30 de set de 2009

EUA e Cuba têm reunião sigilosa

Uma funcionária de alto escalão do Departamento de Estado dos EUA manteve, em Cuba, um diálogo direto com a cúpula do regime castrista, revelaram três diplomatas americanos à Associated Press. Se confirmadas, as reuniões - que não haviam sido previamente anunciadas - serão o contato mais significativo entre Washington e Havana em décadas.
Em uma viagem de seis dias, Bisa Williams, vice-secretária do Departamento de Estado dos EUA para o Hemisfério Ocidental, teria se encontrado com o vice-chanceler cubano, Dagoberto Rodriguez. Os dois supostamente passaram por áreas da Província de Pinar del Rio atingidas por um furacão e visitaram fazendas estatais comunitárias.
O encontro de alto escalão ocorre após EUA e Cuba retomarem, no dia 17, o serviço postal entre os países, congelado desde 1963. Essa negociação, entretanto, havia sido previamente divulgada.
Para os funcionários americanos, que pediram anonimato, o simples fato de o encontro bilateral ter ocorrido seria mais significativo que seus resultados concretos. "Fomos a um terreno que não íamos há muito tempo", disse um dos diplomatas.
REAPROXIMAÇÃO
O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ian Kelly, admitiu que Bisa permaneceu em Cuba após as negociações sobre o serviço postal. Contudo, Kelly recusou-se a entrar em detalhes sobre o conteúdo das novas discussões.
"Bisa esteve com autoridades do governo e com vários representantes da sociedade civil para obter um panorama geral, em campo, sobre a situação econômica e política", resumiu Kelly.
Desde que assumiu, em janeiro, o presidente Barack Obama tem aliviado, com cautela, as restrições impostas pelos EUA à ilha comunista. Em abril, uma semana antes da Cúpula das Américas, em Trinidad e Tobago, Obama autorizou cubano-americanos a enviar dinheiro e visitar parentes em Cuba. Em seguida, iniciou contatos para retomar o serviço postal, concluídos no último dia 17.
No entanto, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, havia alertado que Washington não pretende derrubar o embargo a Cuba - que já dura 47 anos - até que o país reverta seu regime de partido único e adote a democracia.
Na abertura anual da Assembleia-Geral da ONU, que ocorreu na semana passada em Nova York, o chanceler cubano, Bruno Rodriguez, discursou em defesa da normalização de relações entre Cuba e os EUA. Segundo o ministro, o governo de Raúl Castro está disposto a manter com Obama um "diálogo respeitoso", "que não submeta a independência, soberania e autodeterminação" de Cuba.
DIALOGO
Viagens e divisas: Às vésperas da Cúpula das Américas, em abril, Obama anuncia o fim das restrições de viagens de cubano-americanos à ilha e de envio de dinheiro a parentes em Cuba
Lei: Obama renova por seis meses a suspensão da cláusula da Lei Helms-Burton, de 1996, que permite a abertura de processos contra companhias de terceiros países que negociem com empresas cubanas
Propaganda: EUA desligam anúncio eletrônico de sua representação em Havana que era usado para atacar o regime cubano

29 de set de 2009

Falecimento

Repasso a info...

Lamento ter que informar o falecimento do nosso amigo e companheiro de Cavalaria, Gaudelei Albres Viegas (76), no dia 28 de setembro, pela manhã, em Campo Grande - MS.

Servimos juntos em Rosário do Sul,RS com velhos Cavalarianos de guerra como: Ari, Passos, Iberê, Almeida Santos, Damião, Forrer Garcia, Freitas Costa (Pará)...

Que Deus o ilumine na última cavalgada...
Com tristeza no coração...

Paes Barreto
BRASIL acima de tudo...!!!

Mensagem Criativa de uma Escola da Califórnia

Esta é a mensagem que os professores de uma escola da Califórnia decidiram gravar na secretária eletrônica.
A escola cobra responsabilidade dos alunos e dos pais perante as faltas e trabalhos de casa e, por isso, ela e os professores estão sendo processados por pais que querem que seus filhos sejam aprovados mesmo com muitas faltas e sem fazer os trabalhos escolares.

Eis a mensagem gravada:
"Olá! Para que possamos ajudá-lo, por favor, ouça todas as opções:

─Para mentir sobre o motivo das faltas do seu filho - tecle 1.
─Para dar uma desculpa por seu filho não ter feito o trabalho de casa - tecle 2.
─Para se queixar sobre o que nós fazemos - tecle 3.
─Para insultar os professores - tecle 4.
─Para saber por que não foi informado sobre o que consta no boletim do seu filho ou em diversos documentos que lhe enviamos - tecle 5.
─Se quiser que criemos o seu filho - tecle 6.
─Se quiser agarrar, esbofetear ou agredir alguém - tecle 7.
─Para pedir um professor novo pela terceira vez este ano - tecle 8.
─Para se queixar do transporte escolar - tecle 9.
─Para se queixar da alimentação fornecida pela escola - tecle 0.
Mas se você já compreendeu que este é um mundo real e que seu filho deve ser responsabilizado pelo próprio comportamento, pelo seu trabalho na aula, pelas tarefas de casa, e que a culpa da falta de esforço do seu filho não é culpa do professor, desligue e tenha um bom dia!"

“Essa negligência paterna e materna toma conta da sociedade...na Califórnia ou no Brasil. É tudo igual....

A grande maioria dos pais de hoje em dia se comporta assim...todos devem ser responsáveis por seus filhos, menos eles...o resultado já está aí, em nossas salas de aula e nas ruas...monstrinhos à solta...que se tornarão monstrengos e sabe-se lá mais o quê...
Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade???...
Que nada..............sem limites nada funciona!”

O Ouro Negro dos Tolos

Como parte do grande plano de socialização, o "Ministério da Propaganda" faz o seu papel. Você se lembra do Alexis Stepanenko? Foi ministro das Minas e Energia do ex-presidente Itamar Franco. Veja a carta abaixo que ele escreveu para o ex-presidente, até aqui um governante sem firulas e sem rebuscos propagandísticos, mas que atuou com inequívoco patriotismo no caso chamado Raposa Terra do Sol e nessas recentes "maravilhas" petroleiras do Lula.

"Meu caro Itamar Franco,

Tenho que tirar o chapéu para a capacidade do presidente Lula em criar "novidades" sobre coisas antigas.

Quando eu era o Ministro de Minas e Energia em seu Governo, a Petrobras já sabia da existência destas reservas que iam de Santos à Santa Catarina. O problema é que se calculava que elas jaziam a mais de 2500m de profundidade e, hoje, foi comprovado se encontrarem a mais de 3200m. Qual era o problema?

Em 1993, não havia (nem hoje há ainda), tecnologia para se extrair o óleo cru dessa profundidade. Apenas no ano passado conseguimos chegar a 2000m, a uma pressão bárbara.

Comentei contigo que tínhamos reservas, mas não tecnologia para chegar lá, mas o CEMPES estava trabalhando para conseguir perfurar a uma profundidade dessas. Segundo os geólogos da Petrobras, nas priscas eras, os continentes da América do Sul e da África se separaram. Nesta separação, a costa ocidental da África (Nigéria, Angola, Guiné etc.) ficou com jazidas de petróleo mais perto da superfície e nós em águas mais profundas.

Contudo, um dia chegaríamos a retirar petróleo destas nossas águas e o país seria independente da importação do produto. Pois bem, ontem a Dilma anunciou essa "grande descoberta", prevista para produzir petróleo daqui a 8 anos!

Nessa profundidade, que nunca foi alcançada por ninguém, há enormes desafios de engenharia para serem resolvidos, tais como a pressão, a resistência dos materiais, as sondas adequadas etc.

A engenharia da Petrobras tem trabalhado nesses problemas, mas não encontrou ainda todas as respostas e soluções. Contudo, acho que estão prevendo que, em 2015, terão desenvolvido e dominado a tecnologia para essa profundidade. Hoje, a Petrobrás não a tem.

Estima-se que este petróleo deve ter um API de menos de 30°, talvez 25°. O que é isso?

Petróleo muito pesado, parecido com o da Venezuela, mais custoso de refinar, pois rende apenas 20% de combustíveis em cada barril extraído. O custo médio atual no Brasil, desse petróleo, para a Petrobras deve estar por volta de US$12 a 13.00.

O petróleo leve, como o encontrado no Oriente Médio, rende 50% de hidrocarbonetos combustíveis e o custo de extração fica talvez entre US$1 a 2.00 o barril. Onde se vê como é um negócio de grandes lucros, movido por uma especulação desenfreada na "economia globalizada".

Claro que ao preço do barril de petróleo a US$93 a 96,00 vale a pena extrair óleo até das areias de xisto, como fazem agora os canadenses. A mídia e o povo - com essa 'descoberta'– estão euforicamente enganados. Nem se fala mais no problema do gás.
O Sauer, que era o Diretor de Gás da Petrobras, nunca gostou de gás por ser um especialista em hidrelétricas...

Em nossa época, tivemos o pudor de não anunciar algo que era impossível de extrair, da mesma forma que nunca falamos dos 'dois mil pontos de ouro na superfície', que seriam encontrados na Amazônia etc. e tal.

Questão de pudor e de seguir a sua orientação de não chutar a torto e a direita, para não criar falsas esperanças e expectativas, além de especulações nas bolsas de valores.

Não creio que os técnicos da Petrobras quisessem divulgar a "grande descoberta". Devem ter sido pressionados para dar uma noticia que acabasse com a "crise do gás".

E assim vamos, no vai da valsa...

Abraços,
Alexis Stepanenko

28 de set de 2009

Honduras contra a mentira global

Olavo de Carvalho
Se algo os acontecimentos recentes em Honduras confirmam, é aquilo que venho dizendo há anos: quem quer que, sem ser esquerdista, preste algum favorzinho aos esquerdistas, acaba sendo acusado por eles de fazer exatamente o contrário do que fez, de ser um direitista feroz e intolerante que só os persegue, maltrata e atemoriza.
Em 28 de junho, a Suprema Corte de Honduras determinou a prisão do presidente Manuel Zelaya por ter infringido a Constituição e ameaçado usar a força contra o poder legislativo. Os militares, em vez de executar a ordem, deixaram-se enternecer pelo desgraçado e permitiram que ele escapasse para a Costa Rica. Resultado: a esquerda mundial inteira os acusa de ter “expulsado” Zelaya, de ter dado um “golpe”, de ter “rompido a estabilidade das instituições”.Se tivessem prendido o delinqüente e o levado a julgamento, a esquerda mundial poderia estar tão enfezada quanto está agora, mas não teria nenhum pretexto para dizer essas coisas.
Teria de inventar outras mentiras, mais trabalhosas, menos persuasivas.Não sei quantas décadas ou séculos de experiência e de sofrimento inútil a humanidade ainda precisará para compreender que indivíduos contaminados pela mentalidade revolucionária não são pessoas normais, confiáveis, das quais se possa esperar lealdade, gratidão, bondade ou acordo racional, mesmo em doses mínimas.
A história está repleta de casos de conservadores, católicos, protestantes, judeus, que arriscaram suas vidas para salvar comunistas perseguidos. Não consta dos anais do mundo um só episódio de comunista de carteirinha que tenha feito o mesmo por um reacionário, um só exemplo de radical islâmico que tenha arriscado o pescoço para livrar um infiel das garras dos aiatolás vingadores.
A mentalidade revolucionária não admite leis ou valores acima do poder revolucionário, não conhece caridade ou humanitarismo exceto como expedientes publicitários a serviço da revolução, não admite lealdade senão ao aparato revolucionário, não aceita a existência da verdade senão como simulacro de credibilidade da mentira revolucionária.Com toda a evidência, é assim que funciona a mente dos srs. Luís Inácio Lula da Silva, Hugo Chávez, Marco Aurélio Garcia e demais próceres do Foro de São Paulo.
O sr. Lula acaba de dar mais um exemplo da sua mendacidade revolucionária infatigável, ao afirmar que o governo brasileiro nada sabia do retorno de Manuel Zelaya a Honduras, quando o próprio Zelaya confessa que foi tudo combinado com o sr. Marco Aurélio Garcia.Colaboracionistas em profusão, espalhados pela mídia internacional, apressam-se em alardear que a presença do presidente criminoso na embaixada brasileira desestabiliza o regime hodurenho e o predispõe a concessões. Isso é pura guerra psicológica. Quem quer trégua não priva o inimigo de água e comida, nem atira nos agentes chavistas que o apóiam, camuflados de cidadãos hondurenhos.
Quem está desestabilizada é a “ordem global”, que mostrou toda a sua fraqueza, todo o seu desespero, ao ficar provado que, para destruí-la, basta um povo pequeno e corajoso dizer “Não”.Não acreditem em jornalistas que lhes apresentam a crise hondurenha como uma questão de aceitar ou rejeitar Zelaya na presidência. Esse problema nem sequer existe.
Como presidente ou como cidadão, há uma ordem de prisão contra ele. Recolocá-lo no Palácio Presidencial é apenas garantir que ele irá para a cadeia com honras de chefe de Estado. Honduras não está lutando para se livrar de um político safado, mas para assegurar que a ordem legal e constitucional do país valha mais que a opinião de bandidos e tagarelas estrangeiros autonomeados “consenso internacional”.Para lidar com essa gente, toda precaução é pouca, toda suspeita é modesta, toda conjeturação de motivos sórdidos corre o risco de ficar muito aquém da realidade.
Os hondurenhos parecem ser o primeiro povo do mundo que percebeu isso.

Fonte: Diário do comercio

27 de set de 2009

Honduras ameaça tirar status da embaixada do Brasil

O regime de facto de Honduras ameaçou revogar as credenciais diplomáticas do Brasil por ter abrigado o presidente deposto Manuel Zelaya em sua embaixada.

"Se o status de Zelaya não for definido em dez dias, a embaixada vai perder sua condição diplomática", disse Carlos Lopez Contreras, ministro de facto das Relações Exteriores em entrevista à imprensa. "Por cortesia, uma invasão do local não está sendo considerada", acrescentou Contreras.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva rejeitou o ultimato dado pelo governo de facto de Honduras para que o Brasil defina em dez dias o status de Zelaya. Em um comunicado emitido na noite de ontem, o governo que está no poder desde o golpe de 28 de junho afirmou que tomará "medidas adicionais" caso o Brasil não defina o status de Zelaya, sem especificar, no entanto, que medidas seriam essas.

26 de set de 2009

Anúncios que pedem papéis da ditadura vão ao ar amanhã

O governo federal começa a veicular amanhã, ao custo de R$ 13,5 milhões, anúncios em TV, rádios, jornais e revistas para estimular a entrega de documentos sobre a localização de desaparecidos no regime militar (1964-85).
Produzida pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência, a campanha vai durar dois meses e será veiculada nacionalmente em TV e revistas -em rádio, será mais concentrada na região do Araguaia.
Os filmes para TV, que contam com a participação de familiares de desaparecidos políticos, foram dirigidos pelos cineastas Cao Hamburguer, João Batista de Andrade e Helvécio Ratton.
Segundo o governo, quem entregar documentos -o que pode ser feito pela internet (www.memoriasreveladas.gov.br)- terá a garantia de anonimato. O material coletado será encaminhado ao Centro de Referência das Lutas Políticas no Brasil -Memórias Reveladas.
Para o ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, "qualquer que seja a divergência ideológica, histórica política sobre o período, ninguém pode ter divergência sobre o direito de localizar os restos mortais e sepultar".

Simpatizantes entraram armados

Cerca de 20 apoiadores do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, entraram armados na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, a capital hondurenha. As armas foram recolhidas na terça-feira, um dia depois da chegada de Zelaya à embaixada.
- Foi o próprio presidente Zelaya quem conversou com seus apoiadores e lhes pediu que nos entregassem as armas. Ele argumentou que lá fora os homens estavam armados com fuzis e outras armas muito mais pesadas e que, se houvesse uma invasão da embaixada e encontrassem pessoas armadas, poderia haver um banho de sangue. Ele disse que não queria sangue - afirmou o brasileiro Wilson Batista, responsável pelo serviço de comunicação da Embaixada do Brasil.
Segundo Batista, os hondurenhos entregaram as armas sem resistências e elas foram colocadas num cofre, em uma área secreta da embaixada.
- Não há nenhuma possibilidade de essas armas serem utilizadas por alguém - afirmou o funcionário da embaixada.
Ao condenar ontem a ocupação da Embaixada do Brasil em Honduras por simpatizantes de Zelaya, o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), disse ter recebido informações de que algumas pessoas estariam armadas. Logo depois, Azeredo recebeu um telefonema do chanceler brasileiro Celso Amorim, que lhe informou o esforço do governo brasileiro para esvaziar a embaixada em Honduras e evitar seu uso político por parte de Zelaya.
De acordo com o senador mineiro, Amorim teria lhe informado que o número de ocupantes da embaixada brasileira teria caído para 60 pessoas. Para Azeredo, porém, esse número continua sendo inaceitável.
- No máximo, a embaixada poderia abrigar Zelaya e a família. Mais ninguém - disse Azeredo.

Brasileiros temem ataques zelayistas
Documento de repúdio às medidas do governo Lula circula na internet
SÃO PAULO. Integrantes da comunidade brasileira em Honduras afirmaram ontem que não estão sendo hostilizados no país, mas temem ataques de zelayistas. Eles apoiam o golpe militar contra Manuel Zelaya e têm se manifestado contrários à medida do governo brasileiro. Parte dos cerca de 350 brasileiros que vivem em Honduras lançou ontem um abaixo-assinado de repúdio às medidas brasileiras.
"Fazemos diretamente responsável o governo brasileiro pelas eventuais consequências negativas, represálias ou ataques em nossas vidas, empresas, residências e propriedades, que podem acontecer em resultado desse abuso de poder sem precedentes na política externa do Brasil", diz o documento, que começou a circular ontem na internet em Honduras, segundo a presidente do Comitê de Damas do Rotary e ex-presidente da Associação de Brasileiros em Honduras, Sandra Estrada.
- Na verdade, podemos ser ameaçados pelos apoiadores de Zelaya, que não passam de pessoas contratadas pelo (presidente da Venezuela) Hugo Chávez. Estão recebendo dinheiro para se manifestar em favor de Zelaya e são hostis. Nós apoiamos o novo presidente e somos queridos dos hondurenhos. Não foi um golpe. Zelaya foi posto para fora dentro das leis de Honduras porque tentou mudar a Constituição e aqui a regra é essa - disse a brasileira Sandra Estrada.
Para Sandra, faltam informações ao governo brasileiro sobre a situação jurídica de Honduras:
- Zelaya é um profano da Justiça, burlou todas as leis deste país que nos adotou. Dói em nós, brasileiros, ver nosso querido presidente Lula tomando o partido errado, fazendo nossa embaixada de palanque, com pessoas armadas sendo pagas por Chávez, com quem ele fala o tempo todo por telefone - disse Sandra, ontem à tarde, ao voltar de uma marcha contra Zelaya na capital de Honduras.
Filha do poeta João Cabral de Melo Neto, Isabel Cabral é uma das funcionárias da embaixada brasileira em Honduras que conseguiu sair na terça-feira e voltar para casa. Já em casa, explicou que ela, sua família e amigos brasileiros não estão sofrendo represálias.
- Ninguém nos destratou. Ouvi dizer que algumas pessoas estão com medo, mas não soube de caso de conflitos - disse a brasileira. (Soraya Aggege)

25 de set de 2009

Assalto na Tijuca causa mobilização no Rio de Janeiro


Sexta-feira, 25/09/2009
Um bandido manteve a dona de uma farmácia como refém por cerca de 40 minutos, na rua Pererira Nunes, na Tijuca. Ele a ameaçou com uma granada, até que foi morto por um atirador de elite.
No final da ação, policiais comemoraram e a população que estava próxima ao cordão de isolamento aplaudiu os agentes.

Você Acredita?

Aspone Garcia: ‘Honduras
tem governo de mentirosos’

Orlando Brito
Foto
Marco 'Top top' Garcia


Olha quem fala: o aspone para assuntos internacionais aleatórios da Presidência, Marco Aurélio “Top Top” Garcia”, chamou hoje de “mentirosos” os integrantes do governo interino de Honduras. Deu a declaração à imprensa internacional, como a agência espanhola Ele, negando mais uma vez que o Brasil ajudou o presidente deposto Manuel Zelaya a voltar a Tegucigalpa, onde ocupa - com status político indefinido - a embaixada do Brasil. Garcia acompanha Lula na cúpula do G20 em Pittsburgh (EUA), e não poderia deixar de dar seus habitualmente desastrosos pitacos públicos. Como o inesquecível “top-top” obsceno, após a queda do avião da TAM, em julho de 2007.

http://www.claudiohumberto.com.br/principal/index.php
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u629299.shtml

Honduras - Brasileiros temem ataques zelayistas

Deu em O Globo
Honduras - Brasileiros temem ataques zelayistas
Documento de repúdio às medidas do governo Lula circula na internet
De Soraya Aggege:Integrantes da comunidade brasileira em Honduras afirmaram ontem que não estão sendo hostilizados no país, mas temem ataques de zelayistas.Eles apoiam o golpe militar contra Manuel Zelaya e têm se manifestado contrários à medida do governo brasileiro.Parte dos cerca de 350 brasileiros que vivem em Honduras lançou ontem um abaixo-assinado de repúdio às medidas brasileiras."Fazemos diretamente responsável o governo brasileiro pelas eventuais consequências negativas, represálias ou ataques em nossas vidas, empresas, residências e propriedades, que podem acontecer em resultado desse abuso de poder sem precedentes na política externa do Brasil", diz o documento, que começou a circular ontem na internet em Honduras, segundo a presidente do Comitê de Damas do Rotary e ex-presidente da Associação de Brasileiros em Honduras, Sandra Estrada.- Na verdade, podemos ser ameaçados pelos apoiadores de Zelaya, que não passam de pessoas contratadas pelo (presidente da Venezuela) Hugo Chávez. Estão recebendo dinheiro para se manifestar em favor de Zelaya e são hostis. Nós apoiamos o novo presidente e somos queridos dos hondurenhos.
Não foi um golpe. Zelaya foi posto para fora dentro das leis de Honduras porque tentou mudar a Constituição e aqui a regra é essa — disse a brasileira Sandra Estrada.Para Sandra, faltam informações ao governo brasileiro sobre a situação jurídica de Honduras:- Zelaya é um profano da Justiça, burlou todas as leis deste país que nos adotou. Dói em nós, brasileiros, ver nosso querido presidente Lula tomar partido errado, fazendo nossa embaixada de palanque, com pessoas armadas sendo pagas por Chávez, com quem ele fala o tempo todo por telefone — disse Sandra, ontem à tarde, ao voltar de uma marcha contra Zelaya na capital de Honduras.Filha do poeta João Cabral de Melo Neto, Isabel Cabral é uma das funcionárias da embaixada brasileira em Honduras que conseguiu sair na terça-feira e voltar para casa. Já em casa, explicou que ela, sua família e amigos brasileiros não estão sofrendo represálias.- Ninguém nos destratou. Ouvi dizer que algumas pessoas estão com medo, mas não soube de caso de conflitos — disse a brasileira.

24 de set de 2009

MYRRIA - A CRÍTICA - MANAUS-AM

FRANK - A NOTÍCIA - FLORIANÓPOLIS-SC

PATER - A TRIBUNA - VITÓRIA-ES


Honduras - "Lula, leva essa mula"

Esta é a palavra de ordem gritada por mais de 20.000 hondurenhos que, neste momento, tomam as ruas de Tegucigalpa em uma manifestação pacífica de apoio ao governo democrático de Honduras e contra a volta de Zelaya ao país. O Brasil não merecia passar por este vexame.
"levate ese caballo", "Lula, Lula, llevate esa mula" y "sacaremos ese buey de la embajada"

23 de set de 2009

Jornal da Band pergunta se Lula quer dividir o país

Do Jornal da BAND:

O governo cedeu à pressão do MST e mudou os índices de produção rural para desapropriar terras. Com isso, o agricultor brasileiro terá que aumentar ainda mais a produtividade para não perder a terra.

Editorial do jornal

A afronta ao trabalho não poderia ser maior. E vem exatamente daquele que deveria ser o primeiro a garantir a segurança e tranquilidade de quem cumpre seu dever.

O presidente Lula está agredindo não só os produtores rurais, mas a Nação como um todo quando apoia tal portaria que aumenta os índices de produtividade como critério para desapropriar terras.

Não age como presidente, mas como líder de um bando de militantes que muitas vezes atuam como criminosos.

Se Lula e seu MST levarem à frente essa bandeira insensata estarão abrindo uma guerra no campo, que poderá se transformar em tragédia.

É inconsciência?

Ingnorância?

Covardia?

Ou uma ação premeditada do presidente para dividir o país?

Intelectuais assinam manifesto contra CPI dos repasses para MST

Um grupo de 60 intelectuais, políticos, juristas, representantes da Igreja e sindicalistas, entre outros, divulgou ontem um manifesto com duras críticas à proposta de CPI apresentada por três parlamentares do DEM para investigar os repasses ao Movimento dos Sem-Terra (MST). O documento defende a atualização dos índices de produtividade no campo. "É contra essa bandeira que a bancada ruralista do Congresso reage. Como represália, busca, mais uma vez, articular a formação de uma CPI contra o MST. Seria a terceira em cinco anos", diz.
Há uma semana, a senadora Kátia Abreu (TO) e os deputados Ronaldo Caiado (GO) e Onyx Lorenzoni (RS) protocolaram na Secretaria-Geral do Senado pedido para apurar transferência de "mais de" R$ 40 milhões da União e R$ 20 milhões do exterior para o MST. O requerimento lista seis suspeitas de "irregularidades e desvios" em convênios com entidades ligadas à agremiação.
De acordo com o Manifesto em Defesa da Democracia e do MST, divulgado ontem pelo próprio movimento, "o ataque extrapola a luta pela reforma agrária" e atinge os avanços democráticos do País. "Se a agricultura brasileira é tão moderna e produtiva, como alardeia o agronegócio, por que temem tanto a atualização desses índices?" E vai além, ao propor CPI "para analisar os recursos públicos destinados às organizações da classe patronal rural".
O documento, que ganhou mais de 400 adesões, aponta "ofensiva dos setores mais conservadores da sociedade contra o Movimento dos Sem-Terra, seja no Congresso, seja nos monopólios de comunicação, seja nos lobbies de pressão em todas as esferas de poder". E alerta para tentativa "de criminalizar" as ações dos sem-terra.

"ÓDIO DAS OLIGARQUIAS"
Pelo texto, "o ódio das oligarquias rurais e urbanas não perde de vista um único dia" o MST. "Esse movimento paga diariamente com suor e sangue por sua ousadia de questionar um dos pilares da desigualdade social no Brasil: o monopólio da terra."
Segundo o texto dos simpatizantes do MST, os donos de terra não toleram que movimentos sociais disputem verbas do orçamento para tornar viável a atividade econômica de famílias assentadas."Daí resulta o ódio dos ruralistas e outros setores do grande capital, habituados desde sempre ao acesso exclusivo aos créditos, subsídios e ao perdão periódico de suas dívidas", atacam.
Cinco pessoas respondem pela autoria do manifesto e busca de assinaturas - o ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio (PT-SP), o ex-presidente do Incra Osvaldo Russo, o poeta Hamilton Pereira, o escritor Alípio Freire e a socióloga Heloisa Fernandes.
Endossam o documento o crítico literário Antônio Cândido, o jurista Fábio Konder Comparato, o sociólogo Emir Sader, o escritor Fernando Morais, o presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), d. Ladislau Biernaski, o teólogo Leonardo Boff, a presidente da Associação de Juízes pela Democracia, Dora Martins, além de dirigentes do PSTU, PC do B e PSB. A sambista Beth Carvalho e o ator Osmar Prato também o subscrevem.
Procurada para comentar o manifesto e as críticas feitas ao agronegócio, Kátia Abreu não se manifestou.

Eleições confirmarão democracia em Honduras






"A negociação que temos em Honduras é realizar as eleições em 29 de novembro, escolher um novo presidente e a partir daí entregar a ele o poder em 27 de janeiro como manda a Constituição.Roberto Micheletti, presidente de facto de Honduras




De Roberto Micheletti, presidente de facto de Honduras:

Meu país vive uma situação incomum nesta semana. O ex-presidente Manuel Zelaya retornou sub-repticiamente a Honduras, alegando ainda ser o líder legítimo do país, a despeito do fato de que uma sucessão constitucional teve lugar em 28 de junho.

Em meio a todas as alegações que provavelmente serão feitas, o ex-presidente não mencionará que o povo de Honduras avançou desde aquele dia ou que nossos cidadãos estão se preparando para eleições livres.

A comunidade internacional condenou equivocadamente os eventos de 28 de junho e erradamente rotulou nosso país como não democrático. Devo respeitosamente discordar.

Em 28 de junho, a Suprema Corte emitiu uma ordem de prisão contra Zelaya por suas violações gritantes de nossa Constituição que marcaram o fim de sua presidência. Até hoje, uma maioria avassaladora de hondurenhos apoia as ações que asseguraram o respeito ao regime da lei.

Em meio a toda retórica sobre um golpe militar estão fatos. Em poucas palavras, golpes não deixam civis no controle sobre as Forças Armadas, como é o caso em Honduras hoje. Eles não permitem tampouco o funcionamento independente de instituições democráticas - os tribunais, a procuradoria-geral, o tribunal eleitoral. Eles também não mantêm um respeito pela separação de poderes. Em Honduras os poderes Judiciário, Legislativo e Executivo estão em funcionamento e chefiados por autoridades civis.

Golpes não permitem liberdade de reunião. Não garantem a liberdade de imprensa, e muito menos o respeito aos direitos humanos. Em Honduras, essas liberdades permanecem intactas e vibrantes. E, em 29 de novembro, nosso país pretende realizar o exercício civil supremo de qualquer democracia: uma eleição presidencial livre.

O vencedor da eleição assumirá a presidência em janeiro. Nesse momento, cessará minha administração de transição.

22 de set de 2009

Embaixada Brasileira sem Água e Luz


















O governo de Honduras suspendeu o fornecimento de água, luz e telefone na Embaixada do Brasil a fim de pressionar pela saída do presidente deposto, Manuel Zelaya, que, desde ontem, refugiou-se no prédio da representação brasileira. De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, além de Zelaya, mais 70 simpatizantes o acompanham na embaixada. Os funcionários brasileiros foram orientados a permanecerem em suas casas.
http://www.claudiohumberto.com.br/principal/index.php

Exército recebe 7 vezes menos investimentos do que Aeronáutica

Enquanto a Aeronáutica e a Marinha deverão ser contempladas com 36 aviões de combate e um submarino nuclear, o Exército brasileiro, segundo o próprio general comandante da Força, Enzo Peri, sofre com contingenciamento de recursos a ponto até de racionar a alimentação dos militares. Pelo menos em termos de investimentos (execução de obras e compra de equipamentos), dados do orçamento mostram que a distorção realmente é significativa entre as Forças; e não é de agora. Nos últimos seis anos, o Comando da Aeronáutica investiu R$ 8,1 bilhões na sua área, já descontada a inflação acumulada no período. O Exército, por sua vez, desembolsou apenas R$ 1,2 bilhão, ou seja, 7 vezes menos do que a Força Aérea Brasileira (FAB). Até a Marinha, com um contingente de 117 mil homens a menos do que o Exército, recebeu mais investimentos federais: R$ 1,9 bilhão no total (veja tabela).Em 2010, a situação não será diferente. O orçamento encaminhado pelo governo ao Congresso prevê R$ 757 milhões em investimentos para o Exército, enquanto para a Aeronáutica serão R$ 2,7 bilhões e à Marinha quase R$ 3 bilhões. Em média, desde 2004, são investidos no Exército cerca de R$ 202 milhões por ano – considerando os chamados “restos a pagar” – dívidas de anos anteriores roladas para exercícios seguintes. Na Marinha o valor médio verificado é de R$ 324 milhões e na Aeronáutica, R$ 1,4 bilhão. Em longo prazo, a diferença deverá ficar ainda maior, já que o governo se comprometeu a aplicar cerca de R$ 19 bilhões com os submarinos e pelo menos R$ 7 bilhões com os novos caças da Força Aérea.O principal programa de investimentos do Comando do Exército é o de reaparelhamento e adequação, que tem ações de modernização operacional dos batalhões de engenharia de construção e das organizações militares, implantação de brigadas especiais e de infantaria e aquisição de meios terrestres (carros de combate, tanques, etc.). No entanto, mesmo com R$ 481 milhões previstos no orçamento do programa este ano, apenas R$ 165 milhões foram desembolsados até agora, incluindo os “restos a pagar”. O montante representa 34% do autorizado para 2009. Os programas de reaparelhamento da Aeronáutica e Marinha receberam mais recursos (veja tabela).O que pesa no orçamento do Exército são as despesas com pessoal e encargos sociais, já que é a Força com o maior número de militares: 183 mil. Por isso, o Comando gasta muito mais com a rubrica do que as demais. Entre 2004 e 2009, cerca de R$ 98 bilhões foram destinados a pagamento de salários e benefícios sociais no Exército, montante superior ao pago na Aeronáutica (66,8 mil militares) e Marinha juntas no mesmo período: R$ 88 bilhões.Para o professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB) Antônio Ramalho, a estratégia nacional do Exército, de presença física no território, faz com que os gastos do Comando com custeio sejam muito maiores do que nas outras Forças. Esse é um dos motivos pelos quais, segundo ele, o Exército tem menos investimentos do que as demais e um orçamento muito maior para pagar, por exemplo, material de consumo como alimentação. “Além disso, os armamentos do Exército são mais baratos. No entanto, países como Estados Unidos e França possuem projetos bastante sofisticados para o Exército”, destaca.Ramalho acredita que os generais “têm o pé no chão e sabem que o cobertor orçamentário da Defesa é curto”. “Vale destacar ainda que os investimentos para a compra dos novos caças e dos navios farão com que as ações do Exército sejam mais integradas à Aeronáutica e à Marinha. Isso porque parte dos aviões será destinada a uma nova base que deverá ser construída no centro do país e porque uma nova base da Marinha será erguida próxima à foz do rio Amazonas. É na Amazônia que o Exército tem sua principal missão”, explica.“Não pode existir relação orçamentária entre as Três Forças”A Assessoria de Comunicação Social (Ascom) do Ministério da Defesa informou em nota encaminhada ao Contas Abertas que “não existe, e nem pode existir, uma relação fixa entre os orçamentos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica”. De acordo com a assessoria, “cada Força tem suas realidades e projetos específicos, com cronogramas próprios e prazos de maturação diferenciados. Muitas das ações do Exército, por exemplo, exigem uma proporção maior de custeio em relação ao investimento, por envolver um número maior de pessoas, enquanto os principais equipamentos da Marinha e da Aeronáutica são intensivos em capital”, diz. Segundo a Ascom, “essa é uma das razões pelas quais o orçamento de custeio do Exército, no Projeto de Lei de 2010, teve um crescimento de R$ 104,4 milhões, na comparação com o PLOA de 2009, enquanto a Marinha sofreu uma redução de R$ 436,2 milhões em seu custeio, e a FAB perdeu R$ 75,4 milhões”. A assessoria afirma ainda que de acordo com as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa, cada Força enviou à Defesa uma proposta de equipamento e de articulação, com o horizonte de 2009 a 2030. “As propostas estão sendo analisados com o objetivo de consolidação. Nessa análise, serão observadas, entre outras coisas, coerência com a Estratégia Nacional de Defesa, e a eventual ocorrência de superposição e de inconsistência entre as propostas”, aponta. Como exemplo, a Ascom cita o caso das brigadas do Exército, que “terão que ficar próximas às bases da Força Aérea onde ficarão localizados os aviões de transporte KC-390, que terão como principal missão estratégica deslocar essas brigadas em caso de mobilização”. Ainda na nota, a assessoria afirma que o orçamento do Exército em 2010 contemplará programas de mobilidade estratégica, Amazônia protegida, sentinela da pátria e combatente brasileiro. Clique aqui para ver a nota na íntegra.Apesar da posição oficial destacada pela Defesa, autoridades ouvidas pelo jornal O Globo há cerca de uma semana disseram que os projetos das outras Forças são elogiáveis, mas não justificam “o abandono das demandas do Exército”. Segundo o jornal, um general não identificado citou três prioridades que não foram contempladas no orçamento de 2010: a renovação da frota de blindados, já licitada e estimada em R$ 5 bilhões para a fabricação de mil veículos; a montagem de um sistema de defesa antiaérea, sem previsão de gastos; e a promessa de dobrar a presença militar nas fronteiras da Amazônia. O Contas Abertas também encaminhou e-mail para o Ministério do Planejamento para que a pasta comentassase o assunto. No entanto, até o fechamento da matéria, o órgão não se manifestou.Dados consideradosOs investimentos considerados para as Três Forças seguem o mesmo critério adotado pelo Ministério da Defesa quanto ao agrupamento das unidades orçamentárias. Os valores atualizados, inclusive, são ajustados pelo mesmo índice, o IGP-DI. Os investimentos do Exército englobam o Comando do Exército, a Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel), a Fundação Osório e o Fundo do Exército, enquanto nos investimentos da Aeronáutica estão o Comando da Aeronáutica, a Caixa de Financiamento Imobiliário da Aeronáutica, o Fundo Aeronáutico e o Fundo Aeroviário (substituído no decorrer dos anos no orçamento pela Agência Nacional de Aviação Civil - Anac). Já na Marinha são consideradas as seguintes unidades: Comando da Marinha, Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, Fundo Naval, Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo e Caixa de Construção de Casas do Pessoal da Marinha do Brasil. Os investimentos citados na matéria fazem parte do Grupo de Natureza da Despesa (GND) 4 – nomenclatura oficial de investimentos no orçamento – e não incluem as inversões financeiras (GND 5), que são despesas com a aquisição de imóveis, títulos representativos de capital de empresas ou entidades já existentes, constituição ou aumento do capital de empresas. Acompanhe o Contas Abertas no Twitter.

Esquema de jogo ilegal funcionava em lan houses, diz Polícia Civil

De acordo com a Polícia Civil, a rede de jogos de azar que funcionava em São Paulo e mais 11 estados funcionava principalmente em lan houses. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Estado de SP, a Operação Novelo, como foi batizada, foi deflagrada por volta das 6h da manhã desta terça-feira (22) e prosseguirá até as 18h. Segundo a polícia, para driblar a lei brasileira que proíbe o jogo, antigos donos de bingos e de máquinas caça-níqueis criaram sites de jogos nos Estados Unidos e controlavam as apostas e a movimentação financeira de São Paulo e do Paraná. Os jogadores faziam as apostas com cartão de crédito e pagavam os boletos em bancos brasileiros. De acordo com os investigadores, o jogo por meio do site era manipulado pelos criadores e quando um apostador estava ganhando muito, o sistema era alterado e a pessoa passava a perder. Ainda, segundo a assessoria de imprensa da secretaria, os policiais civis investigam há cerca de um ano os envolvidos no esquema criminoso de jogos ilegais. A equipe do Departamento de Polícia Judiciária de Sorocaba (Deinter 7), a 100 km de São Paulo, é responsável por centralizar as operações no país. O delegado responsável pelo caso é Weldon Carlos da Costa. Ele deverá dar um balanço parcial da operação no início desta tarde. Os outros estados que participam da ação são: Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco. Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O esquema de jogo ilegal movimentou cerca de R$ 60 milhões no último ano. Os policiais vão cumprir 358 mandados judiciais de busca e 39 de prisão. Por volta das 8h, a polícia já havia apreendido carros importados, computadores, dinheiro e joias. Em São Paulo, foi encontrado, no início da manhã desta terça, um escritório da pessoa suspeita de ser um dos líderes do esquema criminoso. O escritório, segundo a polícia, funcionava num prédio residencial no bairro do Tatuapé, na Zona Leste.

21 de set de 2009

20 de set de 2009

Revolução Farroupilha - Dia do Gaúcho

As comemorações da Revolução Farroupilha - o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais - relembra a Guerra dos Farrapos contra o Império, de 1835 a 1845.
O Marco Inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835. Naquele dia, liderando homens armados, Gomes Jardim e Onofre Pires entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha.
A data e o fato ficaram registrados na história dos sul-rio-grandenses como o início da Revolução Farroupilha. Nesse movimento revolucionário, que teve duração de cerca de dez anos e mostrava como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos, foi proclamada a República Rio-Grandense, instalando-se na cidade de Piratini a sua capital.

Veja mais:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_dos_Farrapos

19 de set de 2009

Uma Sem Voz pede SOS

Ela quer gritar, mas não consegue!

Martha Azambuja, natural de São Gabriel (RS). Ela quer gritar, mas não consegue!
Ela se tornou uma “sem voz” e “sem vez”!

Não meçamos esforços em tentar ouvi-la e fazer ecoar suas palavras pelo Brasil afora:

“Sou de São Gabriel (RS), persistente e corajosamente uma produtora rural. Até 5 anos atrás, vivíamos tranqüilos aqui no município, quando, de repente, o MST quis as terras do Southal.

Travamos verdadeira batalha para impedir que este bando de desocupados entrasse no município. Na época, toda a parte sul do Rio Grande aderiu a nossa causa e conseguimos afastá-los para seus devidos acampamentos de origem.

Mas, isso provocou a ira do MST e de todos os seus simpatizantes, inclusive o INCRA-RS. Neste ponto, quero me deter e tentar descrever o absurdo que está para acontecer em nossa pacata São Gabriel: a revanche deles!
Com o termino das eleições Municipais, o INCRA começou a despejar dinheiro por aqui, oferecendo o dobro, olhe bem, o dobro do preço pelo hectare de campo, e livre de impostos.

No preço de mercado, não se consegue mais de R$ 3.000,00 por hectare, mas o INCRA paga R$ 6.000,00, e ainda livre de impostos, o que vai para quase R$ 8.000,00 o hectare.

Muitos não resistiram em oferecer seu campo para sair do lado do assentamento, gerando o efeito dominó, quebrando assim a união da classe.
De repente, vimos 24 mil hectares nas mãos do MST, e com promessa de chegar a 60 mil. Já estamos com mais de 600 famílias na Estância do Céu, imagine a chegada de mais 700 famílias para a Estância Santa Marta, contando uma média de quatro pessoas por família.

Figure o caos dos serviços públicos que de uma hora para outra se vê na situação de absorver toda essa gente! Assim que chegaram para ocupar a Estância do Céu, no outro dia, iniciaram uma estrutura invejável, até Internet, Via Rádio, para a localidade!

Fico estarrecida com a facilidade na obtenção de recursos dessa gente! Da facilidade de burlar a lei da oferta e da procura, como na compra do campo por um preço inexistente na região! Não seria hora de alertar o Tribunal de Contas da União? Afinal, de onde vem tanto dinheiro?

Saiba que dentro da estratégia do MST está a tomada da Barragem Federal que abastece a cidade... Serão eles os donos de nossa água! Eles terão a mão na torneira... Com a compra da Estância do Céu e da Santa Marta toda a região da Barragem será de assentamentos.

Essa Barragem, além de servir de reforço no abastecimento de água, também tem valos [canais] que irrigam muitas lavouras de arroz, e quem usa aquela água paga uma cota... É guerrilha ou não? Isso não daria uma ótima matéria?
Precisa muita coragem para ser lindeiro de Assentamento da Reforma Agrária... Eles roubam, depredam, enfim, fazem o que querem com os vizinhos sem nenhum tipo de punição!

Aliás, já foram abatidos (roubados) 60 porcos e mais de 1.000 reses dos vizinhos. Um dos vendedores tinha prazo até 2/2 para desocupar o imóvel e foi corrido de lá no início de janeiro. Outro lindeiro foi tão ameaçado que durante a madrugada embarcou todo o rebanho e saiu de sua propriedade furtivamente.

Casos assim chegam diariamente ao nosso conhecimento. Em cidade pequena (70.000 habitantes) todos se conhecem. O pânico se espalhou pela atividade rural!

São Gabriel, segundo o deputado estadual Frei Sérgio Görgen (PT) e autor de “Marcha ao Coração do Latifúndio”, a cidade será modelo em assentamentos! Veja o que nos espera!!!!

O triste é que nós que por vocação ajudamos a produzir alimentos contribuindo no aumento do PIB brasileiro. Ficamos órfãos e não temos quem recorrer.

Quem sabe a imprensa [sic] nos ajuda? Por favor, divulguem o que está acontecendo em São Gabriel... Acreditem, está se formando aqui um novo Pontal do Paranapanema! ”

Diálogo entre médicos

*Resposta de um Médico, Dr. Humberto de Luna Freire Filho, a outro médico, Dr. Aldo Pacinoto publicadas no jornal O Estado de São Paulo
Carta do Dr. Aldo PacinotoDate: Thu, 4 Jun 2009 .Subject: CARTA ESTADÃO.Prezado senhor Humberto.
Sei perfeitamente que os leitores do jornal O Estado de S.Paulo são conservadores, muitas vezes reacionários, claramente de direita.Mas algumas cartas chegam ao cúmulo do absurdo.
Ontem um leitor disse que a culpa dos erros nas cartilhas do governo do senhor José Serra é culpa de algum "petista infiltrado" na Secretaria da Educação. Hoje, o senhor faz uma observação completamente equivocada.Não é apenas o presidente americano Obama que elogia o nosso presidente.Os elogios estão vindo de todos os continentes. É o presidente francês,é o presidente sul-africano, o premiê inglês, finlandes, alemã.
Só não vêem em Lula um grande líder pessoas preconceituosas que ainda oenxergam como um metalúrgico analfabeto. O senhor deve ser de classe média média ou alta.Pergunto: o que piorou em sua vida com o governo Lula? O que vai melhorar com o governo Serra? É claro que a classe média não quer enxergar em Lula um presidente que tem enfrentado crises econômicas internacionais como ninguém.O senhor lê a Economist? O El País? O Le Monde? Se ficar lendo apenas oEstadão e a Veja terá uma visão burguesa e centrada em críticas e mais críticas. Radical.O senhor sabe o quanto o atual governo melhorou a vida dos menos favorecidos? O senhor não quer que ele melhore a vida dos mais pobres?Sou médico, não sou petista, sou classe média até digamos alta. Tinha tudo para pensar como os leitores do Estadão que mandam frases de efeito, às vezes engraçadinhas, que o jornal adora publicar. Mas,felizmente, penso exatamente ao contrário desses leitores. Graças a Deuse ao meu pai que me ensinou a olhar a vida sem radicalismos.
Atenciosamente.
ALDO PACINOTO Curitiba

Resposta do Dr. Humberto de Freire Luna Filho - Prezado colega Aldo (Também sou médico - Neurocirurgião)
Antes de mais nada quero deixar claro que não sou eleitor do Sr.JoséSerra, sou apolítico, não filiado a nenhum partido, tenho nojo de politíca e, consequentemente, de políticos, principalmente dos atuais.Sou a favor sim, dos princípios morais, mas, para meu desapontamento,isso transformou- se em fruta rara nos três Poderes da República no atual governo.Quero também informar ao colega que leio qualquer publicação e não só OEstado de S. Paulo e a Revista Veja, como também já viajei por meio mundo, portanto vou responder suas indagações com conhecimento, e o que é mais importante, com a independência de um profissional liberal não comprometido com governo nem com imprensa nem com igreja nem com sindicatos ou com quem quer que seja.
Quanto à sua pergunta sobre o que piorou na minha vida durante o governo Lula e as possíveis melhoras em um possível governo Serra, eu diria que não houve nem haverá nenhuma mudança. Nem eu quero que haja, porque de governo, qualquer que seja a tendência ideológica, eu só desejo uma coisa: DISTÂNCIA.
Não dependo nem nunca dependi de nenhum deles. Uma outra afirmativa sua é sobre a melhoria da vida dos mais pobres (por conta do bolsa família,imagino). Minha opinião é que bolsa família não é inclusão social, é esmola, mais precisamente compra disfarçada de votos. O pobre não quer esmola, quer escolas, hospitais,ambulatórios que funcionem na realidade.Nos palanques eleitorais já foi dito até que a medicina públicabrasileira está próxima da perfeição. Só que a cúpula do governo, quando precisa de assistência médica, dirige-se ao Sirio-Libanês ou ao Hospital Israelita e chega em São Paulo em jatos particulares. O colega, como médico, não deve ignorar essa realidade.
Na área rural, falta mão de obra porque o dito trabalhador rural virou parasita do governo e não mais trabalha. Para que trabalhar? eu fico em casa e no final do mês o governo me paga. Essa foi a frase que tive que engolir, não faz muito tempo, antes de abortar um projeto em minha propriedade rural que empregaria pelo menos 50 pessoas. Quando optamos pela mecanização, vem um bando de sindicalistas hipócritas junto com aquadrilha do MST, diga-se de passagem foras da lei e baderneiros,financiados com dinheiro público, dizer que a máquina está tirando o emprego no campo.
Outro item a que você se refere é sobre a minha observação,completamente equivocada (equivocada na sua opinião), publicada hoje nojornal O Estado de S.Paulo. Pois é, aquela é a MINHA observação e eu espero que o colega a respeite como eu respeitaria a sua se lá estivessepublicada. E mais se você quiser fazer um giro maior, saindo portanto,da esfera do Estadão e da Veja para fugir do conservadorismo dos mesmos,(conservadorismo também opinião sua - respeito), verá que existem muitas outras publicações minhas dentro do mesmo raciocínio, coerência,independência e coragem que tenho para falar o que quero, e assumir totalmente a responsabilidade pelo dito . Colega, por favor, pesquise os seguintes jornais: Diário de Pernambuco (Recife-PE), Diário da Manhã(Goiânia-GO), Gazeta do Povo (Curitiba-PR) , O Dia (Rio de Janeiro-RJ),Jornal O Povo(Fortaleza- CE) e outros, além de dezenas de sites e blogs.
Agora faço a minha primeira pergunta: são todos conservadores e reacionários? Não! são independentes. Não são parte da imprensa submissa e remunerada com dinheiro público, não fazem pubilicidade da Petrobras,do Banco do Brasil, da Caixa Economica Federal, do PAC, e o mais importante, não recebem ordens de Franklin Martins, (o JosephGoebbelsTupiniquin), manipulador de informações, prestidigitador que usao vulnerável substrato cultural brasileiro, para transformar câncer em voto.
E para encerrar, permita-me fazer mais essas perguntas: O The Economist,o El País,O Le Monde etc. informaram a opinião pública européia sobre as dezenas de escândalos financeiros e morais ocorridos no País nos últimos sete anos e que permanecem impunes por pressão do grande lider e asseclas?Informaram que o Congresso Nacional está tomado por uma quadrilha manipulada pelo Executivo ( 80% envolvidos em algum tipo de delito) e que conseguiram extinguir a oposição? Informaram que a maior empresa brasileira é estatal e ao mesmo tempo usufruto do governo, e que o mesmo tenta desesperadamente blindá-la contra qualquer fiscalização?Informaram que 40% dos ministros e ex-ministros desse governo respondem a processos por malversação de dinheiro público?
Eu acho que os chefes de estados da Europa não sabem dessas particularidades. Por muito menos estão rolando cabeças no Parlamento Britânico, e com uma grande diferença, o dinheiro lá desviado é devolvido aos cofres públicos; enquanto aqui parte é rateada; parte épara pagar bons advogados, e outra parte é incorporado ao patrimônio do ladrão.
Casos exaustivamente comentados na imprensa vem ocorrendo há anos com pelo menos cinco indivíduos que hoje fazem parte ativa da base de sustentação do grande líder. Isso para não falar de coisas mais graves como os assassinatos dos prefeitos de Campinas e de Santo André, envolvendo verbas de campanha.Crimes esses nunca esclarecidos e cujos cadáveres permanecem até hoje no armário do PT.Portanto, ver Luiz Inácio Lula da Silva como um líder é querer forçar um pouco. Para mim, ele não passa de papagaio de pirata de Hugo Chavéz.Veja a sua última pérola: "O Brasil acha petróleo a 6 mil metros deprofundidade, por que não acha um avião a 2 mil". Isso não é pronunciamento de líder em um evento público envolvendo dezenas de chefes de estado. Isso cairia bem em reunião de sindicato ou em mesa de botequim. Caracteriza oportunismo vulgar.
Moro no Brasil, sei ler e não sinto azia quando leio. Não sou preconceituoso nem radical, modéstia a parte, sou esclarecido, e se combater corrupção é radicalismo, aí sim, sou RADICAL, e estou pronto para qualquer coisa como todo nordestino.. . de caráter.
Atenciosamente.Humberto de Luna Freire Filho

Eleições 2010

Ciro sobe. A pesquisa CNI/Ibope a ser divulgada na segunda-feira trará uma novidade inconveniente para o governo – e não são os cerca de 40% das preferências para José Serra. O incômodo maior será ver Ciro Gomes em segundo lugar. A diferença real entre Ciro e Dilma Rousseff pode até nem existir, pois está dentro da margem de erro da pesquisa, mas sua divulgação fará grande barulho. Na mesma pesquisa, Marina Silva começa a dizer a que veio – ela surgirá com 6% das intenções de voto. Estrela esperança-O PT vai montar um ambicioso plano de arrecadação de fundos para a campanha de Dilma Rousseff, via internet e telefone, inspirado na bem-sucedida experiência de Barack Obama. Foi com esse objetivo que o partido assinou na semana passada um contrato com o marqueteiro americano Ben Self, justamente o responsável pela operação de arrecadação via internet de Obama. Internamente, o projeto é chamado Estrela Esperança, numa alusão ao Criança Esperança, da Globo. O objetivo declarado é obter mais dinheiro que a Globo com seu projeto para crianças carentes (na edição deste ano, a emissora recolheu 8,5 milhões de reais).
Na cola de ObamaScott Goodstein, também marqueteiro americano e igualmente integrante do time que trabalhou na campanha de internet de Obama, é outro que está quase fechado com o PT. Goodstein, que esteve em Brasília na semana passada, poderá formular a estratégia de campanha junto às chamadas redes sociais (Facebook, Orkut e Twitter).

18 de set de 2009

"O Contrato Sarkozy/Lulla"

E-mail enviado para o Ricardo Boechat, pelo Maj Brig-Ar Renato Claudio Costa Pereira, Ex- Secretário Geral da OACI (Organização da Aviação Civil Internacional)... Vale perder um tempinho pra ler e entender um pouco mais sobre o reaparelhamento das FFAA, numa conta total que deve chegar próximo dos 50 BILHÕES!!!
Meu caro Boechat,Espero que você dê a este meu comentário a mesma atenção com que escutamos o seu comentário no seu muito bom programa todas as manhãs.Concordo quase sempre com sua visão neste controvertido quadro político em que vivemos, onde as agendas pessoais estão sempre à frente do interesse nacional, ou por pura e simples corrupção ou por projetos de “grupos de interesse” pra beneficio próprio.
O Professor Darcy Bessone sempre dizia-me que nunca existiu essa figura que chamam de “povo”, mas sim, e apenas, existem esses grupos mais ou menos instrumentados pra atingir seus objetivos, ainda que em detrimento de toda uma nação e do seu futuro.
Nesse caso, que podemos batizar de “Contrato Sarkozy/Lulla” existem inúmeros e importantes detalhes que nós, bem como toda a população brasileira e francesa não conhecemos suficientemente.Não trata-se apenas de prover recursos orçamentários a um contrato já realizado que, pelo seu valor financeiro, compromete todo um futuro e talvez 2 (duas) gerações de brasileiros, muitos ainda nem nascidos:1º, as razões alegadas pra tal necessidade são muito nebulosas e, no mínimo, muito estranhas.
“Defender” a Amazônia contra o quê... Tráfico de drogas... Ocupação ilegal... Ações militares inimigas...Tudo isso as nossas FFAA junto com as Forças Policiais e o MP já o fazem, e pelo visto, satisfatoriamente.
Queiram ou não, só existe, historicamente, uma maneira de defender um território, ou seja, uma ocupação dentro da lei. Quanto mais ocupado mais protegido estará, porque a gente ali instalada defenderá o que é seu, em nome da nação e pressionando governos a ajudá-los nessa tarefa. Foi assim que aconteceu na expansão americana pros territórios do oeste, foi assim com Plácido de Castro na defesa do nosso território do AC. Se quisermos defender e proteger a Amazônia então ocupemos a Amazônia, dentro da lei brasileira antes que estrangeiros o façam dentro das suas leis.Pra defesa da Amazônia não precisamos nem de submarinos nucleares nem de aviões de última geração. Afinal, quem são esses terríveis inimigos que pretendem atacar aquela região... Se é que eles existem, pode ter certeza que irão devagar ocupando a área e estabelecendo-se lá, como os Americanos fizeram com o Texas no fim do século 19. Nesse particular, as ONGs são a estratégia, mas prelas basta a lei brasileira e a Polícia, desde que apoiadas por “vontade política”.É claro que todos vão ter de cumprir a lei, os governos também!Outro dos motivos alegados para essa corrida armamentista é a defesa e a proteção do famoso “Pré-sal”, senão vejamos:- 1º anunciaram a descoberta de jazidas imensas de petróleo. Calcularam a partir do que ainda é misterioso, não só a quantidade de óleo como também “o preço com o qual ele vai ser comercializado”, não sabe Deus quando e com que custo pra trazê-lo à superfície. É consenso que ainda que a Petrobras seja uma das empresas que tem maior experiência em explorar poços profundos, nessa profundidade e “depois” da camada de sal ela é tão inexperiente quanto todas as demais petroleiras conhecidas. Será preciso trabalhar muito e aprender muito ainda. Tudo isso traz consensualmente entre experts internacionais, um prazo de 15 (quinze) a 20 (vinte) anos pra possibilitar uma exploração tecnicamente viável, apesar de um imenso desconhecimento das condições de viabilidade econômica. Note-se que ainda não existem provas sobre a real quantidade de óleo “esperando” lá em baixo.Convém refletir que combustível fóssil é poluente por natureza, e com as pressões dos movimentos ecológicos, a tendência é a sua substituição gradual pra limpar a atmosfera e retardar o aquecimento global.As FFAA, especialmente Marinha de Guerra e Força Aérea, receberam esta tarefa a cumprir. Milhares de km2 de mar, onde “se confirmada” a possível exploração dessa “riqueza”, haverá ação militar de inimigos que nos atacarão em guerra total e aberta, pra conquistá-la.
Mais uma vez, quem serão estes “piratas” modernos equipados com marinha de guerra e força aérea, equipadas com aeronaves no estado da arte, navios de superfície e submarinos nucleares, equipadas e treinadas na utilização eficiente e eficaz do armamento mais moderno e sofisticado existente no mundo...
Se por acaso tememos uma invasão em grande escala, perpetrada por uma grande potência nuclear deste, ou de outro planeta, então, esses aviões e esses submarinos servirão tanto quanto serviram o formidável aparelho militar do ditador do Iraque por 2 (duas) ocasiões em passado recente.Sempre achei muito engraçado o “temor” do ditador da Venezuela de que a utilização compartilhada de algumas bases militares Colombianas por forças colombianas e americanas fossem utilizadas para um “ataque” à Venezuela. A tecnologia e o treinamento demonstrados pelas forças americanas no Iraque, deixaram bem claro pra todo o planeta que eles poderão “atacar”, se necessário, qualquer ponto da Terra, com máxima força e com mínima perda, a partir das suas bases nos EUA.
Ainda bem que hoje temos um grande americano como líder dessa capacidade tecnológica e militar...Precisamos, sim, de uma aeronave capaz de manter nossa Força Aérea capacitada e seu pessoal treinado, e pronto pra qualquer sacrifício pela pátria. O mesmo serve à nossa Marinha de Guerra e nosso Exército, a mais democrática de todas as nossas organizações.
Sim, precisamos de aviões de combate, navios de guerra e até tanques e canhões, mas temos de ser muito cuidadosos com o custo a ser imposto a nação brasileira. Nossas FFAA estudam cuidadosamente e com profissionalismo nossas hipóteses de conflito, e buscam, até mesmo, sem o apoio político, estarem preparadas pressas eventualidades.
Neste contrato “Sarkozy/Lulla” ninguém adiantou o ponto mais importante.
E as “armas” com que estes aviões submarinos e helicópteros irão utilizar... Estarão lá, como parte do contrato...Que armas (canhões, mísseis, torpedos, metralhadoras, bombas, balas, etc...) estarão lá usufruindo dessa “transferência de tecnologia” e em quantidade suficiente pra treinamento e reservas de guerra...Quais os prazos pra recebimento dessa tecnologia transferida... Quais as empresas brasileiras que receberão essa tecnologia... Quais as cláusulas práticas pra comercialização... Qual o envolvimento das nossas universidades, do IME ou do CTA... Etc, etc, etc...Uma máquina de guerra sem armas serve apenas pra enfeite e diversão. Armas são caras e exigem reposição imediata pra manutenção da capacidade militar. Mísseis e bombas, por exemplo, mesmo nas prateleiras dos depósitos envelhecem e perdem capacidade de ação, exigindo manutenção permanente, cuidadosa e cara. Na verdade elas deveriam ser produzidas por nós aqui, depois de termos recebido a tecnologia e incorporado essa capacitação à nossa engenharia e ao nosso parque industrial,com prazos e ações muito bem detalhados. Como este acordo/contrato prevê tudo isso...Ninguém sabe meu caro Boechat...É constrangedor presenciar nossas FFAA servirem de “banquinho” de campanha eleitoral.
É perigoso perceber que as decisões estão passando ao largo do conhecimento e da razão.
Muita gente tem de explicar direitinho a todos nós o que é isso e o que se pretende afinal.
Finalmente, gostaria de relembrar que as FFAA têm, e devem ter poder militar, mas sempre utilizá-lo dentro da lei, da ordem e pra servir e proteger toda esta nação.
Estarei sempre às ordens pra esclarecer qualquer ponto que porventura você queira melhor entender.
Maj Brig-Ar Renato Claudio Costa Pereira.
E-mail:rccpereira@gmail.com
Tel: 31 35041004

17 de set de 2009

Lúcio Castelo Branco fala sobre o Brasil


CONVIDARAM O PROFESSOR LÚCIO CASTELO BRANCO, DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA DA UNB, PARA FALAR, AO VIVO, NA RADIOBRAS, SOBRE AS COMEMORAÇÕES DE 7 DE SETEMBRO. OLHA O QUE ELE DECLAROU!!!

AS EMISSORAS DO GOVERNO NUNCA MAIS O CONVIDAM PARA NADA! RSSSSSS, esse professor merece meus aplausos....

Comandante do EB corre risco de ação penal-militar ao ordenar meio expediente para a tropa, por falta de comida

O escândalo do “Exército da Fome” deve parar na Justiça Militar, gerando uma das mais graves crises militares pós-regime-de-64. O Comandante do Exército, Enzo Martins Peri, corre o risco de sofrer uma ação no Superior Tribunal Militar, com base em pelo menos três artigos do Código Penal Militar - Decreto-Lei nº 1.001, de 21 de outubro de 1969. O General de quatro estrelas pode ser acionado por: “omissão de eficiência da Força” (artigo 198 do CPM), “prevaricação” (artigo 319) e “Inobservância de Lei, Regulamento ou Instrução” (artigo 324).O General pode ser acionado pela Procuradoria-Geral da Justiça Militar. Caso isso não ocorra – aliás, é pouco provável -, Peri deve sofrer “um ataque de cidadania”. Qualquer cidadão pode mover uma ação privada, subsidiária da pública, para obrigar o MPM a acionar o STM. O principal ponto contra o General Peri: “ser condescendente” com os seguidos cortes orçamentários - que causam flagrantes prejuízos às atividades regulares dos militares. O Código penal Militar considera crime “deixar de manter a força sob seu comando em estado de eficiência”. A pena prevista, se for condenado, é suspensão do exercício do posto, de três meses a um ano.O Exército deve convocar uma reunião de emergência do Alto Comando para estudar como pode ser abafada a provável ação judicial. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, terá de usar seu prestígio no meio jurídico para “trancar” o processo. Por enquanto, a bomba vai estourar no colo da Procuradora-Geral da Justiça Militar, Cláudia Márcia Ramalho Moreira Luz. Se a “operação abafa” for bem sucedida, talvez nem acabe apreciada pelo Superior Tribunal Militar, presidido pelo ministro Carlos Alberto Marques Soares.Pontos que pegamO artigo 198 do CPM considera crime: “Deixar o comandante de manter a força sob seu comando em estado de eficiência: Pena - suspensão do exercício do posto, de três meses a um ano”.Já o artigo 319 define como crime de prevaricação: Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra expressa disposição de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal: Pena - detenção, de seis meses a dois anos”.A interpretação é que a tropa não pode ficar dois dias sem trabalhar, apenas para satisfazer interesse ou sentimento pessoal do comandante.Outro ponto que pode pegar contra o Comandante do EB é o artigo 324: “Deixar, no exercício de função, de observar lei, regulamento ou instrução, dando causa direta à prática de ato prejudicial à administração militar: Pena - se o fato foi praticado por tolerância, detenção até seis meses; se por negligência, suspensão do exercício do posto, graduação, cargo ou função, de três meses a um ano”.O problemaO General Enzo Peri decidiu que, por medida emergencial para enfrentar o contingenciamento de verbas, os quartéis do Exército funcionariam em meio expediente às segundas-feiras:"Considerando a vigência do contingenciamento dos recursos orçamentários do Exército e suas consequências restritivas, informo à Força que (...) o expediente às segundas-feiras deverá iniciar-se às 13h e encerrar-se às 18h, sem refeições".A tropa já era liberada no fim da manhã das sextas-feiras, pelo mesmo motivo.A nova redução do expediente teria validade de um mês e meio, até 30 de outubro, para economizar o almoço dos recrutas, que só terão de se apresentar para o trabalho no turno da tarde.MPM tem de agir-O Ministério Público Militar é regido pela Lei Complementar n°75/93 que define suas atribuições junto aos Órgãos da Justiça Militar, são elas:Promover, privativamente, a ação penal pública;Promover a declaração de indignidade ou de incompatibilidade para o oficialato;Manifestar-se em qualquer fase do processo, acolhendo solicitação do juiz ou por si a iniciativa, quando entender existente interesse público que justifique a intervenção.Incumbe-lhe, também requisitar diligências investigatórias e a instauração de inquérito policial-militar, podendo acompanhá-los e apresentar provas, além de exercer o controle externo da atividade da polícia judiciária militar.Portanto, a Procuradora-Geral da Justiça Militar, Cláudia Márcia Ramalho Moreira Luz, não precisaria esperar por uma “ação privada, subsidiária da pública” para agir.Teatro de Operações JudiciaisA eventual ação contra o Comandante do EB seria julgada pelo Superior Tribunal Militar que é composto, atualmente, de quinze Ministros vitalícios, nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a indicação pelo Senado Federal.São três Ministros escolhidos dentre oficiais-generais da Marinha, quatro dentre oficiais-generais do Exército, três dentre oficiais-generais da Aeronáutica, todos da ativa e do posto mais elevado da carreira.Outros cinco Ministros são civis, também nomeados pelo Presidente da República e escolhidos dentre brasileiros maiores de trinta e cinco anos.Destes cinco, três são escolhidos dentre advogados de notório saber jurídico e conduta ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade profissional.Outros dois são escolhidos dentre Juízes-Auditores e membros do Ministério Público da Justiça Militar.Composição atual-O STM é presidido pelo Ministro Dr. Carlos Alberto Marques Soares, tendo como vice o Ministro Alte Esq Marcos Augusto Leal de Azevedo.Os demais representantes da Marinha são: Ministro Alte Esq Marcos Augusto Leal de Azevedo, Ministro Alte Esq José Alfredo Lourenço dos Santos e Ministro Alte Esq Rayder Alencar da Silveira.Pelo EB, respondem: Ministro Gen Ex Antonio Apparicio Ignacio Domingue, Ministro Gen Ex Sergio Ernesto Alves Conforto, Ministro Gen Ex Renaldo Quintas Magioli e Ministro Gen Ex Francisco José da Silva Fernandes.Pela FAB: Ministro Ten Brig Ar Flávio de Oliveira Lencastre, Ministro Ten Brig Ar William de Oliveira Barros e Ministro Ten Brig Ar José Américo dos Santos.Já os membros togados são: Ministro Dr. Olympio Pereira da Silva Junior, Ministro Flavio Flores da Cunha Bierrenbach, Ministro Dr. José Coêlho Ferreira e a Ministra Dra. Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha.Perseguição ao EB-O Alto Comando do Exército já não consegue mais esconder o descontentamento com o governo – que promete grandes verbas para a modernização da Marinha e da FAB, e deixa o EB sem dinheiro até para comprar comida para a tropa.A repercussão do assunto na imprensa foi tradada na reunião de ontem do Alto Comando, no Forte Apache, em Brasília.Na previsão de verbas para reaparelhamento, em 2010, a marinha terá R$ 2,7 bilhões e a Aeronáutica outros R$ 1,3 bilhão.Já o pobre EB ficaria apenas com R$ 361 milhões, o que tem tudo para amplificar as queixas sobre sucateamento de instalações e veículos.

Confraternização com a Turma Sesquicentenário da Independência

VENHA FESTEJAR!
O comparecimento é que trará brilho ao encontro de amigos da AMAN, amigos da EsPCEx, de amigos que partilharam suas caminhadas, ou seja, o que se pretende é realizar um grande encontro.
Os anos já passaram e, com certeza, temos muita sabedoria a compartilhar.
O sucesso da confraternização está diretamente ligado ao comparecimento máximo. Foram, também, convidados os professores e instrutores do nosso tempo.
Em caso de total impossibilidade mande suas notícias para divulgação geral.
Envie fotos digitalizadas dos nossos tempos, para inserir em:
http://turmasesquicentenario.nafoto.net/ (... visite-o, talvez a sua foto já esteja lá)
Programação:
Dia 20 Nov 2009 - sexta-feira – 20:00h
Confraternização no Bar Giovannetti do Shopping Parque D. Pedro - Entrada das Águas (por comanda) Fone: (19) 3209 1641 www.giovannetti.com.br
Dia 21 Nov 2009 – sábado (Nessa mesma data ocorrerá, concomitantemente com o nosso, o encontro da turma cinco anos mais moderna, tudo isso, coordenado pela Sec Com Soc)
Local: EsPCEx
09:30h Acolhimento e condução para o local de recepção;
10:00h Recepção pelo Cmt da EsPCEx, com apresentação de vídeo institucional;

10:30 às 12:00h Visita às instalações (Salão Carlos Gomes, memorial, galeria de fotos históricas, torre, biblioteca, Clube de Inglês, sala de informática, SU Al e SEF), descerramento da placa comemorativa e almoço festivo.
Traje: Civis è esporte fino Militares è 3º uniforme.
O encontro da nossa turma será filmado. As cópias do DVD devem ser encomendadas e pagas no local (R$ 45,00 cada) para serem enviadas, por correio, após a edição.
Por ocasião do acolhimento haverá equipe para entrega dos crachás e à disposição para o acerto do rateio das despesas, assim previstas: Ex-aluno: R$ 55,00 (almoço com sobremesa, bebidas, café, placa, livro, crachá, miudezas, etc.).
Convidado: R$ 20,00 (almoço com sobremesa, bebidas e café)
Criança com até 10 anos não paga.
Reforçando: todos os acertos financeiros serão feitos na EsPCEx, durante o acolhimento.
Como não se tem como prever a adesão, montou-se uma previsão dos gastos aproximados e, após o evento, haverá uma contabilidade, fazendo o acerto final.
Necessito receber de cada um a previsão de comparecimento para saber quem vem, quantas pessoas trará como convidados, isso para poder fazer o "arranchamento" (lembram do termo?) na Escola.
O prazo máximo para essa comunicação é até o dia 02 Nov 2009, assim, no dia seguinte entregarei os dados à EsPCEx. Por favor envie-me um e-mail - cesarcaproni@yahoo.com.br antes de 02 Nov 2009 informando:
Quem vem e quantos convidados trará consigo (inclusive o número de crianças que não pagam);
ou que, infelizmente, não virá. Isso é fundamental para a previsão mais correta possível.
Para não onerar os demais, passarei, posteriormente, o número de uma conta corrente para aqueles que confirmaram a vinda e que, na última hora desistiram, para contribuir com as despesas que não puderam ser desfeitas na última hora. Todas as informações devem ser enviadas via e-mail.
Ficarei feliz em receber a sua confirmação.

16 de set de 2009

Não vi. Não sei. Não fiz

Sylvain Levy
Psicanalista, é membro associado da Sociedade de Psicanálise de Brasília
Portanto, não aconteceu. A partir dos fatos ocorridos nos últimos dias, é lícito pensar que essa é a ideia que querem incutir nas nossas mentes.
Porém, se nos reportarmos há alguns anos, mais precisamente a 2005, verificaremos que foi exatamente assim que o Executivo tentou “vender” para a população os fatos conhecidos como escândalo do mensalão.
A denúncia de Roberto Jefferson foi seguida pelas declarações do presidente Lula afirmando “não vi e não sei”, e a elas tiveram sequência as declarações dos acusados dizendo “não fiz”, complementadas pelos lacaios de plantão, de sempre, concluindo que “se ele não viu e não sabe, e ninguém confessa que fez, então não aconteceu”.
Quase deu certo. Alguém não entendeu bem o script e o assunto prosseguiu com denúncias envolvendo 40 pessoas, mas que, se tudo correr como deve, serão impronunciadas por decurso de prazo.
Esse era um assunto do Executivo.
Depois vieram os casos de Renan e Sarney. O teatro foi o mesmo, só mudou o palco, do Palácio do Planalto (Executivo) para o do Congresso (Legislativo).
Faltava o Judiciário, que no glorioso 27 de agosto entrou na cena.
Com a não pronúncia do ex-ministro Antonio Palocci, o Supremo Tribunal Federal transformou o que era movimento de governo em estratégia de Estado.
Não apenas é proibido investigar denúncias ou fatos delituosos. É proibido inserir esses temas na agenda nacional, em qualquer de seus poderes, pois eles não aconteceram.
Nenhum deputado foi flagrado recebendo dinheiro do mensalão, porque não houve mensalão. Ninguém recolheu recursos para pagar o mensalão, porque não houve mensalão.
Renan não usou o amigo para pagar a pensão alimentícia da filha, pois não tinha dinheiro para isso e porque isso não ocorreu. Não tem fazenda, plantel bovino ou apartamentos, pois não tem recursos para tal.
Sarney não usou de atos secretos para indicar ou nomear ninguém, pois esses atos não existiram nem existem. Não tem que explicar nada, porque nada aconteceu.
Palocci não mentiu à Comissão da Câmara dos Deputados, ao dizer que jamais compareceu à casa conhecida como República de Ribeirão Preto, porque foi inocentado pelo Supremo de ter violado o sigilo bancário do caseiro Francenildo.
E assim vamu nóis. A ética das coisas é substituída por essa “coisa” da ética.
Não existe inversão de valores, porque não mais existem valores. Exceto, é claro, aqueles passíveis de mudarem de mãos ou de bolsos.
Esta situação pode colocar a nação — entendendo essa figura como a integração do governo, do Estado, do país físico e do povo — num terreno pantanoso, entre a negação, a loucura e a mentira.
A negação é uma ação psíquica inconsciente utilizada pela mente como defesa de angústia intensa perante um fato que, embora ocorrido, não pode ser reconhecido como tal. A loucura estaria num estágio mais avançado da negação, onde não é possível conhecer da realidade e, por isso, ela não pode ser reconhecida. Quem não conhece não pode reconhecer.
No caso da mentira é diferente. A mentira é antes de tudo uma ação antieconômica da mente, pois ela precisa trabalhar conscientemente duas vezes: a primeira para saber/conhecer e a segunda para negar o sabido/conhecido. Como ambas são ações conscientes, exigem um grande gasto de energia psíquica, associado aos gastos energéticos físicos, como os tremores musculares, a sudorese, a agitação do corpo e das mãos e a dificuldade de fixação do olhar, entre outros sinais de desconforto. São poucos os mentirosos profissionais que conseguem manter a placidez e a imobilidade.
Se o governo e o Estado já estão cooptados e o país não fala, apenas o povo ainda é o elemento de resistência. A continuarem essas práticas, o povo se acumpliciará, não por opção, mas pelo bombardeio incessante da informação deturpada, e aí a música de Chico Buarque terá novo sentido: “Quem jamais esquece não pode reconhecer”.
Então não nos restará alternativa a não ser a de ser uma nação de mentira.