18 de abr de 2016

Imprensa internacional destaca aprovação de impeachment no Brasil

Jornal argentino 'Clarín' transmitiu votação ao vivo em seu site.
Notícia também foi destaque em veículos europeus e dos EUA.

Do G1, em São Paulo
Diversos veículos de outros países destacaram a aprovação da Câmara à abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.
O jornal britânico The Guardian noticiou o resultado da votação assim que o número necessário para o prosseguimento do processo foi alcançado (Foto: Reprodução/The Guardian)O jornal britânico The Guardian noticiou o resultado da votação assim que o número necessário para o prosseguimento do processo foi alcançado (Foto: Reprodução/The Guardian)
O jornal britânico "The Guardian" foi o primeiro a dar o resultado, imediatamente após o voto que definiu a abertura do processo. “Congresso vota para impedir a presidente Dilma Rousseff” foi a chamada, seguida por outra matéria que explica o que acontece a seguir no Brasil.
Site do jornal argentino Clarín transmitiu ao vivo a votação do impeachment na Câmara (Foto: Reprodução/Clarín)Site do jornal argentino Clarín transmitiu ao vivo a votação do impeachment na Câmara (Foto: Reprodução/Clarín)
Os argentinos "Clarin" e "La Nacion" deram grande destaque ao assunto. O "Clarin" colocou o assunto em sua manchete e chegou, inclusive, a transmitir ao vivo a votação, com streaming da TV Câmara. Após a definição, sua manchete ressaltou a expressiva votação a favor do impeachment.
O jornal argentino La Nacion diz que Dilma 'perdeu a batalha' (Foto: Reprodução/La Nacion)O jornal argentino La Nacion diz que Dilma 'perdeu a batalha' (Foto: Reprodução/La Nacion)
No "La Nacion", a chamada diz que “Dilma Rousseff perdeu a batalha para os deputados e o processo político se encaminha ao Senado”.
O site do jornal espanhol El País também destacou a abertura do processo (Foto: Reprodução/El País)O site do jornal espanhol El País também destacou a abertura do processo (Foto: Reprodução/El País)
O jornal espanhol "El País" destacou em sua home page que "O Congresso brasileiro aprova o início da destituição de Rousseff".
O site da revista alemã Der Spiegel também publicou nota sobre a abertura do processo de impeachment (Foto: Reprodução/Der Spiegel)O site da revista alemã Der Spiegel também publicou nota sobre a abertura do processo de impeachment (Foto: Reprodução/Der Spiegel)
A versão online da revista alemã "Der Spiegel" deu destaque ao assunto, sob a chamada "Parlamento aprova processo de impeachment contra Rouseff".
Ampla margem de votos foi destacada pelo New York Times (Foto: Reprodução/New York Times)Ampla margem de votos foi destacada pelo New York Times (Foto: Reprodução/New York Times)
O "New York Times" anunciou que "Líder brasileira é impedida por ampla margem pelo Congresso", explicando em seguida que o processo segue agora para o Senado.
  •  
Votação na Câmara também foi divulgada pelo Wall Street Journal (Foto: Reprodução/Wall Street Journal)Votação na Câmara também foi divulgada pelo Wall Street Journal (Foto: Reprodução/Wall Street Journal)
Também nos EUA, o "Wall Street Journal" publicou que a "Câmara votou pelo impedimento da presidente Rousseff".
A derrota de Dilma também foi notícia no The Washington Post (Foto: Reprodução/The Washington Post)A derrota de Dilma também foi notícia no The Washington Post (Foto: Reprodução/The Washington Post)
Já o "Washington Post" ressaltou que a presidente do Brasil perdeu uma "votação crucial" pelo impeachment.
  •  
CNN deu destaque à votação e à abertura do processo na TV e em seu site (Foto: Reprodução/CNN)CNN deu destaque à votação e à abertura do processo na TV e em seu site (Foto: Reprodução/CNN)
A CNN, além de exibir matérias sobre a votação e o resultado ao longo da sessão, também publicou o resultado em seu site, com o título "Brasil: Congresso vota para impedir Rousseff".

Nenhum comentário: