13 de ago de 2015

Dilma diz que 'enverga mas não quebra'

Presidente citou música de Lenine em meio aos gritos de 'não vai ter golpe' durante a Marcha das Margaridas

AE
DIlma_Roberto-Stuckert-Filho-PR_483x303.jpg
 
Em meio a gritos de “não vai ter golpe”, a presidente Dilma Rousseff citou uma música do cantor Lenine nesta tarde para dizer que “enverga, mas não quebra”. Durante o encerramento da Marcha das Margaridas, no Estádio Nacional Mané Garrincha, a presidente disse que continuará trabalhando para que as mulheres “realizem seus sonhos”.

“Nós não deixaremos que haja retrocessos. Eu continuarei trabalhando para honrar e realizar os sonhos de vocês. Juntas, nós margaridas não permitiremos que ocorra qualquer retrocesso nas conquistas sociais e democráticas de nosso País”, afirmou.

Ao fim do discurso, Dilma citou versos da música “Envergo Mas Não Quebro”, de Lenine. “Em noite assim como esta / eu cantando numa festa / ergo o meu copo e celebro / Os bons momentos da vida / e nos maus tempos da lida / eu envergo mas não quebro”, recitou. “Margaridas, nós podemos envergar, mas nós não quebramos, nós seguimos em frente”, concluiu.

Em seu discurso no evento, a presidente disse que a parceria com as "margaridas" assegurou avanços e irá orientar o governo dela até o final do mandato, em 2018. A fala da presidente ocorreu durante o encerramento da 5ª Marcha das Margaridas, em Brasília.

Dilma afirmou que a agenda das margaridas e do seu governo são semelhantes e têm o mesmo propósito, que é “garantir às mulheres do campo das florestas e das águas mais direitos e mais oportunidades”. A presidente ainda listou uma série de medidas para as mulheres do campo.
Propostas. Entre as medidas anunciadas, Dilma disse que o governo federal irá implementar as patrulhas rurais Maria da Penha. “Faremos parcerias com as forças policiais que atuam em nível local para que a mulher vítima de violência seja assistida de maneira correta e para que haja redução da violência e do feminicídio”, disse.

A presidente ainda prometeu ampliar o número de serviços especializados de atenção à mulher no meio rural. Disse também que no âmbito do Pronatec, será criada uma capacitação até o fim de 2018. “Meu compromisso é combater a violência contra as mulheres em todas as suas formas, de forma implacável”, afirmou.

A presidente também prometeu uma mobilização nacional para intensificar as ações de atenção integral à saúde da mulher no campo. “Para enfrentar a mortalidade materna, vamos capacitar, já no início deste ano, mais de 200 parteiras da população do campo e de áreas remotas. Vamos incorporar uma ação inovadora que pode salvar a vida de muitas mulheres com o pós-parto. Vamos disponibilizar trajes que controlam o sangramento até a chegada no hospital”, explicou.

“Outro compromisso que assumo é aprimorar as condições para tratamento de intoxicação aguda e acidentes com animais peçonhentos. Entregaremos 102 unidades odontológicas móveis”, relatou.

Nenhum comentário: