28 de ago de 2015

Com Dilma, Brasil pode amargar retração histórica em dois anos seguidos

Mercado projeta retração de 2,06% para a economia este ano e de 0,24% em 2016. Neste ano, país entrou em recessão técnica, ao encolher 1,9% no 2º tri

A presidente Dilma Rousseff recebe as delegações que representaram o Brasil nos Jogos Pan-Americanos e Parapan-Americanos de Toronto 2015, em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (27)
Dilma pode conseguir realizar mais um feito histórico: fazer a economia do país encolher por dois anos seguidos (Ueslei Marcelino/Reuters)
Confirmada a previsão do mercado financeiro, que espera uma retração de 2,06% para a economia este ano e de 0,24% em 2016, o Brasil amargará, pela primeira vez na história, uma retração econômica em dois anos seguidos. A constatação tem como base a série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que começou em 1948.
Tradicionalmente, nas seis vezes em que a economia terminou o ano com Produto Interno Bruto (PIB) negativo, o país conseguiu dar a volta por cima nos anos seguintes.
PIB
(PIB/VEJA)
Nesta sexta-feira, o IBGE anunciou que a economia do pais recuou 1,9% entre abril e junho, registrando o segundo trimestre seguido de queda - o que caracteriza recessão técnica. No primeiro trimestre o recuo havia sido de 0,7%, segundo dado revisado. O resultado do segundo trimestre foi o pior desde o início de 2009, auge da crise financeira global, tanto na base anual quanto trimestral.
Os dados econômicos são divulgados em meio ao cenário de inflação elevada, desemprego ascendente, confiança em baixa e crise política.
(Da redação)

Nenhum comentário: