20 de set de 2016

GREVE DOS BANCÁRIOS Falha em caixas e cartão bloqueado entre queixas

Procon recomendou que bancos adotem uma série de medidas na paralisação. Orientação será debatida na quinta
O zelador José Maria Tomaz foi à agência realizar dois serviços para seu empregador, mas não teve sucesso O autônomo Francisco José teve um documento estornado e não conseguiu resolver ( Fotos: Thiago Gadelha )
A greve dos bancários se intensifica pelo Brasil e chega ao 15º dia nesta terça-feira (20). Em Fortaleza, embora diversos serviços consigam ser realizados nos caixas eletrônicos, é fácil encontrar clientes reclamando da falta de atendimento nas agências por não conseguirem resolver seus problemas. As queixas são das mais variadas e vão desde a falta de envelopes para depósitos até cartões bloqueados.
O geógrafo Renato Braz, por exemplo, não consegue efetuar saques nem pagamentos porque seu cartão está bloqueado. Ele conta que, recentemente, recebeu de seu banco um novo cartão, que, além de conta corrente, também tem a função crédito.
"Eu não pedi esse cartão, que ainda veio cobrando R$ 67 de anuidade. Como recebi esse novo, o outro bloqueou automaticamente. Agora, tenho que pagar essa fatura de quase R$ 3 mil e não tenho como. Está vencida desde o dia 14. Estou querendo falar com o gerente, mas me disseram que ele está em horário de almoço", reclamou ontem.
Na última sexta-feira (9), a servidora pública aposentada Solange Muniz conseguiu ser atendida por funcionários da agência da qual é cliente e efetuou o pagamento de três contas de energia. A aposentada não conseguiu fazer o procedimento nos caixas eletrônicos porque as máquinas não estavam lendo os códigos de barras das faturas.
Ontem, porém, Solange Muniz teve uma surpresa. Descobriu que o pagamento dos três boletos, no valor de R$ 1.400, não havia sido autenticado pelo banco. "O valor foi debitado da minha conta, mas consta que os papéis não foram pagos. Estou aguardando para ser atendida pela gerência do banco, porque preciso prestar conta desse pagamento", reclama.
Documento estornado
O autônomo Francisco José de Lima também estava em busca de uma solução para seu problema. Há cerca de duas semanas, ele depositou um cheque no valor R$ 4.500 para pagar parte do financiamento de um veículo, mas o documento foi estornado. Segundo ele, o impasse ocorreu porque houve erro no preenchimento da data.
"Era para ter preenchido para o dia 6 de setembro, mas foi colocado para 6 de outubro. Preciso falar com alguém do banco. Já é a terceira vez que venho a essa agência e não consigo resolver isso. Estou com outro cheque, com a data certa. O pior é que os juros estão correndo", lamenta Francisco José.
Já o zelador José Maria Tomaz foi à agência realizar dois serviços para seu patrão, mas não teve sucesso. O depósito não foi feito por falta de envelope. Já o pagamento do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), que, segundo ele, só pode ser efetuado na boca do caixa, não foi realizado por falta de funcionários.
"Meu patrão me disse que, hoje (ontem), os bancos teriam que abrir para o publico por, no mínimo, duas horas. Por isso, eu vim aqui para ver se estava tendo atendimento. O Darf dele vence amanhã (hoje)", observa José Maria, torcendo para que a greve termine logo.
Recomendações
O assessor jurídico da Associação de Bancos do Estado do Ceará (Abance), Lúcio Paiva, explica que as recomendações estabelecidas pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) - para diminuir os problemas enfrentados pelos clientes durante a greve - serão acatadas. Nesta quinta-feira (22), às 18h30, a associação se reunirá com os superintendentes dos bancos cearenses, para repassar as medidas. A diretora geral do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, também foi convidada à reunião. "As medidas são razoáveis, queremos conversar com os superintendentes para ver a melhor forma de aplicar as recomendações", ressaltou.
O documento conta com oito recomendações, além da proibição do bloqueio de funções dos terminais de autoatendimento, ainda foi recomendado pelo órgão, que os bancos revoguem as limitações impostas em relação a saques e outros serviços; desonerem os consumidores da cobrança de quaisquer taxas referente a devolução de cheques; abstenham-se de cobrar a chamada taxa de manutenção de conta corrente; disponibilizem empregados/terceirizados para auxiliar aos consumidores; garantam aos consumidores o livre acesso aos caixas eletrônicos; evitem a negativação dos correntistas; e divulguem o conteúdo desta recomendação.
Balanço
A greve dos bancários entrou ontem em seu 14º dia, com maior adesão, sendo fechadas 419 agências em todo o Estado, sendo 223 em Fortaleza e 196 no Interior, que corresponde a um percentual de paralisação de 74,56% do total, como aponta o balanço diário do Sindicato dos Bancários do Ceará (Seeb). De acordo com o presidente do Seeb Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, a expectativa é de que a greve continue a crescer.
A Federação Nacional dos Bancos subiu de 6,5% para 7% a proposta de reajuste salarial da categoria, acrescido de um abono de R$ 3,3 mil, mas os bancários reivindicam pela alta de 14,78%, mais o pagamento de três salários e R$ 8,3 mil em participação nos

Nenhum comentário: