19 de jan de 2016

Petrobras desaba, puxa queda da Bovespa e fecha abaixo de R$ 5 pela primeira vez desde 2003

Ações preferenciais da estatal recuam 6%, afetadas pela desvalorização do petróleo e receio dos investidores com o plano de venda de ativos da empresa

Petrobras
Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro(Mario Tama/Getty Images)
O principal índice da Bovespa fechou em queda nesta segunda-feira, renovando seu menor nível registrado desde 2009. A baixa foi puxada pelo forte declínio das ações preferenciais da Petrobras, que fecharam abaixo de 5 reais pela primeira vez desde 2003.
O Ibovespa caiu mais 1,64%, aos 37.937,27 pontos, menor nível desde 9 de março de 2009 (36.741,35 pontos). O feriado nos Estados Unidos pelo Dia de Martin Luther King reduziu o volume de negócios no pregão local. No mês, o índice acumula perda de 12,48%.
As ações preferenciais (sem direito a voto) da Petrobras fecharam em quedad de 7,16%, a 4,80 reais, enquanto as ações ordinárias recuaram 6,11%, a 6,30 reais. No ano, as ações preferenciais da petroleira já acumulam queda de 28%, e as ordinárias de 26%.
Um conjunto de fatores negativos tem puxado as sucessivas quedas das ações da estatal. No cenário externo, a baixa dos preços do petróleo - que está sendo negociado por menos de 30 dólares, valor que não era registrado havia doze anos - tem afetado não apenas as empresas petrolíferas, mas também as bolsas de valores. Além disso, a empresa, endividada e com negócios afetados pelos casos de corrupção investigados pela operação Lava Jato, da Polícia Federal, lançou um amplo programa de cortes de investimentos e venda de ativos - e os investidores têm dúvidas sobre a capacidade da empresa de conseguir levar o plano a cabo da maneira como foi anunciado. Só em cortes de investimentos, são 32 bilhões de dólares até 2019.
Dólar - No mercado de câmbio, o volume de negócios também foi baixo devido ao feriado nos EUA. O dólar fechou em baixa de 0,37%, negociado por 4,03 reais.

(Da redação)

Nenhum comentário: