30 de set de 2012

Caratê brasileiro se prepara em Curitiba para o Mundial da Polônia

Concentrada e treinando em Curitiba, a seleção brasi­­lei­­ra de caratê viaja na terça-feira para a Polônia, onde disputará o Mundial na versão Tradicional, nos dias 6 e 7 de outubro. Com uma delegação composta por 41 atletas – 25 entre os adultos e 16 juvenis e juniores – o país é um dos favoritos para a competição na cidade de Lodz.
Protagonismo amparado principalmente pela condição de tricampeão mundial no kumitê (luta) por equipes, no masculino – categoria mais prestigiada do esporte. Feito alcançado nas últimas três edições (2004, 2006 e 2010).
Política
Falta de unidade prejudica sonho olímpico dos caratecas
Além das disputas no tatame, o Mundial na Polônia pretende reascender um debate importante para o caratê. Por possuir três federações diferentes, o esporte enfrenta dificuldades para entrar no programa da Olimpíada.
“É uma preocupação de todos os amantes da arte marcial e uma discussão que devemos ter. É uma pena que o caratê não consiga fazer parte dos Jogos”, comenta o professor Nelson Santi.
Os órgãos reguladores são a International Traditional Karate Federation (ITKF) –a responsável pela competição na Polônia –, a World Karate Federation (WKF) e a World Union Karate Organization (WUKO). Há ainda a Japan Karate Association (JKA), a associação japonesa, também forte politicamente.
O Comitê Olímpico Inter­­nacio­­nal (COI) já reconheceu a modalidade como olímpica, mas isso não bastou para a inclusão no maior evento do esporte mundial. “É importante uma unificação política para o caratê. Mas não queremos que isso signifique também uma modificação do caratê tradicional, que tenhamos de abrir mão do aspecto de arte marcial”, afirma o multicampeão Ricardo Buzzi.
“É um retrospecto respeitável e que nos enche de responsabilidade e esperança. Nós somos a seleção a ser batida na Polônia, entre mais de 30 participantes. Mas não será nada fácil, com certeza”, afirma Vladimir Zanca, capitão do time.
Para tanto, será preci­­so superar adversários de respeito como Itália e Po­­lô­­nia, os outros favoritos. No Mun­­dial anterior (em Curi­­tiba), o Brasil faturou três medalhas de bronze, além do ouro coletivo. “Preferimos não projetar número de medalhas, mas queremos ir além”, diz Nelson Santi, professor da seleção ao lado de Luiz Watanabe.
Um dos destaques é o tetracampeão mundial Ricardo Buzzi, curitibano – outros 11 paranaenses foram chamados. O arquiteto de 36 anos embarca sonhando com mais dois títulos na carreira e um recorde pessoal – ele concorrerá nos kumitês individual e por equipe.
“Caso eu vença mais um título mundial, vou me igualar ao argentino Justo Gomez como o único com cinco conquistas na história. Espero conseguir os dois e ultrapassar a marca, seria maravilhoso”, projeta Buzzi.
Outro trunfo nacional é o período de preparação, custeado pela Confederação Brasileira de Karatê-Dô Tra­­dicional (CBKT). A seleção adulta (acima de 21 anos) es­­tá reunida na sede esportiva da Copel desde o dia 22. Os juniores (16 e 17 anos) e os juvenis (18 a 20 anos) chegaram na última sexta-feira ao Santa Mônica Clube de Campo.
Curitiba foi escolhida para abrigar a delegação por dois motivos. Um deles, polí­­tico, por ser a cidade onde está a sede da CBKT. Mas, pri­­mor­­dialmente, para aclimatar os atletas.
“Curitiba tem nessa época do ano um clima pareci­do com o que encontraremos na Polônia, onde deveremos ter temperaturas variando entre 4 e 14°C. Isso é muito bom, especialmente para os competidores de outros estados, acostumados ao clima mais quente”, comenta Santi.
Outra atleta curitibana, Isa­­­­bela Okiishi, atesta a qualidade dos treinamentos. “É algo importante, pois será um campeonato de alto nível. Estou um pouco nervosa, pois será minha primeira viagem internacional, mas muito confiante”, afirma a carateca de 15 anos.

29 de set de 2012

Dilma participa de comício de Haddad na segunda-feira

Vera Rosa, de O Estado de S. Paulo
SÃO PAULO - A presidente Dilma Rousseff avisou o PT que vai participar de um comício do candidato petista à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, na noite de segunda-feira, dia 1º de outubro, a seis dias da eleição. A vinda de Dilma e o próprio comício, na Cohab José Bonifácio, em Guaianases, zona leste, estão sendo mantidos em sigilo pela equipe de campanha de Haddad.
Lula e outros petistas disseram que Dilma pode 'resgatar' Haddad na disputa em São Paulo - Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Lula e outros petistas disseram que Dilma pode 'resgatar' Haddad na disputa em São Paulo
Dilma gravou mensagens de apoio para o candidato do PT, que foi ministro da Educação até janeiro, mas não tinha intenção de participar de comícios. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a cúpula do PT, porém, pressionaram Dilma a socorrer Haddad, sob a alegação de que sua presença na capital paulista ajuda a desempatar o jogo com o candidato do PSDB, José Serra.
As últimas pesquisas mostram Serra e Haddad em empate técnico, no segundo lugar. O candidato do PRB, Celso Russomanno, lidera todos os levantamentos de intenção de voto. Guaianases é um dos tradicionais redutos do PT onde Russomanno aparece na frente. Lula também estará no comício da segunda. Amanhã, ele subirá no palanque de Haddad em São Miguel Paulista e Cidade Tiradentes, também na zona leste. O ex-presidente tem pedido a militantes do PT que ajudem Haddad a fazer "o milagre da multiplicação dos votos".

28 de set de 2012

Irã ameaça retaliar ‘com toda sua força’ caso seja atacado

Em discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, premiê israelense Benjamin Netanyahu afirmou que a diplomacia não funciona mais com Teerã

Falatório: Ahmadinejad e Netanyahu trocam ameaças
Ahmadinejad e Netanyahu: tensão entre Irã e Israel cresce na ONU (Vahid Salemi/AP e Uriel Sinai/Reuters)
Em resposta ao discurso do premiê israelense Benjamin Netanyahu, na Assembleia Geral da ONU, o Irã prometeu retaliar caso sofra um ataque estrangeiro. "O Irã tem a força necessária para se defender e se reserva o direito de responder com toda sua força contra qualquer ataque", afirmou a delegação de Teerã no plenário, na quinta-feira, usando o direito de resposta aos discursos realizados na Assembleia Geral.

Mais cedo, Netanyahu reiterou em sua fala na ONU que a diplomacia não está funcionando com o governo de Mahmoud Ahmadinejad e afirmou que o tempo para impedir que Teerã fabrique uma bomba atômica está acabando. "Nada ameaça mais a paz mundial do que um Irã com uma arma nuclear." A delegação iraniana rejeitou que seu programa nuclear tenha fins militares e voltou a afirmar que as instalações atômicas no país são "exclusivamente pacíficas".

Estados Unidos -
Discursando na última segunda-feira, o presidente americano Barack Obama destacou que seu país vai fazer o possível para que o Irã não desenvolva uma arma atômica. Ele defendeu que ainda há tempo para a diplomacia, mas enfatizou que este tempo "não é ilimitado". Ao chegar a Nova York, também na segunda, o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad havia afirmado que não acredita em um ataque por parte de Israel. "Fundamentalmente, nós não levamos a sério as ameaças dos sionistas", disse ele.

(Com agência EFE)

27 de set de 2012

Juiz recua e manda liberar diretor-geral do Google no Brasil

Fausto Macedo, Débora Álvares e Felipe Frazão, de O Estado de S.Paulo
Após a repercussão da prisão do diretor-geral do Google Brasil, Fabio José Silva Coelho, o juiz Flávio Saad Perón, da 35.ª Zona Eleitoral de Campo Grande (MS), enviou um alvará de soltura à Polícia Federal para liberar o executivo, que deixou a sede da PF em São Paulo por volta das 21h.
Fabio Coelho deixou a sede da PF por volta das 21h - Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE
Fabio Coelho deixou a sede da PF por volta das 21h
Coelho foi preso pela PF em São Paulo na tarde desta quarta-feira, 26, em cumprimento a uma ordem judicial expedida pelo mesmo juiz. A prisão foi motivada pelo descumprimento de uma determinação da Justiça Eleitoral. O Google não retirou do ar vídeos e links postados no You Tube - site de conteúdo audiovisual mantido pela empresa - que foram considerados ofensivos contra o candidato do PP a prefeito de Campo Grande, deputado estadual Alcides Bernal.
Ele entrou com ação e obteve vitória na 35.ª Zona Eleitoral de Campo Grande. Perón determinou a suspensão dos sites Google e YouTube por 24 horas no Estado de Mato Grosso do Sul, assim como a prisão do diretor-geral da empresa, caso a ordem para remover os vídeos não fosse cumprida.
O Google entrou com um recurso no Judiciário sul-mato-grossense, que não aceitou as alegações da empresa e manteve a ordem de prisão. A empresa alega que a responsabilidade pelo conteúdo dos vídeos postados no YouTube é dos usuários - o site é apenas um intermediário. Dessa forma, segundo a empresa, não seria possível cumprir a determinação da Justiça Eleitoral. O Google tentou recorrer da decisão, mas não houve tempo hábil para evitar a ação da PF.
Em nota, a PF afirmou que o crime de desobediência, previsto no Código Eleitoral, pode implicar em pena de até 1 ano de detenção, mas que, como o crime tem "menor potencial ofensivo", Coelho não ficaria preso. A notícia da prisão do diretor-geral do Google repercutiu em todo o mundo, divulgada por sites como CNN, BBC e The New York Times.

26 de set de 2012

Em NY, Dilma critica "expansionismo financeiro" de países ricos

Presidenta da República também alertou sobre riscos da "islamofobia" no Ocidente

Da Redação, com AE

ETO8945.jpg
A presidenta da República, Dilma Rousseff, criticou nesta terça-feira (25) o que chamou de "expansionismo financeiro" dos países desenvolvidos, afirmando que o combate ao desemprego não deve ser feito apenas com a redução desenfreada dos juros.

Em seu discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Dilma disse que a desvalorização do dólar, que favorece as exportações dos países ricos, prejudica as nações em desenvolvimento, especialmente o Brasil. "O protecionismo deve ser combatido, pois confere maior competitividade de maneira espúria", afirmou a presidenta diante dos principais líderes mundiais. 

Ao mesmo tempo, a presidenta da República defendeu as medidas adotadas pelo governo brasileiro para dificultar a entrada de produtos estrangeiros no País, como a elevação do IPI para itens importados, classificadas de "protecionistas" pelo governo dos Estados Unidos. "[Nossas medidas foram] injustamente classificadas como protecionismo", disse Dilma, que também pediu a construção de um "pacto global" para retomada do crescimento mundial.
Para Dilma, esse pacto deve ser liderado por organizações como o G20 (que reúne as maiores economias do mundo), o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional."A recessão só agudiza os acontecimentos. [É necessário] um amplo pacto contra a desesperança que provoca o desemprego e a falta de oportunidades", afirmou.
"Islamofobia" 
Dilma também demonstrou a "preocupação do Brasil" com aquilo que os diplomatas chamam de islamofobia.
A presidenta conversou na segunda-feira (24) com o presidente da Turquia, Abdullah Gul, por telefone, para debater o assunto.
Na conversa, os dois chefes de Estado manifestaram preocupação de que a intolerância religiosa, principalmente no Oriente Médio, possa dar argumentos a intervenções militares de países desenvolvidos na região e ao aumento do preconceito.
Para Dilma, além de ser uma ameaça às boas relações diplomáticas entre os países, o preconceito religioso representa um retrocesso nas relações comerciais.

25 de set de 2012

Revisor condena Costa Neto por corrupção e lavagem

Lewandowski afirma que o réu, na sua condição de parlamentar, recebeu valores de Marcos Valério

AE
Agencia-Brasil280911_JFC5439.jpg
O ministro revisor do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, votou pela condenação do deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Lewandowski afirmou que a prática do crime de corrupção passiva está configurada pelo recebimento de R$ 8,8 milhões feito por Valdemar e outros políticos do PL (atual PR). "O réu Valdemar Costa Neto recebeu valores do corréu Marcos Valério em razão de sua condição de parlamentar, o que configura recebimento de vantagem indevida, condição suficiente para indicar prática de corrupção passiva segundo entendimento dessa corte nesta ação penal".
O revisor destacou que Valdemar contou com a ajuda de Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do partido, para receber os recursos. Em seu depoimento, Jacinto Lamas afirmou que fazia os recebimentos e levava o dinheiro à residência do deputado federal. Valdemar era presidente do PL na época dos fatos. Hoje, além de deputado federal, é secretário-geral do PR.
Lewandowski considerou que houve lavagem de dinheiro porque Valdemar utilizou de uma empresa, a Guaranhuns Intermediações e Participações, para ocultar o recebimento. Destacou que foi firmado um contrato falso para justificar repasses da SMP&B para a Guaranhuns sem revelar o destino verdadeiro do dinheiro. "Houve um contrato simulado para justificar esse trânsito de milhões de reais por esta empresa", afirmou o revisor. "Essa Garanhuns, a meu ver, era uma verdadeira lavanderia de dinheiro para o repasse de dinheiro aos integrantes do PL", completou.
O relator, ministro Joaquim Barbosa, questionou o voto de Lewandowski. Disse que ao analisar a conduta de políticos do PP, o colega não condenou por lavagem de dinheiro, mesmo havendo também uma empresa fazendo a intermediação dos repasses, a corretora Bonus Banval. "Acho que o senhor Valdemar Costa Neto vai reclamar, e com razão", disse Barbosa.
O revisor disse não acreditar em reclamação porque seu voto está "detalhado". O presidente do STF, ministro Carlos Ayres Britto, auxiliou Lewandowski afirmando que no caso de Valdemar há uma "triangulação mais explícita". Lewandowski defendeu novamente que não se pode concordar com condenações de corrupção passiva e lavagem de dinheiro se não houver condutas que embasem a realização de cada um destes crimes. Disse entender, porém, que sua posição deve ser minoritária na
 

24 de set de 2012

O uso político das rádios comunitárias

Procuradores investigam esquema envolvendo cobrança de pedágio por coordenador de associação, que também é funcionário do Ministério da Educação

Josie Jeronimo
Chamada.jpg
DENÚNCIA
A Abraco estaria cobrando irregularmente uma comissão de 20% das emissoras
Quinze rádios comunitárias que nos últimos três anos receberam R$ 21,3 milhões por meio de convênios firmados com a União estão na alça de mira do Ministério Público. De acordo com as investigações, elas fariam parte de um esquema montado para desviar recursos públicos através da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraco). O coordenador-executivo da associação, José Luiz Sóter, que também coordena o programa de rádio web, do Ministério da Educação, e é dirigente do PT em Brasília, seria o principal operador do esquema. Segundo o Ministério Público, Sóter usaria sua condição de funcionário do MEC para facilitar a assinatura dos convênios e em troca as rádios favorecidas teriam que pagar um pedágio para a Abraco no valor equivalente a 20% do contrato.
RADIOS-02-IE-2237.jpg
AGENCIADOR
Coordenador da Abraco, José Luiz Sóter está na mira dos procuradores
Em um dos convênios celebrados no ano passado, por exemplo, a Abraco recebeu da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) R$ 168 mil. Pelo contrato, o dinheiro deveria custear despesas de operação de dez emissoras espalhadas pelo País, mas o Ministério Público descobriu que a Abraco, comandada por líderes petistas de diversos Estados, ficou com 20% da verba. A denúncia foi feita ao MP por uma rádio comunitária de Planaltina, a Utopia FM, no Distrito Federal, que deveria receber parte do dinheiro, mas acabou excluída do rateio depois de se recusar a fazer o repasse de 20% para a Abraco. Sóter nega o lobby pelos recursos públicos e diz que o problema no convênio com a EBC já foi resolvido. As investigações ainda em curso indicam que a maioria das rádios favorecidas pelo esquema de Sóter é dirigida por pessoas ligadas ao PT.
IEpag51e52_Radios-1.jpg
Ex-candidato a vereador pelo PT de Belém, o coordenador de relações institucionais da Abraco, Roberto Rômulo de Melo Gadelha, também usou o CNPJ da instituição para conseguir verba pública. Gadelha obteve R$ 30 mil de patrocínio do gabinete do deputado Miriquinha Batista (PT-PA). Os recursos vieram da verba indenizatória da Câmara. A assessoria do parlamentar justifica que a associação ajudou em um projeto de lei que solicita a ampliação do raio do sinal das rádios comunitárias. O Ministério Público promete investigar esse e outros contratos com lupa. O caso está nas mãos do procurador do Distrito Federal, Paulo Roberto Galvão de Carvalho. O processo administrativo foi convertido em inquérito civil em novembro de 2011.
Fotos: SEBASTIAO MOREIRA/AE

23 de set de 2012

Fundo de pensão do Executivo deve funcionar até fevereiro, diz governo

Do G1, em Brasília
O Ministério do Planejamento estima que o fundo de pensão de servidores públicos do Executivo (Funpresp-Exe), já aprovado pelo Congresso Nacional e criado nesta sexta-feira (21) por meio de decreto da presidente Dilma Rousseff, tenha seu funcionamento aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) em fevereiro de 2013.
Antes de ter seu funcionamento autorizado, ainda tem de ser elaborado o estatuto do fundo de pensão, que será submetido à Previc. Em seguida, virá a nomeação dos conselhos, o que deve ocorrer ainda em outubro, informou o Ministério do Planejamento. Para novembro, o governo prevê que será encaminhado o regulamento do plano de benefícios e os convênios de adesão.
A estimativa do secretário de Políticas de Previdência Complementar, Jaime Mariz de Faria Júnior, porém, é mais otimista. Ele estima que a Previc aprove a criação da Funpresp-Exe em, no máximo, 30 dias. Jaime Faria Júnior antecipou que o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão está contratando uma consultoria para finalizar o regimento dos planos, que já está minutado. Esse é o documento, segundo ele, que norteará o funcionamento e apresentará todos os detalhes da Funpresp.
Legislativo e JudiciárioA ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou que o decreto da presidente Dilma Rousseff, que cria o Funpresp-Exe, deixa em aberto a possibilidade de o Poder Legislativo aderir. O Judiciário, no entanto, deverá constituir fundo à parte, informou ela.
"Não temos avaliação de como o Judiciário pretende lidar com isso, mas a Lei permite que eles criem o seu próprio plano, sua própria fundação”, informou a ministra, por meio da página do Ministério do Planejamento. “E se por acaso mudarem de ideia, certamente vamos conversar a respeito", acrescentou ela.
O que muda
Os novos servidores que ganham acima do teto do INSS, atualmente em R$ 3,9 mil, não poderão receber da Previdência o salário integral quando se aposentarem. Para receber mais que o teto, os funcionários públicos federais deverão contribuir para o fundo complementar, que pagará uma aposentadoria extra a partir de 35 anos de contribuição.
Como será a contribuição
Atualmente, o servidor contribui com 11% sobre o salário total, e a União com 22%. Quem se aposentou antes de 2003 recebe o salário integral, segundo informou a assessoria da Previdência. Para quem ingressou no serviço público a partir de 2003, o benefício é calculado, de acordo com a Previdência, com base na média de 80% das maiores contribuições.
Com a nova lei, o servidor continuará contribuindo com 11% e a União com 22%, mas essa contribuição será sobre o teto do INSS. Para receber mais do que o teto após a aposentadoria, o servidor terá que aderir ao fundo complementar e contribuir com até 7,5% sobre o que exceder o teto. A União contribuirá com 8,5% do que ultrapassar o teto.
Como será a administração
O fundo será estruturado na forma de fundação com personalidade de direito privado e terá em sua estrutura um conselho deliberativo, um conselho fiscal e uma diretoria-executiva. Os membros serão nomeados pelo Presidente da República. A União fará um aporte financeiro no valor de até R$ 50 milhões a título de adiantamento de contribuições futuras para garantir a estrutura inicial necessária ao fundo.
Razões para a criação do fundo
O fundo é uma inciativa do Executivo e pretende reduzir o déficit da Previdência. Segundo o Ministério da Previdência, o déficit do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), que atende aos servidores públicos, deve ultrapassar a barreira dos R$ 60 bilhões em 2012. No ano passado, o resultado negativo somou R$ 56 bilhões, contra R$ 51 bilhões em 2010.
"Se não fizéssemos isso agora, o déficit continuaria a crescer em velocidade cada vez maior", afirmou a ministra Miriam Belchior, analisando a situação fiscal que mostra hoje uma diferença de R$ 35 bilhões entre receita e despesa na previdência do servidor público civil, um contingente de 1,21 milhão de pessoas.

22 de set de 2012

Cristina coloca nota em homenagem à Evita em circulação

A nota que trás o rosto de Evita representa uma ideia bastante antiga, baseada em um projeto datado do ano da morte da esposa de Juan Perón

Nova nota de 100 pesos que homenageia Evita
Nova nota de 100 pesos que homenageia Evita (Divulgação/EFE)
Em mais um rompante nacionalista, Cristina Kirchner colocou em circulação uma nova nota de 100 pesos (cerca de R$ 43,2), a de maior valor no país, que homenageia a figura de Eva Perón, símbolo maior do populismo argentino, em ocasião do 60° aniversário de sua morte, assim como uma moeda de 2 pesos (R$ 0,87), que relembra o trigésimo aniversário da guerra das Malvinas (1982).

Entenda o caso


  1. • As Ilhas Malvinas - Falkland, em inglês - ficam a cerca de 500 quilômetros do litoral argentino, mas são administradas e ocupadas pela Grã-Bretanha desde 1833.
  2. • O arquipélago foi motivo de tensão entre os dois países até que, em 1982, o ditador argentino Leopoldo Galtieri comandou uma invasão ao território.
  3. • O governo britânico reagiu rapidamente, enviando às ilhas uma tropa quase três vezes maior do que a da Argentina, que se rendeu dois meses depois.
  4. • Na guerra morreram 255 militares britânicos e mais de 650 argentinos.
Por enquanto, a nota de Evita circulará juntamente com a atual de 100 pesos, que leva o rosto de Julio Argentino Roca, militar por duas vezes presidente da Argentina (1880-1886 e 1898-1904), figura histórica muito questionada pelo governo. Mas os jornais argentinos afirmam ser bem possível que Cristina decida, em breve, manter apenas a nota de Evita.
Atualmente já circulam na Argentina duas moedas cunhadas em homenagem a Evita, uma de 1997, feita em comemoração à lei do voto feminino, e outra de 2002, quando se completou meio século da morte da ex-primeira dama, ocorrida em 26 de julho de 1952.


Divulgação/EFE
Peso argentino que comemora a guerra das Malvinas
Peso argentino que comemora a guerra das Malvinas
A moeda das Malvinas, por sua vez, é uma edição apenas comemorativa e apresenta o logotipo da União das Nações Sul-americanas (Unasul) integrado aos 12 países da região que respaldaram a reinvindicação argentina pela soberania do arquipélago. Em seu contorno, pode-se ler a mensagem “Malvinas - Causa regional americana”.
(Com Agência EFE)

21 de set de 2012

Protesto contra filme anti-Islã tem cinemas queimados no Paquistão

Manifestantes incendiaram  nesta sexta feira(21) dois cinemas da cidade paquistanesa de Peshawar, em mais um protesto contra um filme anti-islâmico produzido nos Estados Unidos.
Um manifestante foi ferido por um tiro disparado por um segurança de um dos cinemas, que abriu fogo quando os manifestantes saquearam e colocaram fogo na sala.
Os 250 manifestantes seguiram para outro cinema, o Shama, que para alguns radicais exibe filmes considerados obscenos, e também saquearam e incendiaram o local.
Protestos também foram registrados na cidade de Rawalpindi, próxima de Islamabad.
Manifestantes protestam contra o filme anti-Islã nesta sexta-feira (21) na cidade paquistanesa de Rawalpindi (Foto: AP)Manifestantes protestam contra o filme anti-Islã nesta sexta-feira (21) na cidade paquistanesa de Rawalpindi (Foto: AP)
As autoridades reforçaram a segurança nas principais cidades do Paquistão nesta sexta feira, declarado "dia de amor ao profeta" para protestar contra o filme anti-islâmico "A Inocência dos Muçulmanos".
Também são esperados protestos em vários outros países muçulmanos.

20 de set de 2012

Cantor Carlos Gardel, ícone argentino, nasceu na França


Documento derruba a teoria sobre origem uruguaia e mostra que o músico nasceu na cidade francesa de Toulouse, em 11 de dezembro de 1890

Carlos Gardel morreu em um acidente de avião na Colômbia, aos 44 anos de idade
Carlos Gardel morreu em um acidente de avião na Colômbia, aos 44 anos de idade (Reprodução)
Expoente máximo do tango e ícone argentino, o cantor Carlos Gardel sempre teve sua nacionalidade disputada de forma acirrada pelos vizinhos Argentina e Uruguai. Apaixonados por tango, assim como os argentinos, os uruguaios se orgulhavam de afirmar que Gardel havia nascido no país, na cidade de Tacuarembó, antes de ir para Buenos Aires na infância. O próprio cantor gostava de alimentar a rivalidade afirmando: "Meu coração é argentino, mas minha alma é uruguaia".

A história verdadeira, no entanto, é outra. Um grupo de pesquisadores encontrou um documento que coloca fim às controvérsias e prova que uma outra teoria sobre a cidade natal de Gardel é a correta: o cantor de tangos argentinos nasceu em Toulouse, na França, em 11 de dezembro 1890.  "Encontramos a certidão de nascimento original de Gardel, da prefeitura de Toulouse", anunciou na quarta-feira o argentino Juan Carlos Esteban, que ao lado dos franceses Georges Galopa e Monique Ruffié acaba de editar o livro El padre de Gardel (O pai de Gardel), resultado de uma pesquisa de dez anos sobre a vida do cantor.

Segundo os estudiosos, a mãe de Charles Romuald Gardés – o nome de batismo de Gardel – foi expulsa de casa pela família por ser mãe solteira e fugiu para a Argentina quando Gardel tinha dois anos e três meses. Anos depois, na época da Primeira Guerra Mundial, o cantor, como cidadão francês, deveria se apresentar a um consulado do país europeu em Buenos Aires para ser enviado ao campo de batalha. Sem nenhuma identificação com a França, Gardel ignorou a convocação e ficou em situação irregular, o que se tornou um problema quando sua fama alcançou status internacional e ele passou a receber convites para se apresentar na Europa. Em 1920, o cantor resolveu o contratempo ao conseguir uma certidão de nascimento uruguaia, onde registrou o seu nome artístico: Carlos Gardel.

Para corroborar a teoria, os pesquisadores se valem de outros documentos, como o testamento feito por Gardel em 1933 e depositado em um cofre, onde Toulouse é citada como a cidade natal do cantor.

O pai de Gardel - O grupo de estudiosos diz ainda ter indícios sobre a real identidade do pai do cantor, outro grande mistério que cerca a vida de Gardel. O livro aponta o francês Paul Jean Lassere como o suposto pai do músico. Ele teria se casado seis anos depois da partida do filho ilegítimo para a Argentina e seria pai de duas outras filhas. De acordo com a obra, dois anos depois do nascimento de Gardel, Lassere foi preso em Paris por roubo, cumprindo pena de dois anos.

Carlos Gardel morreu de forma trágica, aos 44 anos de idade, em um acidente de avião da cidade de Medellín, na Colômbia, em 1935.

Assista ao vídeo de Gardel cantando o tango 'Mi Buenos Aires Querido':
 

(Com agência EFE)

19 de set de 2012

EUA e França reforçam segurança ante ira dos muçulmanos

O filme independente anti-islâmico produzido nos EUA e charges publicadas em revista francesa acendem alerta vermelho na segurança dos dois países

AFP
000_Par7315302.jpg
 
Estados Unidos e França reforçaram as medidas de segurança de seus interesses e representações no mundo ante o risco de que a violência desencadeada por um filme que ofende Maomé aumente ainda mais após a publicação, nesta quarta-feira, de charges do profeta em uma revista satírica francesa. Mais de 30 pessoas morreram em ataques e manifestações violentas provocadas pela divulgação de trechos do filme amador "Inocência dos Muçulmanos", incluindo 12 em um atentado suicida executado na terça-feira no Afeganistão por uma mulher. O reforço das medidas de segurança se concentra na sexta-feira, dia de oração nos países muçulmanos e que pode provocar um aumento da mobilização contra o Ocidente.
 
Após uma semana de violência antiamericana no mundo árabe, o governo dos Estados Unidos adotou medidas excepcionais para proteger suas embaixadas no mundo, anunciou a secretária de Estado Hillary Clinton. A chefe da diplomacia negou que Washington tenha recebido informações sobre os planos para o ataque ao consulado de Benghazi (Líbia) em 11 de setembro, que matou o embaixador do país.
 
A França também reforçou as medidas de segurança depois que a revista satírica Charlie Hebdo publicou na edição desta quarta-feira desenhos sobre a controvérsia gerada pelo filme "Inocência dos Muçulmanos", produção de baixo orçamento realizada nos Estados Unidos e que desatou a ira muçulmana. O chanceler francês Laurent Fabius anunciou o aumento da segurança nas embaixadas francesas. Em Paris, a polícia também reforçou a proteção ao edifício que abriga a redação da Charlie Hebdo. As charges da publicação apontam mais para os autores do filme e os islamitas do que para o Islã. Mas o profeta Maomé é representado nu em dois desenhos.
 
"Lenha na fogueira"
 
"Estamos em um país no qual a liberdade de expressão está garantida, a liberdade de caricaturar também", declarou o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault. No entanto, ele afirmou que se as pessoas se sentirem ofendidas e considerarem que o direito foi ultrapassado, podem apelar aos tribunais. No contexto atual, a publicação da Charlie Hebdo "joga lenha na fogueira", opinou Laurent Fabius.
 
Ao mesmo tempo, o governo francês negou a autorização para um protesto no sábado em Paris contra o filme anti-Islã. Na França, qualquer agressão aos muçulmanos é considerada sensível. O país tem a maior comunidade da Europa, com entre quatro e seis milhões de muçulmanos. Vários países do Oriente Médio, África do Norte, Ásia e Europa foram cenários na última semana de atos de violência dirigidos contra Estados Unidos após a divulgação de trechos do filme.
 
Na terça-feira, o presidente americano Barack Obama pediu ao mundo muçulmano que trabalhe com os Estados Unidos para garantir a segurança de seus representantes no mundo. "Embora este vídeo seja chocante - e nós o denunciamos evidentemente, o governo americano não tem nada a ver com ele - não é de nenhum modo uma desculpa para a violência", disse. O embaixador dos Estados Unidos na Líbia e três funcionários americanos morreram no ataque ao consulado de Benghazi. Após o início do movimento de protesto, Washington adotou no fim de semana passado medidas adicionais de segurança para suas embaixadas e consulados no Oriente Médio e África do Norte.
 
Em 2005, a publicação de charges de Maomé por um jornal dinamarquês provocou uma onda de protestos no mundo muçulmano.

18 de set de 2012

Cabul e Jacarta se unem às violentas manifestações contra filme anti-Islã

Reações e protestos ao filme independente americano que debochou de Maomé continuam se espalhando pelo mundo islâmico

AFP

000_Nic6133170.jpg
Afeganistão e Indonésia tiveram nesta segunda-feira seus primeiros protestos violentos, com centenas de manifestantes enfrentando a polícia com pedras e aos gritos de "Morte à América", em resposta ao filme anti-Islã que desatou uma onda de revolta no mundo muçulmano. Estes episódios de violência são os mais recentes exemplos da fúria contra o filme anti-Islã produzido nos Estados Unidos e difundido no YouTube, que ocasionou na semana passada manifestações contra símbolos americanos, incluindo embaixadas, em pelo menos 20 países, deixando um saldo de 18 pessoas mortas até o momento.
Nesta segunda-feira, em Cabul, mais de mil afegãos protestaram e queimaram carros da polícia na estrada para Jalalabad, informou à AFP Mohammad Ayub Salangi, chefe de polícia. Entre 40 e 50 policiais ficaram levemente feridos, ao serem atingidos por pedras e paus, disse Salangi, que também sofreu ferimentos leves. Um policial, que se identificou apenas como Hafiz, afirmou que os manifestantes também atiraram pedras em Camp Phoenix, uma base militar dos Estados Unidos na capital.
Em Jacarta, manifestantes jogaram bombas incendiárias e enfrentaram a polícia indonésia em frente à embaixada americana, gritando "Estados Unidos, vão para o inferno!" no primeiro protesto violento contra o filme "A inocência dos muçulmanos" no país mais populoso do mundo muçulmano. O porta-voz da polícia, Rikwanto, disse que as forças de segurança recorreram ao uso de gás lacrimogêneo, canhões de água e tiros de advertência, mas não indicou se foram disparados balas reais. Muitos manifestantes eram partidários de grupos radicais islamitas e usavam o mesmo traje branco muçulmano, disse um jornalista da AFP.
 
No Paquistão, centenas de estudantes queimaram bandeiras americanas e gritaram slogans antiamericanos na cidade de Peshawar (noroeste). No distrito de Dir Uper, um manifestante foi morto e dois ficaram feridos em um tiroteio com a polícia. Após o recebimento de queixas, o Google bloqueou o acesso ao vídeo no Egito, Índia, Indonésia, Líbia e agora na Malásia, enquanto o governo restringiu o acesso ao YouTube no Afeganistão.
 
Na véspera, o chefe do movimento xiita libanês Hezbollah, Hassan Nasrallah, pediu uma semana de protestos no Líbano. Nasrallah descreveu o filme como "o pior ataque contra o Islã" e chamou "o mundo inteiro a mostrar sua raiva e seus gritos, na segunda-feira e nos dias seguintes", em um discurso transmitido pela Al-Manar, a TV do Hezbollah. A Al-Qaeda na Península Arábica também convocou ataques contra missões diplomáticas dos Estados Unidos no Oriente Médio e na África, e contra os interesses americanos no Ocidente.
 
Centenas de estudantes se reuniram nesta segunda-feira no Iêmen, onde pediram a expulsão do embaixador americano, convocaram um boicote de produtos americanos e condenaram a presença de marines para proteger a embaixada, disse um jornalista da AFP.
Enquanto isso, cerca de 3.000 filipinos muçulmanos reunidos na praça da cidade Marawi, no sul das Filipinas, queimaram bandeiras americanas e israelenses para expressar sua raiva contra o filme anti-islã. Os Estados Unidos retiraram do Sudão e de Túnis seus diplomatas e recomendaram a seus cidadãos para não viajar a estes dois países.

17 de set de 2012

Incêndio na Favela do Moinho mata uma pessoa

A cidade passa por um período de seca que já dura dois meses. De acordo com os Bombeiros, desde o início do ano a capital teve 68 incêndios em favelas

Incêndio atingiu a favela do Moinho, na região de Campos Elísios, no Centro de São Paulo e foi controlado pelo Corpo de Bombeiros
Incêndio atinge a favela do Moinho, na região de Campos Elísios, no centro de São Paulo (Caio Kenji/Folhapress)
O Corpo de Bombeiros de São Paulo informou há pouco ter encontrado o corpo de uma pessoa quando trabalhava no rescaldo da Favela do Moinho, no centro da capital paulista. A corporação ainda não tem detalhes sobre a vítima, mas informou suspeitar que o fogo começou de forma criminosa, depois de uma briga entre usuários de drogas. 
 
O incêndio atingiu os barracos às 7 horas e foi controlado às 8h15. As chamas consumiram parte da favela e causaram a interdição em algumas das principais vias da capital. O Moinho já tinha sido atingido por um grave incêndio em 22 dezembro de 2011. Este é o sétimo incêndio em favelas da capital paulista nos últimos quarenta dias e o 34º caso apenas no estado de São Paulo.
 
De acordo com os Bombeiros, desde o início do ano a cidade teve 68 incêndios em favelas. São Paulo vive um período de seca. A última chuva significativa na cidade foi registrada pelo o Instituto Nacional de Meteorologia em 18 de julho, ou seja, há dois meses. Vinte viaturas dos bombeiros e cerca de setenta homens da corporação atenderam a ocorrência na Favela do Moinho.
 
A Defesa Civil informou que oitenta casas foram destruídas pelo fogo, deixando 300 pessoas desabrigadas. A Assistência Social da prefeitura já foi acionada. Também acompanham os trabalhos a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), uma equipe da Eletropaulo e a Polícia Militar. 
 
Trânsito - Por causa da intensidade das chamas, que correram por baixo do Viaduto Orlando Murgel, a via está interditada nos dois sentidos. A ponte liga as avenidas Rio Branco e Rudge, na região dos Campos Elísios. A CET recomenda aos motoristas que utilizam a Avenida Rio Branco, sentido centro, a seguir o desvio pelas ruas Norma, Pieruccini Giannotti e Sérgio Tomás. No sentido bairro deverão utilizar a Avenida Duque de Caxias.
 
Duas linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) estão paradas em função do incêndio. Os trens da linha 8 tiveram circulação interrompida entre as estações Júlio Prestes e Barra Funda. Já a linha 7 parou na Estação Barra Funda, onde é possível fazer transferência para o metrô. A assessoria de imprensa do Metrô informa que no horário de pico todos os trens já estão em circulação para atender ao aumento de demanda. O incêndio, segundo eles, não interfere na circulação do Metrô.
 
Já os usuários de ônibus são mais atingidos pelas interdições, são dezessete linhas da SPTrans que tiveram a circulação parada ou alterada, afirma a companhia. Há técnicos da SPTrans na região para orientar sobre o percurso dos coletivos.
 
Histórico - Em dezembro de 2011, a mesma favela teve um grande incêndio, quando 368 barracos foram destruídos e cerca de 1,5 mil moradores ficaram desabrigados. Na época, o plano era transformar a região em parque. Segundo a prefeitura informou na data, três terrenos estavam em análise para receber as famílias que ocupam o Moinho.
 
(Com Agência Estado)

16 de set de 2012

Ataque do Taleban contra base no Afeganistão foi 'bem coordenado', diz Otan

EFE

Camp Bastion é defendida por militares britânicos e dos EUA - Reuters
Reuters
Camp Bastion é defendida por militares britânicos e dos EUA
CABUL - A missão da Otan no Afeganistão (Isaf) reconheceu neste domingo, 16, que perdeu seis caças no do ataque Taleban na sexta-feira contra a base de Camp Bastion, onde está o príncipe Harry da Inglaterra.
"Seis caças AV-8B Harrier ficaram destruídos e dois sofreram danos significativos. Três postos de carga de combustível também ficaram destruídos e seis hangares sofreram alguns danos", explicou a organização militar em comunicado.
Segundo a Isaf, o ataque começou na sexta-feira à noite e que foi "bem coordenado, com pelo menos 15 agressores, que se organizaram em três equipes e conseguiram penetrar no perímetro da base em um ponto. Estavam bem equipados e treinados. Vestiam uniformes do Exército dos EUA e portavam rifles automáticos, lança-granadas e coletes explosivos".
De acordo com a versão oficial, as tropas internacionais mataram 14 insurgentes e feriram outro que foi detido, enquanto em seu grupo morreram dois soldados e nove pessoas - oito militares e um civil - sofreram ferimentos.
A base Camp Bastion, defendida por militares britânicos e dos EUA, fica no distrito de Washer, na conflituosa província de Helmand, uma das fortificações dos insurgentes, que atribuíram a ação a uma "vingança" pelo vídeo que parodia Maomé.
De acordo com a imprensa britânica, o príncipe Harry saiu ileso do ataque.

15 de set de 2012

Tráfico atua dentro de área militar na Baixada Fluminense

Corpos de jovens mortos foram encontrados em centro de treinamento militar

Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro
Militares fazem a segurança do terreno do Exército que fica ao lado da favela da Chatuba
Militares fazem a segurança do terreno do Exército que fica ao lado da favela da Chatuba (Pablo Jacob/Agência O Globo)
A morte de nove pessoas desde o fim de semana - seis adolescentes, um cadete da PM, um pastor e o jovem José Aldeci Júnior, de 19 anos - evidenciam a falta de segurança na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro. Criminosos da favela da Chatuba são acusados de executar as vítimas - pelo menos sete delas torturadas barbaramente até a morte. E nem a presença do Exército os intimida. Ao contrário: o tráfico atua até dentro de uma área militar. As roupas dos seis adolescentes, cujos corpos foram jogados nus às margens da Rodovia Presidente Dutra, e o corpo de José Júnior foram encontrados no Centro de Treinamento do Exército no Parque do Gericinó, em Mesquita.
Nesta sexta-feira, o Comando Militar do Leste (CML) informou que abriu inquérito para apurar como os corpos foram deixados no local. O Comando Militar informou que o patrulhamento na região foi reforçado, mas não explicou como os militares não sabiam que traficantes usavam sua área para praticar crimes. E estas não foram as primeiras mortes no local: esta semana também, a polícia encontrou a ossada de um homem morto há cerca de um mês.
As mortes e ameaças aos moradores, acuados por traficantes para que não procurem ou denunciem o desaparecimento de seus filhos e maridos à polícia, levou o secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, à região da Chatuba na tarde desta sexta-feira. O secretário foi avaliar a implantação de uma companhia destacada da PM no local.
"Não estávamos dirigidos a esse local agora, mas temos uma política de segurança onde não se pode aceitar que em questão de horas tenhamos oito ou dez homicídios. Esse é um esforço emergencial. A região tem um legado de abandono onde as facções se sentem senhores das áreas. A questão territorial imperou para que a facção cometesse esse ato cruel contra os jovens. Não vamos desistir de um projeto de segurança que está salvando vidas", afirmou Beltrame.

14 de set de 2012

Embraer faz acordo de US$ 98 milhões com a Força Aérea Brasileira

A Embraer Defesa e Segurança, braço militar da Embraer, e a FAB (Força Aérea Brasileira) assinaram contrato de até US$ 130 milhões para fornecimento de suporte logístico e serviços para a frota de 24 aeronaves da família ERJ-145 (ERJ-145, ERJ-135, Legacy 600, RS e AEW&C) operada pela FAB.
O valor do contrato de apoio logístico é de US$ 98 milhões, mas pode chegar a US$ 130 milhões devido a serviços adicionais.
Segundo a Embraer, o programa inclui suporte de material, gestão de reparos, controle técnico de manutenção, suporte de engenharia e apoio técnico em campo, além de serviços de manutenção programada e não-programada.
Em nota, o vice-presidente de operações da Embraer Defesa e Segurança, Eduardo Bonini Santos Pinto, disse que o contrato "contribuirá para uma gestão eficiente e econômica" da frota da FAB.
"Este contrato representa uma grande conquista para o desenvolvimento da indústria de defesa nacional", disse no comunicado o Major-Brigadeiro Paulo João Cury, diretor de material aeronáutico e bélico da FAB.
Segundo a Embraer, "o resultado esperado é uma significativa redução dos custos operacionais e de suporte da FAB".

13 de set de 2012

Apple apresenta seu novo iPhone 5

O aguardado produto começa a ser vendido a partir de 21 de setembro nos Estados Unidos, Europa, Japão e Austrália

AFP
000_151862370.jpg
A gigante da informática americana Apple apresentou nesta quarta-feira a esperada nova versão de seu iPhone 5, que chegará às lojas em alguns países no dia 21 deste mês ao preço de 199 dólares. "É uma joia absoluta. O software e o trabalho de engenharia empregados neste produto são os maiores desafios que nossa equipe já assumiu", afirmou o chefe de marketing da Apple, Phil Schiller, em uma sala de imprensa lotada durante o lançamento em San Francisco (oeste dos EUA).
A apresentação estava entre as mais esperadas no mundo da tecnologia, com rumores e vazamentos de informações espalhados nos meses que antecederam o aguardado momento. "É o iPhone mais fino já produzido, é o smartphone mais fino do mundo e pesa apenas 112 gramas", disse Schiller. "Ele é 20% mais leve do que o iPhone 4S."
O produto será vendido a partir de 21 de setembro em Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Austrália e Japão, a partir de 199 dólares, com versões dotadas de mais memória a 299 e 399 dólares.

12 de set de 2012

Talibãs arrecadam US$ 400 milhões em 2011 com impostos e extorsões

O dinheiro foi conseguido por meio de impostos, doações e extorsões de empresários e traficantes de drogas no Afeganistão

AFP

Sem-Título-2.jpg
Os talibãs adquiriram 400 milhões de dólares no ano passado por meio de impostos, doações e extorsões de empresários e traficantes de drogas no Afeganistão, de acordo com um novo relatório das Nações Unidas. Os talibãs afegãos também arrecadaram centenas de milhões de dólares dos bilhões injetados no país para o desenvolvimento de projetos, segundo o relatório revelado por especialistas em sanções do Conselho de Segurança da ONU. Os especialistas estimaram que os talibãs arrecadaram 400 milhões de dólares em doze meses (entre março de 2011 e março de 2012).
"Receitas provenientes da extorsão de empresas e de produtores e traficantes de drogas, companhias de construção e de transporte, operadoras de telefonia móvel, empresas de mineração e projetos de ajuda e desenvolvimento vão para a Comissão Financeira Talibã, que representa os líderes talibãs", indica o relatório.
Os especialistas ressaltam que as doações são uma fonte importante de financiamento que também vai para os chefes militares.
O relatório cita as estimativas feitas pela Força Internacional de Assistência à Segurança da Otan (Isaf), que calcula que os ataques militares custam entre 100 e 150 milhões de dólares, enquanto que o restante do dinheiro serve para manter a insurreição.
 
"Desde 2006 os talibãs conseguiram financiar um número sempre crescente de ataques, refletindo um aumento da receita ano após ano".
Os talibãs cobram os impostos tradicionais: 10% sobre a colheita e 2,5% sobre o patrimônio. O imposto sobre a colheita é a "principal fonte" de receita, segundo o informe. Mas os talibãs também cobram outros impostos, por exemplo pela água, pelo fornecimento de energia elétrica e por outros serviços.

11 de set de 2012

Nova York faz minuto de silêncio pelos 11 anos do 11 de Setembro

Uma cerimônia simples para as famílias das vítimas foi realizada no local onde se erguiam as Torres Gêmeas do World Trade Center

AFP
2547537-2216-rec.jpg
Um minuto de silêncio foi realizado nesta terça-feira, em Nova York, pelo aniversário de 11 anos dos atentados de 11 de setembro. Uma cerimônia simples para as famílias das vítimas foi realizada no local onde se erguiam as Torres Gêmeas do World Trade Center destruídas nos atentados, que deixaram um saldo de 3.000 mortos. Os nomes das vítimas foram mencionados durante o ato.
O minuto de silêncio aconteceu às 8h46 (9H46 de Brasília), horário em que o primeiro avião bateu no World Trade Center. Outros cinco minutos de silêncio estão previstos para o decorrer da manhã, dois deles nos horários precisos das quedas das torres. Às 8h46, em Washington, o presidente Barack Obama e sua esposa Michelle respeitaram um minuto de silêncio nos jardins da Casa Branca.
Nenhum discurso de autoridades está previsto para as cerimônias deste ano, ao contrário de 2011, ano do 10º aniversário, quando o prefeito de Nova York Michael Bloomberg e personalidades políticas de destaque tomaram a palavra.
 
"Isto foi o que fizemos durante 10 anos. Chegou o momento de encarar algo diferente", disse antes da cerimônia o prefeito de Nova York ao canal ABC. O vice-presidente Joe Biden estará nesta terça-feira em Shanksville, Pensilvânia, onde caiu o voo 93 da United Airlines, cujos passageiros enfrentaram os sequestradores.

10 de set de 2012

Judeus e muçulmanos protestam por direito à circuncisão

Tribunal alemão de Colônia proibiu cirurgia por considerá-la 'lesão física ilegal'

Rabino Yitzhak Ehrenberg dá seu quipá ao líder da comunidade turca na Alemanha, Kenan Kolat, durante protesto contra proibição da circuncisão em Berlim
Rabino Yitzhak Ehrenberg dá seu quipá ao líder da comunidade turca na Alemanha, Kenan Kolat, durante protesto contra proibição da circuncisão em Berlim (Pawel Kopczynski/Reuters)
Centenas de judeus e muçulmanos protestaram juntos em Berlim neste domingo contra uma sentença de um tribunal de Colônia, na Alemanha, que considera a circuncisão de meninos uma 'lesão física ilegal e sancionável' e a proíbe. Alguns estados federados, como Berlim, já aprovaram medidas que a permitem sob estritas condições.
Os manifestantes exigiram garantias legais para poder praticar a circuncisão como parte de seus ritos religiosos. O vice-presidente do Bundestag (parlamento alemão), Wolfgang Thierse, prometeu que os deputados debaterão o tema para aprovar uma lei que permita a circuncisão por razões religiosas.
O parlamento aprovou em julho uma resolução defendendo a legitimidade da circuncisão em menores de idade em respeito à liberdade de religião. A sentença de Colônia, ditada em resposta ao caso de uma criança muçulmana, considerou, ao contrário, que a liberdade individual se sobrepõe à religiosa.
Além da onda de protestos nas comunidades judaica e muçulmana, a sentença ela despertou ampla solidariedade para com essas religiões entre cristãos, assim como no próprio governo alemão.
(Com agência EFE)

9 de set de 2012

Marinha fará exercícios de combate na África

Embarcação da Marinha brasileira participará de exercícios de combate no atlântico sul durante um mês
Corveta Barroso deve participar das operações militares no Atlântico Sul / Divulgação Corveta Barroso deve participar das operações militares no Atlântico
A Marinha brasileira participará, entre setembro e outubro, de dois exercícios navais conjuntos com outros países na costa sul-africana. O primeiro deles, chamado de Operação Atlasur, será realizado pela nona vez, em conjunto com as forças navais da Argentina, do Uruguai e da África do Sul, para simular ações de combate no Atlântico Sul, entre os dias 24 de setembro e 9 de outubro.

Logo depois do término da Atlasur, o Brasil inicia uma operação conjunta com a África do Sul e a Índia, chamada de Ibsamar, prevista para encerrar no dia 26 de outubro. Representando o Brasil, participará do exercício a corveta Barroso, que sairá do Rio de Janeiro na próxima segunda-feira.

Embarcados na corveta brasileira haverá um helicóptero Super Lynx e um destacamento de mergulhadores de combate. Entre os exercícios que serão realizados na costa africana estão manobras táticas, tiro antiaéreo noturno, operações antissubmarino, operações aéreas e exercício de confronto entre embarcações.

8 de set de 2012

A poderosa 'mequetrefe'

E-mails apreendidos pela Polícia Federal revelam o poder da ex-gerente da SMP&B, Geiza Dias, ré do mensalão; ex-funcionária de Marcos Valério indicava como e quando o pagamento deveria ser feito

Josie Jeronimo
chamada.jpg
02.jpg
03.jpg
Uma série de e-mails, correspondências e balancetes apreendidos pela Polícia Federal na SMP&B mostram que Geiza Dias dos Santos, ex-gerente financeira da agência do publicitário Marcos Valério e ré do processo do mensalão, não é tão “mequetrefe” como tentou convencer seu advogado Paulo Sérgio Abreu e Silva durante o julgamento no STF. Segundo o dicionário, mequetrefe é alguém que não merece maior consideração, um intruso, um joão-ninguém. ISTOÉ, no entanto, teve acesso a documentos que mostram Geiza como uma pessoa poderosa. O material indica que, a partir dos registros do trabalho da administradora de empresas na firma de Valério, foi produzida boa parte das provas do mensalão.
Nas correspondências, Geiza detalha a representantes do Banco Rural como o pagamento será feito e fornece dados dos beneficiários dos saques. O repasse de dinheiro a parlamentares é chamado de “verba”. Em um e-mail enviado no dia 11 de março de 2003, a ex-gerente financeira avisa que o policial civil David Rodrigues Alves fará um saque de R$ 300 mil e pede que o banco confirme o pagamento. Apurações da CPMI dos Correios mostraram que Alves atuava como “mula” para o esquema e recebeu R$ 4,9 milhões do banco. Ele teria atuado para levar dinheiro ao publicitário Duda Mendonça e também forneceu, em seu depoimento à polícia, informações sobre a participação do deputado Pedro Henry (PP-MT) no esquema.
Como se vê, de insignificante ou joão-ninguém Geiza não tinha nada. De 2001 até 2005, a rotina de trabalho da ex-gerente financeira da agência SMP&B, do publicitário Marcos Valério, era combinar pagamentos milionários com instituições bancárias e participar de reuniões com representantes de autoridades. Foi a partir de um e-mail de Geiza encaminhado a um funcionário do Banco Rural que a Procuradoria da República concluiu que parte da verba do mensalão circulou em carros-forte. Também foi com base nas correspondências de Geiza que a Polícia Federal produziu relatório financeiro cruzando as informações das autorizações de pagamento com as contas da agência de publicidade e do banco. Parte do modus operandi do esquema de Valério narrado na denúncia do Ministério Público Federal também veio das correspondências da ex-gerente. Despachando do sétimo andar do prédio que abrigava a SMP&B em Belo Horizonte, era Geiza quem lidava diretamente com a rotina do esquema. Todos os dias, Geiza emitia uma média de 100 cheques, a maioria com valores que ultrapassavam cinco dígitos, a exemplo do registro de ordem de pagamento de R$ 300 mil “batido” pela ex-gerente em novembro de 2003. Em um ano, a mequetrefe, na definição de seu advogado, emitiu R$ 4,8 milhões em cheques.
01.jpg
BENEFICIÁRIO
O deputado Pedro Henry teria recebido recursos de
Marcos Valério a partir de orientações de Geiza Dias
Ela ainda não havia alcançado o topo da carreira executiva, mas, em Minas Gerais, a ex-gerente financeira do publicitário Marcos Valério estava em ascensão na carreira quando foi arrastada para o escândalo do mensalão. Geiza gozava da confiança do publicitário e cumpria função estratégica nos negócios da agência SMP&B. Cabia a ela fazer funcionar sem erros o repasse de verbas coordenado por Marcos Valério. Por isso, trata-se, ao contrário do que sua defesa pretendeu supor, de uma espécie de arquivo vivo do mensalão. Os e-mails de Geiza foram reunidos no Apenso 5 da Ação Penal 470. Entre as mais de 50 mil páginas que compõem o processo do mensalão, o volume com as correspondências de Geiza é considerado o cerne das provas do esquema. Os relatos da ex-gerente financeira sobre as datas de saques, nomes de beneficiários e indicação da conivência do Banco Rural com o modelo informal de pagamentos foram usados para embasar o voto dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).
O salário de Geiza na SMP&B, no entanto, não mantinha relação com as cifras que movimentava. Quando foi demitida por “dissolução da firma”, após as investigações da CPMI dos Correios, ganhava R$ 1,7 mil, o equivalente a cinco salários mínimos em 2005. O escândalo, com a exposição pública de seu nome e as frequentes intimações da polícia, atingiu em cheio a vida pessoal e profissional de Geiza. Amigos narram que a ex-gerente financeira de Marcos Valério não recebeu apoio familiar e que sua permanência em Minas Gerais se tornou um inferno. Além das piadinhas e da dificuldade para conseguir um novo emprego, Geiza sofreu duro julgamento de sua mãe, Maria Izabel Dias dos Santos. Sem aceitar o caminho tomado pela filha, ela preferiu se afastar. ISTOÉ entrou em contato com a mãe de Geiza, mas ela se recusou a falar sobre o julgamento da filha. Maria Izabel vive no município de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.
05.jpg
Após deixar sua casa em Belo Horizonte, Geiza tentou a vida em pelo menos dois Estados. Agora vive em Aparecida de Goiânia (GO), a 220 quilômetros de Brasília. Lá trabalha na agência Jordão Publicidade como responsável pela administração financeira da empresa. “Esse caso acabou com a minha vida, só converso sobre esse assunto com meu advogado”, disse Geiza à ISTOÉ. Antes de ir para Goiás, ela tentou a sorte no Rio de Janeiro, morando no bairro de Irajá, na sona norte. O advogado de Geiza, Paulo Sérgio Abreu e Silva, se orgulha de ter criado uma das expressões mais populares do julgamento do mensalão. Abreu e Silva acredita que a estratégia de desqualificar sua cliente pode livrar a ex-gerente financeira de uma condenação. Os ministros devem analisar as acusações contra Geiza segunda ou terça-feira, de acordo com previsão do calendário do julgamento do mensalão. “É muito melhor o pessoal de Aparecida de Goiânia chamá-la de mequetrefe do que de condenada, como diretores de bancos foram”, diz. Mas o advogado de Geiza se contradiz e admite que, no papel de “testemunha” do esquema, sua cliente não tem nada de mequetrefe. “Ela é a grande testemunha, mas ela não foi chamada pelo Ministério Público. Ela poderia contar o nome de todo mundo, muitos nomes que não estão aí. Ela como testemunha teria valor.” É, como se vê, Geiza é uma mequetrefe bem poderosa.
04.jpg
Fotos: Rejane Carneiro, Lúcio Távora – Ag. A Tarde/Futura Press; Alan Marques/Folhapress

6 de set de 2012

KC-390 - FAB e EMBRAER Defesa e Segurança Concluem Revisão do Projeto

São José dos Campos, 05 de setembro de 2012 – A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Embraer Defesa e Segurança concluíram em agosto a revisão preliminar de projeto (PDR), do jato de transporte militar KC-390. O evento contratual, um marco relevante do programa, ocorreu nas instalações da Embraer em Eugênio de Melo, no período de 20 a 29 de agosto.
Ao longo do evento, a Embraer apresentou ao Comando da Aeronáutica as características técnicas das soluções de projeto adotadas para a estrutura e os diversos sistemas da aeronave, incluindo as definições dos principais componentes e suas interfaces, demonstrando que o projeto alcançou a maturidade esperada para a fase atual.
“Ficamos muito satisfeitos com o que foi apresentado e estamos seguros de que o projeto está no caminho certo”, disse o Coronel-Engenheiro Sergio Carneiro, Gerente do Projeto KC-390 na FAB. “Verificamos todos os principais aspectos do projeto da aeronave e o KC-390 segue atingindo as expectativas da Força Aérea Brasileira”.
Como parte da revisão de projeto, foi também realizada uma avaliação da ergonomia da cabine de pilotagem, com a participação de militares do Comando da Aeronáutica, com destaque para a 1º Tenente-Aviadora Joyce de Souza Conceição, do 1º/1º Grupo de Transporte, primeira mulher piloto a avaliar a cabine do KC-390.
“As discussões com a Força Aérea foram muito produtivas e estamos contentes com o resultado do trabalho”, disse Paulo Gastão Silva, Diretor do Programa KC-390 na Embraer. “Temos uma equipe muito competente e motivada neste projeto e vamos continuar trabalhando firme para satisfazer nosso cliente”.
O próximo grande evento contratual será a revisão crítica de projeto (CDR), quando deverá ser comprovada a maturidade do projeto para a fabricação dos protótipos.
O KC-390 é o maior avião já construído pela indústria aeronáutica brasileira e estabelecerá um novo padrão para aeronaves de transporte militar de médio porte em termos de desempenho e capacidade de carga, além de contar com avançados sistemas de missão e de voo.

5 de set de 2012

Rio negocia com Exército área para instalar centro de desenvolvimento da L'Oréal

Empreendimento – que será o sexto do tipo no mundo – pesquisará produtos para pele e perfumaria, mas os cosméticos para cabelo serão o foco

Fábrica da L'oreal
L'oreal: centro de pesquisa deve receber investimento de até 100 milhões de reais (Felipe Varanda)
O governo do Estado do Rio corre contra o tempo para terminar as negociações com o Exército em torno da cessão do terreno na Ilha do Fundão – campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – para a construção do centro de desenvolvimento da companhia francesa L'Oréal no país.
O empreendimento terá investimento de 70 milhões de reais a 100 milhões de reais. O objetivo da empresa é começar as obras até o fim do primeiro trimestre de 2013 e a expectativa é inaugurar o centro em outubro de 2014, segundo o diretor de pesquisa e inovação da L'Oréal no Brasil, Blaise Didillon.
O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, afirmou, após evento de apresentação do projeto de construção do centro de pesquisas nesta terça-feira, que o governo trabalha com a possibilidade de começar as obras em janeiro. Bueno se disse confiante nas negociações com o Exército.
"Estamos fazendo um acordo que consiga atender aos interesses do Exército e da empresa. Não é fácil fazer a negociação", afirmou Bueno, informando que a negociação envolve a construção de casas para o Exército pelo governo estadual. O centro ficará próximo ao Parque Tecnológico da UFRJ. O projeto de construção do centro de pesquisa foi mostrado com a presença do presidente mundial da L'Oréal, Jean-Paul Agon, e do governador do Rio, Sérgio Cabral, que não falaram com a imprensa.
O centro pesquisará produtos para pele e perfumaria, mas os cosméticos para o cabelo serão o foco principal. Será o sexto empreendimento do tipo da L'Oréal no mundo. Os outros ficam na França, Estados Unidos, Japão, China e Índia.
(com Agência Estado)

4 de set de 2012

Seca vai piorar em 178 cidades do CE

Brasília. Há 75 dias sem chuva, a população do Semiárido no Ceará sofre com os efeitos da longa estiagem que afeta o Estado. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), esta promete ser a mais rigorosa seca enfrentada pelo estado nos últimos 19 anos e a quinta pior da história. De acordo com especialistas, a situação ainda vai piorar.


No primeiro semestre deste ano, choveu apenas 299,2 milímetros, 50% menos do que a média histórica para a época, que é de 606,4 milímetros FOTO: ALEX PIMENTEL

Das 184 cidades cearenses, 178 já decretaram situação de emergência (o governo federal ainda analisa o decreto de quatro municípios). As mais afetadas ficam nas regiões do Sertão Central, Inhamuns e Jaguaribana, onde, segundo a Defesa Civil estadual, vivem cerca de 2,5 milhões pessoas.

Para suprir a falta de água potável, o Exército está atendendo a 93 localidades com carros-pipa. Até o dia 10, mais 21 cidades começarão a ser atendidas por carros-pipa disponibilizados pela Defesa Civil do Estado por meio de um convênio de R$ 8,3 milhões firmado com o Ministério da Integração Nacional. A expectativa é que este número aumente, já que, segundo a assessora técnica da Defesa Civil estadual, Ioneide Araújo, o pior ainda está por vir.

"Ainda vamos entrar nos meses mais rigorosos da estiagem, e chuvas consolidadas mesmo, só a partir de fevereiro", disse Ioneide. No Ceará, 154 municípios ficam no Semiárido, onde as chuvas só começam em fevereiro.

Chuvas

A Funceme reforça Ioneide. O meteorologista Namir Mello informou que, no primeiro semestre, choveu 50% menos do que a média histórica para a época. Enquanto a média é 606,4 milímetros, este ano foram registrados apenas 299,2 milímetros.

3 de set de 2012

Irã anuncia manobras para proteger usinas; Israel reage

Diante da possibilidade de ataque israelense, país reforça materiais de guerra e se preocupa com suas instalações nucleares. Netanyahu cobra ação de aliados

O pôster de Ali Khamanei, Líder Supremo do Irã, próximo às centrífugas de energia nuclear
O pôster de Ali Khamanei, Líder Supremo do Irã, próximo às centrífugas de energia nuclear (IRIB Iranian TV/Reuters)
O governo iraniano anunciou neste domingo que prepara para as próximas semanas uma série de manobras antiaéreas em larga escala para proteger as instalações nucleares do país. Diante da possibilidade de um ataque israelense contra as usinas iranianas, o governo dos aiatolás pretende testar as forças do país diante de “cenários inesperados”. Também neste domingo o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu urgência à comunidade internacional na definição de um limite claro para o programa nuclear iraniano – e que deixasse claro ao presidente Mahmoud Ahmadinejad que o Ocidente está determinado a impedir o avanço do Irã na questão nuclear.
"Todos os sistemas de defesa antiaérea da Guarda e do Exército serão utilizados neste exercício", afirmou o comandante das forças antiaéreas da Guarda Revolucionária iraniana, general Farzad Esmaili. Os exercícios devem ter início em 21 de setembro e se estender até 21 de outubro, segundo Esmaili.
O general explicou que a prioridade da defesa antiaérea da Guarda Revolucionária é proteger as instalações nucleares. "Grande parte de nossos meios está mobilizada ao redor destas instalações", disse.
Israel, Estados Unidos e as potências europeias temem que o programa nuclear iraniano tenha como objetivo a produção da bomba atômica. As declarações de Netanyahu neste domingo deixam clara a crescente impaciência do país com seus aliados – sobretudo os Estados Unidos -, que vem pressionando o governo israelense a insistir na diplomacia e na adoção de sanções econômicas para deter o avanço nuclear do Irã.
O Irã alega que seu programa nuclear tem fins pacíficos, contra todas as evidências. Estima-se que a bomba iraniana deve ficar pronta em um ano. Entende-se, portanto, que os israelenses considerem recorrer a todos os meios possíveis para impedir esse desastre para a segurança mundial.
A agência oficial iraniana Mehr informou neste domingo que o país reforçou as capacidades de radares, baterias de mísseis e meios de guerra eletrônica ao longo da fronteira noroeste, limite com Turquia, Armênia e Azerbaijão. "Os equipamentos foram instalados em mais de 300 pontos", afirmou o general Rasul Rezvani-Kia, comandante da defesa antiaérea na região.
(Com agência France-Presse)

2 de set de 2012

Rebeldes na Síria atacam aeroporto militar

Militantes intensificam ofensiva contra instalações da força aérea do ditador Bashar al-Assad

Turquia é o país vizinho à Síria que mais recebe refugiados
Turquia é o país vizinho à Síria que mais recebe refugiados (Youssef Boudlal/Reuters)
Os rebeldes sírios tomaram instalações de defesa aérea e atacaram um aeroporto militar no leste da Síria neste sábado, segundo um grupo de monitoramento. A ofensiva na província oriental Deir al-Zor, importante centro de produção de petróleo, acontecem após outros ataques contra aeroportos militares nas regiões de Aleppo e Idlib, próximas à fronteira com a Turquia.
A ação foi uma resposta ao governo de Bashar al-Assad, que está confiando cada vez mais em ataques aéreos para vencer os adversários. O ditador sírio, que vem lutando contra um levante que já dura 17 meses e deixou mais de 20 mil mortos, perdeu o controle das áreas rurais nas regiões norte, leste e sul e recorreu a helicópteros e a jatos de combate para reprimir seus adversários.
Invasões - Os rebeldes invadiram um prédio da força aérea síria na cidade de Deir al-Zor neste sábado, prendendo, pelo menos, 16 pessoas e apreendendo mísseis anti-ataques aéreos, segundo Rami Abdulrahman, do Observatório Sírio para Direitos Humanos, que fica na Grã-Bretanha.
Ativistas postaram na internet um vídeo que mostra os oficiais e soldados capturados pelos rebeldes, enquanto imagens do canal de televisão Al Arabiya exibiam os mísseis e munição que teriam sido apreendidos durante a invasão. Segundo Abdulrahman, rebeldes também atacaram a base aérea de Hamdan em Albu Kamal, próxima da fronteira oriental da Síria com o Iraque, mas não tiveram sucesso em invadir o local.
Os ataques ocorrem três dias depois que os rebeldes atacaram a base aérea de Taftanaz, na província de Idlib, onde disseram que vários helicópteros foram destruídos. Os insurgentes também disseram que derrubaram um jato de combate e um helicóptero na semana passada.
Segurança - O bombardeio aéreo levou a novas ondas de refugiados em direção a países vizinhos. A Turquia voltou a pedir que sejam criadas "áreas de segurança" no território sírio.
(Com agência Reuters)

1 de set de 2012

Corrupção no Judiciário só ficou mais exposta, diz Eliana Calmon

A corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, diz que a corrupção no Poder Judiciário não diminuiu nos dois anos em que denunciou irregularidades. "A corrupção apenas ficou mais exposta", diz.
Ela evita criticar seu sucessor, ministro Francisco Falcão, de quem é amigo. Não faz coro com os que preveem uma atuação menos incisiva na corregedoria do CNJ.
Eliana pretende filiar-se a uma ONG contra a corrupção, quando se aposentar.

Fabio Braga/Folhapress
A atual corregedora do CNJ, Eliana Calmon, que quer se ligar a uma ONG quando se aposentar
A atual corregedora do CNJ, Eliana Calmon, que quer se ligar a uma ONG quando se aposentar
*
Folha - A corrupção no Judiciário diminuiu ou ficou mais exposta?
Eliana Calmon - Ficou mais exposta. Não senti que houve uma diminuição.
Qual foi o episódio de corrupção mais grave?
Um desfalque na Justiça do Trabalho em Rondônia, mais de R$ 2 bilhões. Há advogados envolvidos. Um desembargador foi afastado.
A senhora teme retrocesso no combate à corrupção?
Não. Acho que o ministro Francisco Falcão dará continuidade ao trabalho.
Ele empregava a mulher, a filha e a irmã em seu gabinete, quando foi juiz federal.
Na época, isso era comum no Judiciário. Não era ilegal. Era a mistura do público e do privado. Hoje o nepotismo é proibido.
O atual corregedor do TJ-SP, José Renato Nalini, diz que a corregedoria paulista serviu de modelo para o CNJ. A corregedoria paulista é eficiente?
Eu não posso dizer que seja de absoluta eficiência, porque São Paulo é muito grande. Mas a corregedoria paulista controla os seus juízes, coisa que não existe em muitas corregedorias.
O que a inspeção do CNJ no TJ-SP descobriu?
Encontramos algumas irregularidades na folha de pagamento. Uma servidora levava para casa o computador onde estavam os pagamentos aos desembargadores. Ela foi exonerada pela nova administração. Essa funcionária recebeu ordem de nos fornecer o material. Levou dois dias para cumprir.
Quais são as corregedorias mais ineficientes?
Mato Grosso do Sul, Piauí...
Qual o tribunal mais eficiente?
O melhor tribunal em nível geral é o Tribunal de Justiça de Sergipe. Tudo funciona muito bem lá.
Qual é a sua expectativa em relação ao CNJ sob a presidência do ministro Joaquim Barbosa?
Ele é rigoroso, muito ético. Em sessões que presidiu [substituindo Ayres Britto], vi que está antenado com o CNJ. Não tem conversa fiada.
*A senhora se arrepende de ter dito que há "bandidos de toga"? *
Absolutamente. Precisava ser dito, faria tudo outra vez.
A senhora alimenta algum projeto político?
Dizem que eu teria uma eleição ganha para senadora. Não tenho aptidão.
E na advocacia?
Não. Pela minha idade, acho muito penoso bater perna no fórum, fazer sustentação oral. Acho que não poderia fazer advocacia de lobby. Pelo meu perfil, ninguém iria me contratar (risos). Eu penso muito em me filiar, no futuro, a uma ONG na área de denúncias de corrupção. FREDERICO VASCONCELOS
ENVIADO ESPECIAL A BRASÍLIA