parlamentar Brasil-Cuba, comandado pela deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), está recolhendo assinaturas em uma moção de solidariedade ao governo de Raúl Castro, enquanto dissidentes cubanos lançam uma apelo internacional contra o "crime de consciência" na ilha.

O texto da moção dos deputados trata o movimento de dissidentes em Cuba e as manifestações contra o regime dos irmãos Castro como uma "cruzada infame" fabricada contra a soberania, a independência, a dignidade e o heroísmo do povo cubano.

O documento servirá de contraponto a outra moção, apresentada na semana passada no plenário da Câmara, de "irrestrito apoio e solidariedade aos presos políticos que, em Cuba, lutam por liberdade e democracia". O requerimento foi retirado de votação, na quarta-feira, pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), até que os líderes partidários discutam o encaminhamento que deverá ser dado ao documento. A reunião deverá ocorrer hoje.

"Na verdade, os virulentos ataques a Cuba escondem um alvo maior, que são as conquistas de governos populares comprometidos com a democracia e a justiça social das grandes maiorias da nossa América", diz a moção de apoio a Cuba. Ela considera ainda haver uma "insistente campanha promovida por meios de comunicação intransigentemente comprometidos com a desinformação", despertando o ânimo dos políticos reacionários.

Até agora, de acordo com dados da assessoria de Grazziotin, cerca de 30 deputados assinaram o documento.

A moção de apoio aos presos políticos foi apresentado pelo deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), conhecido na Casa por suas posições de direita, como apoio ao regime militar brasileiro. O requerimento obteve apoio de parlamentares do PP, do PPS, do PMDB, do PSDB, do DEM.

O documento de Bolsonaro foi reduzido a três linhas, com a retirada de termos mais incisivos contra o governo cubano. O documento de Grazziotin, ao contrário, é mais extenso e ataca o que chama de "inimigos" de Cuba.

"A Revolução Cubana é marcada por um bem-sucedido processo de transformações políticas, econômicas e sociais caracterizadas nas condições de vida do seu povo, principalmente na saúde e na educação", continua Grazziotin. "Por obra da mídia mercantil, do seu bloqueio informativo, nada disso chega aos leitores e telespectadores brasileiros", ressalta a deputada na moção.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100323/not_imp527921,0.php

20 de mar de 2010

Nosso bem mais precioso

A menos que chova, o próximo Dia Mundial da Água, celebrado todos os anos em 22 de março, será uma segundafeira na qual pouca gente se dará conta do quanto a vida depende desse líquido que cai do céu, brota do chão e congela nos polos. Somos 6,8 bilhões de pessoas sobre a face da Terra, e a maioria de nós consumirá e desperdiçará centenas de litros do líquido nessa data, enquanto um bilhão sofrerá o flagelo da sede. O segundo grupo, com certeza, tem um lembrete diário da importância da celebração do dia 22. Num futuro não muito distante, o número de pessoas que não esquecerão o significado desse dia vai se multiplicar como nunca antes na história. Estamos em uma verdadeira armadilha ambiental: em questão de décadas, as reservas de água potável de continentes como a África e a Ásia não serão mais suficientes para suprir a demanda de uma população que cresce em ritmo acelerado. De acordo com especialistas da ONU e de órgãos independentes, se a curva de crescimento da população mundial se mantiver, vamos chegar à marca de 15 bilhões de humanos já na metade deste século.E o total de sedentos baterá na casa dos 5,5 bilhões. Para evitar essa situação e fazer uma espécie de reforma aquária global, é preciso combater hábitos incorporados aos confortos da vida moderna, principalmente nos países desenvolvidos. Um exemplo vem do Instituto de Pesquisas Geológicas dos Estados Unidos. Segundo cálculos da instituição, são necessários 380 litros diários de água para manter um único americano vivo, feliz e hidratado. A estimativa leva em conta todas as formas de consumo, do volume gasto em um banho ao empregado na criação do gado transformado no hambúrguer da hora do almoço. Enquanto no Hemisfério Norte a escassez pode ser diminuída com mudanças de hábito, do lado de cá do Equador, além de medidas parecidas, é preciso combater problemas típicos do mundo em desenvolvimento. “Hoje, cerca de 40% do total mandado para a rede de distribuição do Brasil é perdido, seja por vazamentos, seja por roubos”, diz o engenheiro químico Marcelo Morgado, assessor de meio ambiente da Sabesp, a companhia estatal de abastecimento do Estado de São Paulo. “Em alguns Estados, o desperdício pode chegar a 70%, pois muitos são deficientes na medição”, completa. Essa perda não tem reposição.Diferentemente de plantas e animais, a água não pode ser cultivada, criada ou multiplicada. Temos hoje a mesma quantidade do líquido que havia no tempo em que os dinossauros eram os senhores do planeta. Um meteoro conseguiu acabar com esses répteis gigantescos, mas não foi suficiente para pôr fim à vida por aqui. Isso porque não extinguiu a água e seu talento para deixar a vida boiar sobre si. “Todas as reações químicas que ocorrem em qualquer organismo vivo estão associadas a ela”, afirma a bióloga Lucile Floeter Winter, professora do Instituto de Biociências da USP. Chamado há séculos de “solvente universal”, o líquido inodoro, incolor e sem sabor forma quase 100% de alguns organismos e compõe até 78% do corpo humano. “O DNA só existe por causa da água. Toda a evolução da vida obedeceu à química imposta por ela”, explica Lucile. Essa é a razão pela qual as notícias de que algum telescópio ou observatório encontrou rastros de água em um planeta distante são tão comemoradas pelos cientistas. Só assim, com o líquido por perto, a vida como a conhecemos pode surgir. Quer seja ela visível apenas por microscópio, quer seja de tamanho considerável e capaz de se comunicar como nós. Não é uma busca fácil. É preciso encontrar planetas tão afortunados quanto a Terra. Estamos localizados no centro da chamada “faixa habitável” do conjunto de objetos que orbitam nossa estrela.Mais precisamente, no ponto exato em que a energia emitida pelo Sol pôde se espalhar de forma harmoniosa e esquentar a sopa primordial de elementos químicos na qual a vida surgiu. Uma oscilação de 5% na órbita faria da Terra um deserto como Marte ou um inferno de dióxido de carbono como Vênus. Por instinto, necessidade ou raciocínio, todo ser vivo sabe como é bom ter água por perto. Os primeiros bandos de Homo sapiens, por exemplo, ergueram suas tribos à beira de mananciais. Cerca de seis milênios antes de Cristo – quando a civilização surgiu na Mesopotâmia –, os rios Tigre e Eufrates serviram de berço para a primeira sociedade da história. O Egito dos faraós só pôde ser erguido graças à abundância que jorrava do Nilo. Na medida em que a civilização foi evoluindo, cada vez mais os pensadores desenvolveram teorias sobre a importância fundamental do líquido. O filósofo grego Empédocles qualificou a água como um dos quatro elementos básicos da natureza – ao lado de terra, fogo e ar – e fonte de toda forma de vida. No mundo oriental, a filosofia chinesa tradicional e os taoístas também qualificaram a substância como uma das forças primordiais de todo o Universo. O caráter simbólico da água não inspirou apenas os estudiosos orientais ou da Grécia Antiga. “Ela é fundamental no batismo da Igreja Católica, nem que seja apenas uma gota. Não basta dizer ‘eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’”, afirma Fernando Altemeyer, professor de ciências da religião da PUC-SP. Segundo ele, o ritual realizado na pia batismal representa um sacramento básico. “É como se a pessoa estivesse saindo de um novo útero.Nascemos pela água e nela nos limpamos, tirando a sujeira das gerações passadas e nos redimindo do pecado original”, diz o teólogo. Além do cristianismo, religiões seculares como o hinduísmo, o islamismo, o judaísmo e o xintoísmo usam a substância em seus ritos. Além de questões antropológicas, filosóficas e religiosas, a água vem ocupando a agenda de cientistas e políticos de todo o mundo. Enquanto os primeiros usam a tecnologia para criar formas de preservar a substância (leia o texto “Problema solúvel” a seguir), os segundos criam novas leis para proteger reservas e distribuir o líquido de forma mais igualitária. O governo da província australiana de Victoria, por exemplo, já determinou regras rigorosas para o uso consciente da água. Entre elas estão a limitação da utilização de sistemas de irrigação automáticos, a proibição do emprego de mangueiras na limpeza de pisos pavimentados e o controle da construção de novas piscinas por meio de autorizações específicas. Nada pode ser mais precioso do que isso. Em vez de discussões sobre o que fazer com a riqueza proveniente do petróleo da camada do pré-sal, uma preocupação mais pertinente é saber como manter campos irrigados, animais saudáveis e humanos hidratados pelas próximas décadas.Hoje, no Brasil, 70% do abastecimento é direcionado para a atividade agrícola, 20% é consumido pela indústria e 10% vai para as residências. Em um cenário no qual a água se converte em uma das principais commodities do mercado mundial, mais uma vez os nossos recursos naturais colocam o Brasil em vantagem, desde que tenhamos a sabedoria de protegê-los.Um passo já foi dado: “O País tem um importante arcabouço jurídico criado com a Lei Nacional das Águas, de 1997”, diz o biólogo Samuel Barreto, da ONG WWF-Brasil. Entre outros pontos, a legislação deixa claro que a substância é um bem público que não pode ser privatizado. Está chegando o dia em que os líderes mundiais se darão conta de que o líquido mais precioso do nosso planeta é transparente.

19 de mar de 2010

Militares começam a agir

Trabalho dos 200 homens do Exército, da Aeronáutica e da Marinha teve início em Ceilândia. Alvos na segunda são quatro cidades
Mariana Moreira
O mosquito da dengue acaba de ganhar um inimigo de farda, coturno e com muita disposição para o combate. Depois do treinamento teórico, realizado na última quarta-feira, os 200 militares cedidos pelas Forças Armadas para ajudar na luta contra a doença passaram o dia de ontem em campo. Divididos em grupos de oito pessoas, acompanhados por agentes de Vigilância Ambiental, eles começaram as visitas de casa em casa. O trabalho da força-tarefa teve início por Ceilândia.

O diretor da Vigilância Ambiental, Laurício Monteiro Cruz, acompanhou as atividades durante a manhã. Segundo ele, o objetivo do dia era dar aos militares uma chance de observar e aprender. “Estamos mais preocupados em passar a informação com qualidade, para que eles possam atuar com mais autonomia a partir de segunda-feira”, afirmou. Mesmo assim, no meio da tarde, a maioria do efetivo já se arriscava a interagir com os moradores. Segundo um dos agentes responsáveis pelo acompanhamento dos militares, João Batista Ferreira, 56 anos, no começo do dia, eles estavam inibidos. Mas, aos poucos, foram se acostumando à função. “Eles vão dar conta do recado”, acredita o agente.
Um dos homens escalados para a missão, o soldado Michael Lima, 22 anos, não está encontrando dificuldades. Ele afirma não ter muitas dúvidas sobre o assunto e, sempre que surge um impasse, recorre ao agente de Vigilância Ambiental que o acompanha. O soldado admite ter consultado, durante as visitas, o material didático distribuído pelo Ministério da Saúde, mas mostra ter decorado a cartilha de atuação.
Ao entrar no terreno da dona de casa Marilete Brito, 32 anos, o soldado Michael colocou em prática sua primeira lição: pediu a ela para prender os cachorros. Em seguida, orientou a dona da casa a virar uma lata de tinta de cabeça para baixo. “Nesta região, não temos encontrado muitos focos. Os problemas mais frequentes são ralos e esgotos”, ensina. Em seguida, ele e o colega, o soldado Elder Ribeiro, 22 anos, perguntaram se havia caixa d’água na casa. Diante da negativa, se ofereceram para falar sobre os sintomas de dengue. “A visita é muito importante. Nem tinha visto aquela lata. Mesmo achando que já sabe, a gente sempre aprende um pouco mais com eles”, afirma Marilete Brito.

Exemplo
Do outro lado da rua, os militares encontraram um quintal limpo, com vasos de planta sem pratinhos de água. A única ressalva foi limpar a calha a cada 15 dias, para evitar entupimento. Um pouco mais adiante, um morador convidou o grupo a fazer a visita em sua casa. Durante a manhã, quando a equipe tocou a campainha, o aposentado Manuel Francisco da Silva, 70 anos, não estava. “Quando vi o ônibus do Exército, fiquei na expectativa, porque vi na televisão que eles iriam ajudar no combate à dengue”, revelou.
A farda é um poderoso aliado na hora de mobilizar os moradores. “Em uma das casas, um homem viu os militares fardados e começou a se recordar dos tempos de quartel. Como a organização já é conhecida da sociedade, eles não enfrentam problemas”, afirma o agente João Batista Ferreira. “Eles conseguiram entrar em casas que nós não entramos”, admitiu o agente da Vigilância Ambiental Anivaldo José de Souza.
Na próxima semana, 50 militares do Exército estarão na Estrutural. Os outros 50 representantes da corporação continuarão os trabalhos em Ceilândia. Já os 50 da Marinha e os 50 da Aeronáutica estarão em Planaltina e em São Sebastião, respectivamente. Com o reforço na equipe, ficará mais fácil repetir as visitas (1)às casas que estiveram fechadas durante a primeira tentativa ou que os moradores não permitiram a entrada de agentes.

1 - Trabalho dobrado
Ainda é preciso visitar novamente 1.500 domicílios na Vila Planalto, em Planaltina, no Itapoã, no Paranoá e em São Sebastião. Durante esta semana, as equipes tiveram acesso a 1.200 residências nesses locais.

18 de mar de 2010

Exército treina tropa de elite de SP

Integrantes do 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve Aeromóvel, unidade da Força de Ação Rápida Estratégica (FAR), que faz parte da tropa de elite do Exército Brasileiro, localizada na cidade de Barueri, em São Paulo, estão em Boa Vista desde o último domingo, onde participam de um treinamento anual nas operações em ambiente de selva. A ação ocorre até o dia 27 deste mês, em duas fases. Ao todo 85 militares serão treinados.
A atividade é conduzida e apoiada pelo 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva, sediada na capital. Ela foi escolhida por ser considerada uma das organizações militares mais capacitadas a prestar o apoio de fogo em operações no ambiente amazônico, além de difundir as especificidades deste tipo de missão.
Segundo o comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, general Franklimberg, a primeira fase do treinamento tem como objetivo adaptar o combatente ao ambiente amazônico, tornando-o apto a sobreviver em condições extremas, quando necessário. A segunda consiste em repassar os conhecimentos e as lições aprendidas no emprego da artilharia em operações na selva, com a previsão da realização de uma marcha para o combate fluvial. Está última fase será realizada ao longo dos rios Branco e Tacutu, em direção à Serra do Tucano, entre os dias 22 e 24 de março.
Os treinamentos estão sendo comandados pelo tenente-coronel Taranto e envolvem mais de 200 militares.

FAR - A FAR é uma tropa do Exército formada por unidades de elite altamente mobilizáveis e preparadas, entre elas a Brigada de Operações Especiais, sediada em Goiânia (GO), a Brigada de Infantaria Paraquedista, sediada no Rio de Janeiro (RJ), e a 12ª Brigada de Infantaria Leve Aeromóvel, sediada em Caçapava (SP), que devem estar sempre em condições de atuar em qualquer parte do território nacional, em curto espaço de tempo, na hipótese de agressão externa.

16 de mar de 2010

A decepção internacional com Lula

O ESTADO DE SÃO PAULO - 12/03/2010

Para Luiz Inácio Lula da Silva, os presos políticos cubanos são delinquentes como os piores criminosos encarcerados nas prisões do Brasil. Lula adotou, cruelmente, o ponto de vista de seu amigo Fidel Castro. Para ele, pedir eleições democráticas, emprestar livros proibidos e escrever em jornais estrangeiros - os "delitos" cometidos pelos 75 dissidentes presos em 2003, condenados a até 28 anos - equivale a matar, roubar ou sequestrar. Para Lula, Oscar Elías Biscet, um médico negro sentenciado a 25 anos por defender os direitos humanos e se opor ao aborto, é apenas um criminoso empedernido. Dentro de seu curioso código moral, é compreensível a morte do preso político Orlando Zapata ou a possível morte de Guillermo Fariñas, em greve de fome para pedir a libertação de 26 presos políticos doentes.

Os democratas cubanos não são os únicos decepcionados com o brasileiro. Na última etapa de seu governo, Lula está demolindo a boa imagem que desfrutou no começo. Recordo, há cerca de três anos, uma conversa que tive no Panamá com Jeb Bush, ex-governador da Flórida. Ele me disse que seu irmão George, então presidente dos EUA, tinha uma relação magnífica com Lula e estava convencido de que ele era um aliado leal. Isso me pareceu uma ingenuidade, mas não comentei a questão.

Alguns dias atrás, um ex-embaixador americano, que prefere o anonimato, me disse exatamente o contrário: "Todos nos equivocamos com Lula. Ele é um inimigo contumaz do Ocidente e, muito especialmente, dos EUA, embora trate de dissimulá-lo". E, em seguida, com certa indignação, criticou a cumplicidade do Brasil com o Irã no tema das sanções pelo desenvolvimento de armas nucleares, o apoio permanente a Hugo Chávez e a irresponsabilidade com que manejou a crise de Honduras ao conceder asilo a Manuel Zelaya na embaixada em Tegucigalpa, violando as regras da diplomacia internacional.

Na realidade, o comportamento de Lula não é surpreendente. Em 1990, quando o Muro de Berlim foi derrubado, o líder do Partido dos Trabalhadores apressou-se em criar o Fórum de São Paulo com Fidel Castro para coordenar a colaboração entre as forças violentas e antidemocráticas da América Latina. Ali estavam as guerrilhas das Farc e do ELN na Colômbia, partidos comunistas de outros tantos países, a FSLN da Nicarágua e o FMLN de El Salvador. Enquanto o mundo livre celebrava o desaparecimento da União Soviética e das ditaduras comunistas no Leste Europeu, Lula e Fidel recolhiam os escombros do marxismo violento para tratar de manter vigente o discurso político que conduziu a esse pesadelo, e estabeleciam uma cooperação internacional que substituísse a desvanecida liderança soviética na região.

No Brasil, sujeito a uma realidade política que não pôde modificar, Lula comporta-se como um democrata moderno e não se afastou substancialmente das diretrizes econômicas traçadas por Fernando Henrique Cardoso, mas no terreno internacional, onde afloram suas verdadeiras inclinações, sua conduta é a de um revolucionário terceiro-mundista dos anos 60.

De onde vem essa militância radical? A hipótese de um presidente latino-americano que o conhece bem, também decepcionado, aponta para sua ignorância: "Esse homem é de uma penosa fragilidade intelectual. Continua sendo um sindicalista preso à superstição da luta de classes. Não entende nenhum assunto complexo, carece de capacidade de fixar a atenção, tem lacunas culturais terríveis e por isso aceita a análise dos marxistas radicais que lhe explicaram a realidade como um combate entre bons e maus." Sua frase final, dita com tristeza, foi lapidar: "Parecia que Lula, com sua simpatia e pelo bom momento que seu país atravessa, converteria o Brasil na grande potência latino-americana. Falso. Ele destruiu essa possibilidade ao se alinhar com os Castro, Chávez e Ahmadinejad. Nenhum país sério confia mais no Brasil". Muito lamentável

Carlos Alberto Montaner é escritor cubano
http://arquivoetc.blogspot.com/2010/03/carlos-alberto-montaner-decepcao.html

Reinold Stephanes Jr. Chamando PT de Coisa do Diabo



Deputado Estadual Reinold Stephanes Jr. ( PMDB ), filho do atual Ministro da Agricultura do Governo Lula ( PT ), em seu discurso 01/03/2010 ALEP Assembleia Legislativa do Estado do Paraná.

15 de mar de 2010

12 de mar de 2010

Lula culpa empresas por queda no PIB

O presidente Lula atribuiu hoje (12) a queda do Produto Interno Bruto de 2009 às empresas privadas. Segundo ele, “alguns setores empresariais ficaram com medo da crise e deram um cavalo de pau no seu investimento”. Lula aproveitou também para ironizar econômicos da mídia. “Alguns tinham a ponta de um sorriso. Finalmente nós pegamos o Lula porque o PIB dele não cresce”, disse o presidente. Segundo dados do IBGE, o PIB caiu 0,2% em 2009. É o primeiro resultado negativo desde 1992.

Ou será culpa da 'falta de gestão' do governo anterior?

11 de mar de 2010

ONU indica general brasileiro para comandar força de paz no Haiti-Turma 78

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nomeou nesta quinta-feira (11) o general brasileiro Luiz Guilherme Paul Cruz como o novo comandante da força de paz da entidade no Haiti.
Cruz substituirá outro brasileiro, o general Floriano Peixoto Vieira Neto, que desde março de 2009 comanda a missão de paz da Organização das Nações Unidas no Haiti, conhecida como Minustah. Cerca de 9.000 pessoas, sendo 7.000 militares, atuam no contingente.
"O general Paul Cruz trará grande experiência de comando e operacional ao assumir suas responsabilidades na Minustah", informou a ONU em comunicado.
Nascido em 1957, o general é membro das Forças Armadas desde 1972 e, entre outras funções, comandou o Batalhão da Polícia Militar de Brasília entre 2002 e 2003.
O Haiti, país mais pobre das América, foi devastado por um forte terremoto em 12 de janeiro que matou mais de 200 mil pessoas e deixou cerca de 1,5 milhão de desabrigados. O sismo deixou a capital Porto Príncipe em ruínas, e destruiu a já frágil infraestrutura de serviços básicos, como saúde, educação e comunicações.

O Enterro em Cuba

Toda a família, em Cuba, surpreendeu-se quando chegou de Miami um ataúde com o cadáver de uma tia muito querida. O corpo estava tão apertado no caixão que o rosto parecia colado no visor de cristal...
Quando abriram o caixão encontraram uma carta, presa na roupa com um alfinete, que dizia assim:
"Queridos Papai e Mamãe:
Estou lhes enviando os restos de tia Josefa para que façam seu enterro em Cuba, como ela queria.
Dsculpem-me por não poder acompanhá-la, mas vocês compreenderão que tive muitos gastos com todas as coisas que, aproveitando as circunstâncias, lhes envio.
Vocês encontrarão, dentro do caixão, sob o corpo, o seguinte:
* 12 latas de atum Bumble Bee;
* 12 frascos de condicionador;
* 12 de xampu Paul Mitchell;
* 12 frascos de Vaselina Intensive Care (Muito boa para a pele. Não serve para cozinhar!);
* 12 tubos de pasta de dente Crest;
* 12 escovas de dente;
* 12 latas de Spam das boas (são espanholas);
* 4 latas de chouriço El Miño.
Repartam com a família, sem brigas!
Nos pés de titia estão um par de tênis Reebok novos, tamanho 39, para o Joselito (é para ele, pois com o cadáver de titio não se mandou nada para ele, e ele ficou amuado).
Sob a cabeça há 4 pares de "popis" novos para os filhos de Antônio, são de cores diferentes (por favor, repito, não briguem!).
A tia está vestida com 15 pulôveres Ralph Lauren. Um é para o Pepito e os demais para seus filhos e netos. Ela também usa uma dezena de sutians Wonder Bra (meu favorito). Dividam entre as mulheres; também os 20 esmaltes de unhas Revlon que estão nos cantos do caixão.
As três dezenas de calcinhas Victoria's Secret devem ser repartidas entre as minhas sobrinhas e primas. A titia também está vestida com nove calças Docker's e 3 jeans Lee.
Papai, fique com 3 e as outras são para os meninos.
O relógio suíço que papai me pediu está no pulso esquerdo da titia. Ela também está usando o que mamãe pediu (pulseiras, anéis, etc). A gargantilha que titia está usando é para a prima Rebeca, e também os anéis que ela tem nos pés. Os oito pares de meias Chanel que ela veste são para repartir entre as conhecidas e amigas ou, se quiserem, as vendam (por favor, não briguem por causa destas coisas, não briguem).
A dentadura que pusemos na titia é para o vovô, que ainda que não tenha muito o que mastigar, com ela se dará melhor (que ele a use, custa caro).
Os óculos bifocais são para o Alfredito, pois são do mesmo grau que ele usa, e também o chapéu que a tia usa.
Os aparelhos para surdez que ela tem nos ouvidos são para a Carola. Eles não são exatamente os que ela necessita, mas que os use mesmo assim porque são caríssimos.
Os olhos da titia não são dela, são de vidro. Tirem-nos e nas órbitas vão encontrar a corrente de ouro para o Gustavo e o anel de brilhantes para o casamento da Katiuska.
A peruca platinada, com reflexos dourados, que a titia usa também é para a Katiuska, que vai brilhar, linda, em seu casamento.
Com amor, sua filha Carmencita.

PS1: Por favor, arrumem uma roupa para vestir a tia para o enterro e mandem rezar uma missa pelo descanso de sua alma, pois realmente ela ajudou, mesmo depois de morta. Como vocês repararam o caixão é de madeira boa (não dá cupim). Podem desmontá-lo e fazer os pés da cama de mamãe e outros consertos em casa. O vidro do caixão serve para fazer um porta-retrato da fotografia da vovó que está, há anos, precisando de um novo. Com o forro do caixão, que é de cetim branco (US$ 20,99 o metro), Katiuska pode fazer o seu vestido de noiva.
Na alegria destes presentes, não esqueçam de vestir a titia para o enterro!!!
Com amor, Carmencita.
PS2: Com a morte de tia Josefa, tia Blanca caiu doente. Façam os pedidos com moderação. Bicicleta não cabe nem desmontada e carburador de Niva, modelo 1968, aqui ninguem ouviu falar.

Helicóptero do Exército cai no Pantanal; 4 morrem

Um helicóptero do Exército caiu na noite de quarta-feira na região de Nhecolândia, em Corumbá (MS), no Pantanal. Segundo o Comando Militar do Oeste, o acidente ocorreu às 21h50 e quatro pessoas morreram.

A corporação afirma que as causas da queda são investigadas. A aeronave participava de um exercício que começou no dia 8 e terminaria na sexta-feira. Outros militares presenciaram o acidente.

O general de Exército Renato Joaquim Ferrarezi, do Comando Militar do Oeste, afirmou que é remota a chance de o helicóptero Fennec com quatro militares ter sido abatido por traficantes na noite de quarta-feira, na região de Nhecolândia, em Corumbá (MS), a 200 km da linha de fronteira com a Bolívia, rota internacional de tráfico de drogas.

Segundo o Comando Militar do Oeste, o acidente ocorreu às 21h50 em uma área particular, que tinha sido cedida ao Exército. A aeronave caiu a 1.000 m da cabeceira da pista e pegou fogo.

Os corpos dos capitães André Luiz Almeida dos Santos, Vinícius Viglioni Salgado, do sargento Renan Moreira Orizo e do cabo Rodrigo da Silva Corrêa foram carbonizados. Os corpos chegaram por volta das 12h25 (horário de Brasília) desta quinta-feira no Aeroporto de Campo Grande (MS), capital do Estado, e foram levados para o Instituto Médico Legal (IML).

O grupo participava da Operação Caburé, onde 188 homens faziam treinamentos. O Exército, que decretou dois dias de luto, não informou se a operação irá até amanhã, como inicialmente previsto.

O helicóptero havia sido fabricado na década de 80 e estava com a manutenção em dia, segundo Ferrarezi. A aeronave, segundo o general, é usada para atividades de reconhecimento e ataque.

As causas do acidente serão apuradas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que deverá ter um relatório preliminar do desastre aéreo em um mês. O Exército também abriu um inquérito militar, uma espécie de investigação paralela.

9 de mar de 2010

TOLOTANDO PROS FAVELADOS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, durante a inauguração de um complexo esportivo na Favela da Rocinha, na zona sul do Rio, que os bandidos não se escondem somente nas comunidades, mas também em “prédios chiques de Copacabana”.

- Acabou o tempo em que as pessoas não olhavam para cá (Rocinha). É verdade que a Rocinha deve ter algum bandido. É verdade que no Pavão-Pavãozinho deve ter algum bandido e no Complexo do Alemão também, mas quem disse que não tem bandido naqueles prédios chiques em Copacabana? Quem disse que não tem bandido em outros lugares desse país? - questionou o presidente durante o discurso aos moradores da favela.

* * *

Tem muita gente que pensa que eu discordo de tudo que o Presidente Lula fala. Ou que eu acho que os discursos dele têm a profundidade de um píres.

Grande mentira.

Este frase que ele pronunciou hoje, por exemplo, conta com meu total apoio.

Em prédios chiques também existem bandidos. Não só em prédios chiques, mas também em prédios importantes, como o Palácio do Planalto e os prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Na praia do Calhau, em São Luiz do Maranhão, tá cheio de prédios de altíssimo luxo repletos de bandidos, nepotistas, corruptos e ladrões do dinheiro público.

Eu só não sei mesmo onde é que ficam localizados os apartamentos de Zé Dirceu, do tesoureiro do PT e do resto da quadrilha do Bancoop.

Moradores de apartamento de alto luxo posando na cobertura do edifício para celebrar o recebimento da propina do mensalão que permitiu a aquisição do imóvel

http://www.luizberto.com/?p=107935#comments

8 de mar de 2010

6 de mar de 2010

AGORA FALTA A DISTRIBUIÇÃO IGUALITÁRIA DE CADEIA!

O Ministério Público quebra sigilo da Bancoop e descobre que dirigentes da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo lesaram milhares de associados, para montar um esquema de desvio de dinheiro que abasteceu a campanha de Lula em 2002 e encheu os bolsos de dirigentes do PT. Eles sacaram ao menos 31 milhões de reais na boca do caixa.
Depois de quase três anos de investigação, o Ministério Público de São Paulo finalmente conseguiu pôr as mãos na caixa-preta que promete desvendar um dos mais espantosos esquemas de desvio de dinheiro perpetrados pelo núcleo duro do Partido dos Trabalhadores: o esquema Bancoop. Desde 2005, a sigla para Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo virou um pesadelo para milhares de associados. Criada com a promessa de entregar imóveis 40% mais baratos que os de mercado, ela deixou, no lugar dos apartamentos, um rastro de escombros. Pelo menos 400 famílias movem processos contra a cooperativa, alegando que, mesmo tendo quitado o valor integral dos imóveis, não só deixaram de recebê-los como passaram a ver as prestações se multiplicar a ponto de levá-las à ruína. Agora, começa-se a entender por quê.

5 de mar de 2010

Bandidos criam novo golpe para roubar dinheiro em caixas eletrônicos


Quinta-feira, 04/03/2010
A polícia descobriu que uma quadrilha utiliza um equipamento que permite roubar dados de clientes de banco em caixas eletrônicos. Ele consegue clonar os cartões e o grupo pode até zerar a conta.

2010 – O Ano do Pinóquio

Por Geraldo Almendra

O mundo, em 2010, vai testemunhar ao que tudo indica o maior golpe já dado em um país para que um movimento partidário-prostituído assuma seu controle econômico, social e político.

Estamos na fronteira de uma ditadura organizada por uma fraude partidária chamada de PT, que deverá se perpetuar no poder por mais 20 anos, transformando o país em uma Cuba Continental comandada pela sórdida burguesia petista que praticamente já controla o país.

A pergunta que ficará nos anais da história da civilização ocidental será: como uma sociedade de um país continental beirando os 200 milhões de habitantes pode aceitar sua degeneração moral e sua tomada pelo movimento comunista internacional – representado no país pelo Fórum de SP – sem ao mesmo dar um tiro na defesa da democracia, da liberdade e da justiça social?

Os estudiosos tentarão achar uma resposta lógica para explicar como uma sociedade de um país, com condições de se transformar em uma das maiores potências econômicas do mundo, permitiu que seus poderes públicos republicanos fossem criminosamente aparelhados por quadrilhas organizadas e perguntarão: onde estava a “inteligência” legal e moral da sociedade capaz de evitar que o Brasil fosse transformado no paraíso da corrupção e da prevaricação, com um pano de fundo de relações público-privadas contaminadas pela prática do ilícito como princípio, meio e fim?

A resposta mais simplista e idiota que poderá ser registrada será atribuir ao Retirante Pinóquio a “genialidade política” de conseguir transformar, com sua liderança “estadista”-meliante, milhões de ignorantes e milhares de esclarecidos canalhas em cúmplices do golpe contra a sonhada democracia que vinha sendo perseguida pela sociedade brasileira, mas que passou a ser submissa a um Estado de Direito Comunista, simplesmente porque todos acreditavam na honestidade de princípios de uma fraude de ser humano em todos os sentidos que se queira avaliar.

Seria realmente uma genialidade política se este estado da arte de dominação pacífica de uma nação fosse fundamentado em uma ideologia sustentada com discursos que tivessem uma força ideológica honesta para a construção de um “mundo novo” apenas com o poder do convencimento à aceitação pelas massas das idéias de um líder ou estadista nato “vendedor” de um novo e revolucionário modelo socialista. MENTIRA! PURA CANALHICE!

O que realmente ficará registrado na história do nosso país através do trabalho de historiadores sérios é que não foi desse tipo de liderança a efetiva responsabilidade por um projeto de poder capaz de subjugar o Brasil - através de um movimento político corrupto por natureza -, um país continental com divisões de classes extremamente complexas de forma absolutamente pacífica. O que o canalha se aproveitou foi da xepa de séculos de degeneração moral de uma sociedade, uma destruição de valores e princípios fundamentais semeada pelos patifes esclarecidos das oligarquias apodrecidas.

A tomada do poder pelo PT em um impune estelionato eleitoral é o resultado final da infelicidade que nosso país ter sido ao longo de sua história dominado por oligarquias políticas calhordas que nunca se interessaram em construir uma grande nação democrática, livre, economicamente sustentável e competitiva.

Realmente, da maneira como o país, ao longo de sua história, foi edificado, o fez se transformar de uma Colônia em uma República, de um jeito que não podia dar certo. A semeadura da falência educacional e cultural, para manter as massas submissas aos canalhas das elites dominantes, produziu seus hediondos frutos que alimentaram a degeneração moral do país ao longo de sua história.

Uma nação, que começou colonizada por bandidos, chefiados por picaretas e criminosos, recebendo ordens do outro lado do mundo para acumular riquezas para poucos pela prática do mercantilismo que objetivava explorar o “novo paraíso de riquezas naturais” tinha que ter um ponto na sua história em que a degradação moral de sua sociedade - pelas oligarquias calhordas que foram se formando ao longo do tempo - chegaria ao estado da arte dos sonhos de todos os canalhas: a prática do ilícito como principal instrumento de enriquecimento dos grupos de poder.

De uma forma ou de outra, esses grupos sempre dominaram o país, mesmo no submundo civil do Regime Militar, com centenas de corruptos espalhados nos poderes públicos e prontos para dar uma facada nas costas das Forças Armadas assim que o poder voltasse às suas mãos. A Fraude da Abertura Democrática provou que o Regime Militar não completou adequadamente suas “tarefas” ao entregar o país para o controle do submundo do comuno sindicalismo e dos canalhas esclarecidos.

Talvez, o único momento de lucidez que a sociedade organizada do nosso país demonstrou ter na sua trajetória de subdesenvolvimento econômico e social ao longo de sua história, coletivamente, foi ter saído às ruas e pedir em 1964 uma dura intervenção militar para dar um basta nas tentativas dos traidores do país de transformá-lo em um repositório dos canalhas do comunismo decadente e genocida, que já tinham demonstrado a falência política e social de suas ideologias genocidas.

Infelizmente representantes dessa mesma sociedade – artistas, jornalistas amestrados, políticos, Igreja, grandes empresários, classe média, elites, academia entre muitos outros patifes traidores de nossa pátria – fazem agora a mesma coisa no sentido inverso: todos estão lutando no submundo da covardia apátrida e permitindo que o país seja absolutamente dominado por quadrilhas organizadas fantasiadas ou mascaradas com falsas idéias socialistas que a história já provou serem incompatíveis com a democracia, com a liberdade e com a justiça social. Nunca existiu e nem vai existir uma sociedade livre, digna e justa sob o manto de um sistema tão corrupto, genocida e decadente à semelhança de Cuba.

O final dessa triste história do nosso país na sua tentativa de tornar-se uma potência econômica e social, mas através dos séculos de prática de um processo cultural e educacional que não deu sustentação moral aos elos sociais fundamentados na honestidade e na moralidade, termina com a absoluta degeneração das relações públicas e privadas, o que abriu o espaço necessário para a definitiva tomada do poder público por quadrilhas organizadas que se estruturaram no submundo do comuno sindicalismo associados com os canalhas esclarecidos, especialmente essa academia sórdida que está vendendo a pátria em troca de sinecuras e garantia de uma vida profissional sem riscos, todos submissos a um sórdido corporativismo que domina o processo universitário público do país, que permite impunemente que um canalha diplomado, por exemplo, compre para seu gabinete uma lixeira de R$1000,00.

O ano de 2010 será o ano do Pinóquio se a sociedade não acordar.

Ou essa fraude humana e seus cúmplices serão alijados do poder por uma união nacional contra os canalhas da corrupção e da prevaricação, impedindo que seu maníaco sonho de poder perpétuo seja realizado através de sua cúmplice, ou, então, a sociedade fará nas urnas, manipuladas com o suborno generalizado e com o maior programa – o assistencialismo petista – de compra de votos que o mundo já conheceu uma covarde opção para que seus filhos e suas famílias se transformem em escravos de um Estado “Socialista”, que repetirá no Brasil a trajetória do ditador Fidel Castro em Cuba, mas aqui sob o comando do mais sórdido político que a história do nosso país haverá de registrar.

Façam suas escolhas e deixem seus filhos e suas famílias pagarem a conta de suas covardias corruptas e apátridas quando a provada nua e crua dualidade de uma sociedade comunista genocida bater às suas portas: a cumplicidade, ou a prisão. Se nenhuma das duas alternativas for aceita, a fuga ou a morte.

Geraldo Almendra, Economista e Professor de Matemática, Petrópolis

http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=8471&Itemid=1

2 de mar de 2010

Ferro-velho de Itaboraí já havia sido interditado


Ferro-velho de Itaboraí já havia sido interditado Depósito com peças e veículos extraviados do Exército foi esvaziado após denúncia.
POR MAHOMED SAIGG

Rio - Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) interditaram ontem um dos ferros-velhos especializados no comércio de viaturas militares em Itaboraí denunciados por O DIA. No local, peças e veículos extraviados do Exército Brasileiro eram vendidos por até R$ 30 mil. As provas do crime, no entanto, não foram encontradas pelos agentes, que se surpreenderam ao chegar ao endereço. Os três depósitos que até a semana passada estavam abarrotados de objetos militares foram encontrados praticamente vazios na tarde de ontem.

Em menos de uma semana, depósito foi esvaziado. Foto: Carlo Wrede | Agência O Dia De acordo com o dono do ferro-velho, o material foi retirado por equipes do Exército que estiveram no local na semana passada. “Eles chegaram aqui e só disseram que iriam levar tudo de volta para o quartel”, contou o comerciante, que não soube explicar por que autorizou a retirada dos veículos, já que garantiu tê-los comprado por meio de licitação.

O Comando Militar do Leste (CML), por sua vez, nega a versão de que tenha enviado uma equipe para retirar as viaturas do ferro-velho. Segundo o Exército, o próprio comerciante teria ido até o Parque Regional de Manutenção da 1ª Região Militar, em Magalhães Bastos — de onde o material havia sido extraviado —, para devolver tudo.

De qualquer forma, nos terrenos onde até ontem funcionavam os três depósitos do ferro-velho, no município de Itaboraí, Região Metropolitana, restaram apenas algumas carcaças de veículos militares. Estes, sim, comprados legalmente da Força. Todos os outros, fotografados e filmados por O DIA ao longo de um mês, desapareceram de lá. Segundo as informações passadas à polícia pelo dono do ferro-velho, a retirada dos veículos do local ocorreu logo após O DIA acionar o CML, em busca de explicações para o esquema. As peças só chegaram ao parque por volta das 13h de ontem.

O extravio de viaturas do Exército de quartéis localizados na Região Metropolitana do Rio está sendo investigado em um Inquérito Policial Militar (IPM). O inquérito foi instaurado após a conclusão de sindicância que confirmou a entrada de pessoas não autorizadas — civis e militares — em áreas restritas.

Apesar de estarem sendo mantidas em extremo sigilo, as primeiras informações obtidas pelos oficiais que coordenam as investigações indicam que o grupo — formado inclusive por oficiais do Exército — já teria faturado R$ 600 mil com o esquema.

Entre os veículos mais cobiçados pelo bando está o caminhão REO. Usado pelas tropas americanas na Guerra da Coreia, no início da década de 50, eles chegavam a ser vendidos por R$ 30 mil, só com a lataria. Os principais clientes são colecionadores de vários estados do Brasil, que disputam este tipo de mercadoria, cada vez mais escassa no mercado. A venda de peças também garante a rentabilidade do negócio ilegal.

SEM AUTORIZAÇÃO: Estabelecimento já havia sido interditado

Esta foi a segunda vez que o ferro-velho de Itaboraí foi interditado pela polícia. Ano passado, agentes da mesma delegacia já haviam fechado o estabelecimento por falta de autorização para funcionar. O proprietário, no entanto, ignorou a punição e reabriu as portas.

Após a denúncia de O DIA, mostrando envolvimento do dono do negócio com extravio de viaturas do Exército, o delegado Márcio Mendonça Dubragás, da DRFA, instaurou procedimento para investigar a participação dele no desvio das peças. “Vamos encaminhar um ofício ao Exército, solicitando cópia do Inquérito Policial Militar, para saber se ele sabia que o material que vendia aqui era roubado”, disse o delegado.

O comerciante já responde por violação de interdição e pode pegar de 3 meses a 1 ano de detenção. Caso seja comprovada a participação, ele vai responder também por receptação de material roubado do Exército.


1 de mar de 2010

CURSO DE GENERAL A DISTÂNCIA


Olha aí pessoal. Finalmente o curso que faltava.
Para quem já é general, uma oportunidade de aprimorar os conhecimentos.
Para quem não foi promovido a general, inclusive os mangões como eu, ótima chance de compensar o tempo perdido.
A ECEME já era!
Eheheheheh....


ACREDITEM SE QUISER!!!
PARECE PIADA, MAS NÃO É QUE O SITE EXISTE MESMO? ESTA FACULDADE OFERECE UM CURSO DE GENERAL A DISTÂNCIA. RESTA SABER, QUE PAÍS TERIA UM EXÉRCITO PARA TAL COMANDANTE...

http://www.faculdadelivre.com.br/index.php?sec=ver_curso&id=3675

Só no Brasil deixam rolar uma picaretagem dessas...
Onde estão as instituições responsáveis em coibir essa safadeza...min educação...polícia federal...?!?!?